Home Finanças Pessoais Com criar uma planilha de gastos mensais eficiente

Com criar uma planilha de gastos mensais eficiente

Na ferramenta da Serasa, que é feita pelo Excel, por exemplo, basta criar uma aba para cada mês do ano

por Blog do Serasa
0 coment√°rio

A falta de organiza√ß√£o e planejamento financeiro muitas vezes pode levar a situa√ß√Ķes de endividamento e descontrole de gastos. Por isso √© importante utilizar recursos que ajudem na mudan√ßa de h√°bitos e no gerenciamento di√°rio das finan√ßas.

A planilha de gastos mensais é uma das ferramentas mais eficientes nesse processo. Este artigo traz sete passos para criar uma planilha de gastos que mais se adapta à rotina de cada pessoa.  

Por que uma planilha de gastos mensais pode fazer toda a diferença

A planilha de gastos mensais √© como um caderno de anota√ß√Ķes das finan√ßas. Nela √© poss√≠vel anotar tudo que ganha e tudo que gasta em um m√™s e entender para onde est√° indo o dinheiro. Dessa forma, ajuda a trazer mais consci√™ncia e organiza√ß√£o financeira.

A planilha de gastos ajuda a identificar hábitos que prejudicam as finanças e a prevenir gastos impulsivos ou excessivos. Ter um bom controle das despesas mensais pode ajudar até mesmo a realizar objetivos financeiros maiores.

Como criar uma boa planilha de gastos mensais

N√£o existe uma f√≥rmula pronta para criar uma planilha de gastos. A melhor ferramenta ser√° aquela que se adapta √† sua realidade e torna o acesso mais f√°cil para preenchimento das informa√ß√Ķes.

Há quem goste do Excel. Outros se dão melhor com um aplicativo. Tem quem prefira papel e caneta. Para quem é do mundo digital, existe uma série de modelos prontos por aí, que podem ser baixados gratuitamente na internet ou servir de modelo para criar a própria ferramenta.

A Serasa, que tem compromisso com a educação financeira, disponibiliza um modelo gratuito, acessível e fácil de ser preenchido, a Tabela de Planejamento Financeiro.

Independentemente de qual usar, saiba o que n√£o pode faltar na planilha de gastos mensais para que ela consiga trazer bons resultados.

1. Separe por meses do ano

Em primeiro lugar, é importante focar no mês a mês para entender como estão os gastos em um período específico. Por isso, divida a tabela por meses.

Na ferramenta da Serasa, que é feita pelo Excel, por exemplo, basta criar uma aba para cada mês do ano. Assim, fica mais fácil visualizar cada período e retomar os anteriores.

2. Anote todas as receitas de cada mês

O segundo passo é anotar todos os valores que entraram dentro daquele período, na forma de salário, décimo terceiro, eventual PPR ou PLR, férias, aluguel da garagem do prédio, trabalho extra e outros. Esses ganhos variam mês a mês, então é importante registrar dentro da realidade daquele período.

3. Mapeie os gastos

Depois de anotar as receitas, é hora de identificar todos os gastos. Aqui é possível dividir em duas tabelas: o quanto deveria ter sido gasto (o planejamento inicial do mês, com as contas fixas e variáveis) e o quanto de fato foi gasto, exatamente como faz a tabela disponibilizada pela Serasa.

A primeira deve ser preenchida logo no in√≠cio do m√™s, trazendo as previs√Ķes. A segunda vai sendo preenchida aos poucos, conforme cada despesa for aparecendo.

A vantagem dessa divisão é justamente ajudar a perceber para onde estão indo os excessos. Identificar o que acontece no meio do caminho é essencial para manter o controle e organizar melhor os gastos.

4. Calcule a porcentagem do total de gastos

Outro detalhe que pode fazer toda a diferença na planilha de gastos de mensais é calcular quanto representa cada despesa dentro do total disponível em caixa naquele mês. Isso pode ser feito por meio da porcentagem.

Por exemplo: o gasto com aluguel do apartamento consumiu 10% do valor total que entrou em determinado mês, enquanto o supermercado 20% e o uso do Uber outros 20%.

Com isso, percebe-se que o transporte está custando mais que a própria moradia, o que pode ser considerado alto. Para o ano seguinte, portanto, é possível criar uma estratégia para reduzir esse gasto.

Para quem tem dificuldade de levantar essa porcentagem, algumas ferramentas j√° fazem o c√°lculo automaticamente, como acontece com a calculadora da Serasa:

5. Acrescente uma coluna para somar as sobras de cada mês

Paralelamente à divisão por períodos, crie uma coluna fixa para todos os meses do ano. Ali, vá somando todos os valores que sobram em cada mês, caso isso aconteça.

Assim √© poss√≠vel conferir os avan√ßos conquistados ao longo do tempo, ainda que lentos. √Č poss√≠vel at√© mesmo comparar os meses que vieram antes de conseguir guardar dinheiro, ajudando a identificar quais mudan√ßas fizeram diferen√ßa.

6. Separe 10% do que sobrou em uma aplicação

Depois que o dinheiro começar a sobrar, já é possível dar um passo maior. Uma parte das das sobras (10%, por exemplo) pode ser aplicada em investimentos de renda fixa, como CDI ou CDB.

Assim, além de fazer o dinheiro começar a render, isso também serve de treinamento para se familiarizar com o funcionamento do mundo dos investimentos.

A Serasa ajuda nesse processo e previu uma coluna para ajudar no c√°lculo:

Estabeleça Metas

Por fim, estabeleça a usar a planilha de gastos mensais a seu favor. Com os cálculos de cada mês, estabeleça metas maiores para alcançar até o fim do ano, como comprar uma casa ou um carro ou até viajar de férias, por exemplo.

A ferramenta da Serasa não só ajuda nessa identificação, como também mostra em quanto tempo aquela meta foi alcançada:

O Dinheirama √© o melhor portal de conte√ļdo para voc√™ que precisa aprender finan√ßas, mas nunca teve facilidade com os n√ļmeros.

© 2024 Dinheirama. Todos os direitos reservados.

O Dinheirama preza a qualidade da informa√ß√£o e atesta a apura√ß√£o de todo o conte√ļdo produzido por sua equipe, ressaltando, no entanto, que n√£o faz qualquer tipo de recomenda√ß√£o de investimento, n√£o se responsabilizando por perdas, danos (diretos, indiretos e incidentais), custos e lucros cessantes.

O portal www.dinheirama.com é de propriedade do Grupo Primo.