Como alugar um imóvel sem sustosAlugar um imóvel é firmar um contrato de responsabilidades com outra pessoa. É primordial, então, verificar cada detalhe do aluguel para minimizar as chances de qualquer imprevisto acontecer durante o período contratado.

Antes de qualquer coisa é preciso ter certeza de que o valor do aluguel não irá afetar seu bolso no final do mês.

“Em primeiro lugar, pense na condição financeira da família e escolha uma casa ou apartamento que se encaixe dentro do orçamento”, aconselha Ricardo Pereira em parceria com a Consul.

No entanto, é bom ressaltar que a escolha de um imóvel que esteja condizente com o orçamento familiar vai além do valor do aluguel. É preciso incluir na conta o valor do condomínio (se houver) e as taxas, como IPTU.

Planejamento é fundamental

Quanto mais próximo seu planejamento for da realidade, menor é a chance de acontecer algum imprevisto ao longo dos meses de contrato. Por isso, é importante considerar todo gasto relacionado a moradia.

Roseli Hernandes, diretora comercial da Lello Imóveis, ainda recomenda que esses gastos não sejam superiores a 30% da renda mensal da família. “Esse é o limite ideal para que o inquilino possa pagar as despesas da locação nos 30 meses do contrato”, aponta Roseli.

Outro ponto interessante durante a análise do imóvel é conferir se o valor cobrado está dentro da realidade. Segundo Roseli, hoje o custo do aluguel residencial varia de 0,4% a 0,8% do valor do imóvel.

“Esse percentual é compatível com a realidade do mercado. Antes, a locação era calculada sobre 1% do valor da propriedade”, explica. A diretora ainda aponta o principal fator que colabora para o alto valor: “há uma grande procura pela locação, essa procura tem sido três vezes maior do que a compra de um novo”.

Vários outros fatores influenciam no preço dos aluguéis:

  • Estado de conservação;
  • Proximidade de transporte público;
  • Cercado imobiliário aquecido;
  • Relação entre oferta e procura.

Seja detalhista na vistoria do imóvel

Outra dica muito importante é saber as reais condições da casa (ou apartamento). Infelizmente, o corretor de imóveis (ou o proprietário do imóvel) pode esconder alguns aspectos negativos do lugar para fechar o negócio e por isso é preciso ser exigente durante a visita.

“Deve-se prestar muita atenção no seu estado de conservação, se há manchas de infiltrações, vidros quebrados, torneiras, vasos sanitários, e a parte elétrica como aquecimento do chuveiro”, alerta o advogado Daphnis Citti de Lauro, especialista em Direito Imobiliário.

Peça permissão para tirar fotos de todos os cômodos e detalhes que lhe chamem a atenção, pois assim você também pode analisar tudo com mais calma depois da visita. Mais do que isso, se depois de mudar para o local você precisar trocar alguma coisa, terá provas de que o reparo já era necessário antes da mudança.

Conheça a vizinhança

Visitar e analisar o imóvel com calma e bastante critério pode ser suficiente para diminuir os riscos de problemas dentro da residência, mas já imaginou que você pode ter problemas com o ambiente externo?

“Vá ao imóvel durante o dia, de noite, no final de semana. Você pode descobrir, depois de ter assinado o contrato, que toda quarta-feira acontece, bem na sua rua, uma feira de peixes bem desagradável”, lembra Ricardo.

Bater um papo com o porteiro, zelador ou o síndico é outra sugestão preciosa que te dará mais informações sobre o ambiente que você está considerando se mudar. Sobretudo, você estará se apresentando como um novo vizinho e fortalecendo relacionamento com pessoas que podem te ajudar na adaptação do local.

Documentos básicos para locação

Lembre-se que para alugar um imóvel é necessário alguns documentos básicos: RG, CPF, carteira de trabalho, cópia dos três últimos holerites. É preciso também ter 18 anos ou mais.

Para profissionais autônomos, é necessário apresentar comprovantes de renda (última declaração do Imposto de Renda), declaração oficial do contador (Decore) e declaração da retirada mensal da firma para a qual presta serviço, com a assinatura reconhecida em cartório.

Veja abaixo os documentos necessários para locação, seja pessoa física ou jurídica:

Documentos para todosEmpregado registradoProfissional liberalComerciante
Ficha de informação cadastral devidamente preenchida e assinada na imobiliáriaHolerite (três últimos)Última declaração de Imposto de Renda na íntegra (com protocolo de entrega) ou extratos bancários (três últimos meses)Última declaração de Imposto de Renda (com protocolo de entrega) ou extratos bancários (três últimos meses)
CPF e RGCarteira de trabalho, com registro de trabalho e atualização salarialDecore: declaração oficial do contadorRecibo de pró-labore
Se for casado CPF e RG do cônjugeProfissional com menos de um ano na empresa atual deve apresentar cópia do vínculo empregatício anteriorDeclaração da retirada mensal da firma para a qual presta serviço, com a assinatura reconhecida em cartórioContrato social e última alteração contratual
Telefone da administradora ou cópia do contrato de locação onde reside atualmente acompanhada dos três últimos recibos pagos   
Comprovante de residência   
    
Observação: documentos devem ser apresentados por meio de cópias autenticadas, ou em cópias simples com originais.   
Fonte: Lello Imóveis   

Fontes: UOL | 123 Notícias | Consul. Foto de freedigitalphotos.net.

Willian Binder
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários