Como anda sua dívida pessoal com a família?Contas, investimentos, carnês, depósitos, transferências e etc. Estão alguns dos muitos termos financeiros que fazem parte do dia a dia das pessoas. Pois é, as finanças[bb] podem ir bem ou mal, mas como vai a sua vida pessoal e a de sua família? Conheci homens e mulheres que conseguiram um sucesso estrondoso nos negócios, mas ao longo do tempo se tornaram verdadeiros fracassados no convívio familiar.

Para se defender, dizem que é uma opção de vida. No entanto, é inegável que o insucesso na vida pessoal é enorme e é caracterizada pela solidão. A esta altura você já percebeu que o artigo de hoje será um pouquinho diferente. Considero fundamental a família reservar tempo para o lazer, de forma que todos possam esquecer o atribulado cotidiano. Afinal, pais e filhos merecem e devem compartilhar experiências de todo tipo. Os exemplos ficam para sempre.

“A vida há de ser divertida. Momentos de prazer, alegria e diversão devem ser valorizados e trazidos ao cotidiano do lar; um filme novo no cinema garante ótimas lições; assistir ao jogo de futebol ao lado do irmão faz o coração bater mais forte; ao sorrir deixamos de lado os problemas. Lazer, diversão, pois bem.” (Conrado Navarro, no artigo “A complexa e delicada questão do padrão de vida”)

É claro que para se divertir é preciso ter planejamento e algum dinheiro. Um lanche, a ida ao cinema, uma tarde no parque, tudo custa. Mas é possível ter momentos de entrega total que não podem ser dimensionados sob o aspecto financeiro. Pense naqueles momentos que dinheiro nenhum no mundo seria capaz de pagar. Pois é, eles existem, mas estão sendo cada vez mais negligenciados.

O texto de hoje busca, mais do que levar conhecimento financeiro, uma reflexão sobre o que é realmente importante na vida e do por que lutamos tanto para chegar ao sucesso financeiro. E reforça uma constatação: dinheiro[bb] é importante, desde que seja plenamente aproveitado junto com quem amamos e não se coloque como razão de discussão e discórdia. O papel do dinheiro é outro.

Uma família com as finanças em dia possui possibilidades de conviver em maior harmonia do que uma família com dívidas e cobradores batendo à porta com constância? Nem sempre. Percebemos a inquietude pessoal em muitas famílias financeiramente estáveis. Um choque de valores que afasta pais e filhos, criando um ambiente de aparência em nome do dinheiro. Algumas famílias preferem o status à felicidade plena.

Nesse contexto, aqui no Dinheirama defendemos que a educação financeira deve ser  apresentada dentro de uma realidade em que pessoas aprendam que o dinheiro e o sucesso financeiro são conseqüências naturais e devem ser conquistados com a ajuda de todos na família. Alguns objetivos precisam ser comuns.

Consumo na frente das metas
Olhe e veja o que você está fazendo em relação à sua vida. Você, leitor que busca informação e conhecimento, deve ser o grande exemplo da casa. Incentive a discussão e mostre que todos estão dentro do “mesmo barco”. Seus filhos o respeitarão por serem ouvidos e tomarão gosto por opinar e participar. E isso facilita muito!

Um bom exemplo: as férias da família. Que tal reunir toda a família, um ano antes, e decidir para onde irão e quanto todos precisarão poupar, juntos? Aprenda que planejar pode ser um exercício de integração familiar e a viagem será uma vitória comemorada por todos com muito mais entusiasmo. Quando se vê o esforço valendo a pena, cria-se o senso de responsabilidade[bb].

Viva uma vida plena! Mas lembre-se que ela só será realmente plena se as pessoas que você ama estiverem ao seu lado. Não pelo seu dinheiro, mas pelo seu exemplo, por quem você é e pelo que pratica.  Não caia na tentação do consumo sentimental, afinal dinheiro não compra sentimentos – eles são conquistados com tempo e dedicação e são os bens mais importantes na vida de qualquer pessoa. É hora de dar um abraço em quem você ama!

——
Ricardo Pereira
é educador financeiro e palestrante, trabalhou no Banco de Investimentos Credit Suisse First Boston e edita a seção de Economia do Dinheirama.

Quem é Ricardo Pereira?
Leia todos os artigos escritos por Ricardo

Crédito da foto para stock.xchng.

Ricardo Pereira
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários