Muito tem se ouvido falar por aí em Coaching. No entanto, por se tratar de uma profissão ainda pouco conhecida no Brasil, o coach, muitas vezes, é visto com desconfiança e, em alguns casos, como sinônimo de charlatanismo. Tudo que se relaciona ao tema virou sinônimo de modismo e, na cabeça de muitos, essa moda daqui a pouco vai passar. Será que vai mesmo?

Para que você possa criar o seu juízo de valor sobre isso é necessário, primeiramente, que entenda alguns conceitos importantes. Vamos a eles.

O Coaching nada mais é do que o processo em que, a partir de uma série de questionamentos e reflexões, um coach – profissional de coaching – auxilia o seu coachee – cliente – a descobrir o caminho mais adequado a seguir para atingir seus objetivos.

Esses objetivos podem ser das mais diversas áreas da vida: relacionamento, saúde, intelectual, familiar, profissional, financeira, dentre outras. O coachee leva até seu coach uma demanda específica: “Quero arranjar uma namorada!”, “Quero ser promovido!”, “Quero melhorar o desempenho da minha empresa!”, “Quero conquistar a minha independência financeira!”.

Ao longo do processo de coaching – que dura cerca de dez sessões – coach e coachee trabalharão em parceria para que esse objetivo seja alcançado. Em geral, esse trabalho se baseia na reflexão sobre o estado atual e a procura do melhor caminho para chegar ao estado desejado.

Através da utilização de algumas ferramentas, de perguntas que irão ajudar o coachee a encontrar respostas necessárias e da definição de planos de ação para avançar em direção a meta traçada, coach e coachee caminham juntos em um processo de desenvolvimento e ajuda mútua.

Leitura recomendadaUm mundo de mentores: cuidado com a modinha do Coaching

Já fui coachee e sou coach! Por conhecer bem os dois lados desse processo, vejo como é importante o papel que um coach pode ter nas nossas vidas. Enquanto coachee, pude perceber como o processo é poderoso – ele me ajudou a colocar em prática algumas coisas que foram fundamentais para eu obter os resultados que almejava, mas que, por uma série de razões, eu ainda não tinha conseguido.

Enquanto coach, percebo exatamente a mesma coisa! Muitas vezes, o que as pessoas precisam é de alguém para fazê-las refletir sobre as coisas, questionar certas verdades absolutas. Alguém que possa ajudá-las a ter um norte quando, muitas vezes, estão totalmente perdidas.

Este é o papel do coach: ajudar você a descobrir aonde deseja chegar e o que precisa fazer para chegar lá. O processo de coaching é focado em resultados, portanto, tudo que é feito é mensurado, o que ajuda principalmente aquelas pessoas que são um pouco indisciplinadas para certas atividades.

Antes que as pedras dos céticos comecem a voar em minha direção, eu digo: não, o Coaching não é a solução de todos os problemas do universo, muito menos a salvação do planeta… Não é mesmo!

Mas de uma coisa eu tenho certeza: para uma imensa parcela da população, que não sabe aonde quer chegar, ou que sabe, mas está com dificuldade em conseguir chegar até lá, o Coaching pode ser o melhor caminho.

eBook gratuito (compartilhe)Como falar sobre dinheiro com o seu filho

Se esse for o seu caso, busque um coach qualificado para iniciar essa caminhada. Se na sua cidade não tiver nenhum, não tem problema, pois as sessões podem ser feitas à distância, por skype. Um coach pode ser o que está faltando para você atingir seus objetivos. Pense nisso!

Foto “Coaching”, Shutterstock.

Samuel Magalhães
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários