Como ganhar com as quedas da bolsa?Não é somente quando a bolsa está no verde que você pode lucrar. É comum vermos na imprensa manchetes do tipo “Bolsa despenca e deixa investidores temerosos” ou “Queda de x% no pregão de hoje assusta investidores”. Notícias como essas não servem de nada senão para tumultuar o mercado e confundir a cabeça do investidor[bb].

As quedas são movimentos naturais. Sempre foi assim e sempre será. Portanto, se deixar levar por notícias exageradas não é saudável nem para a mente, tampouco para o bolso. O investidor precisa aceitar que as quedas fazem parte do jogo e, mais do que isso, precisa aprender a tirar proveito do potencial que as baixas têm de oferecer um lucro tão vantajoso quanto o de uma alta.

A estratégia de ganhar com o mercado em baixa, basicamente, consiste em vender um ativo que não possui na carteira – venda a seco. Para fazer isso corretamente o investidor precisa, antes de mais nada, diagnosticar qual é a tendência do mercado através das formações gráficas. Somente ao constatar um viés baixista é que ele deve operar na chamada mão de venda.

O temor existente em operar, digamos assim, ao contrário, precisa ser esquecido. Os princípios desta operação são exatamente os mesmos do de operar na mão de compra. Você compra objetivando um lucro, que nesse caso virá em caso de queda no preço do papel.

O risco existente é o mesmo nas duas operações e pode ser minimizado simplesmente ao posicionar o stop de start de compra a um preço que você esteja disposto a pagar pelo papel no caso de sua estratégia dar errado. Exatamente como costuma fazer (se tiver o hábito de usar stop) quando compra um ativo apostando na alta, mas posiciona o stop a um valor aceitável para um possível prejuízo.

Em resumo, operar a seco é vender um ativo quando acredita que ele vai cair para depois poder recomprá-lo a um preço inferior ao que vendeu. Gravei dois podcasts específicos sobre como operar mão de venda e sugiro que você os ouça para compreender melhor como se dá a prática desta operação:

Checklist para detectar o movimento do mercado
Entrar em qualquer operação sem ter um objetivo de saída é um erro gravíssimo. Quando o investidor entra sem estratégia, a possibilidade de tomar um prejuízo aumenta exponencialmente. Sem um plano de ação previamente definido, o investidor[bb] corre um grande risco de se deixar levar pelo emocional e perder o controle da situação.

Portanto, siga os passos a seguir para detectar se o momento é de operar na mão de venda ou na mão de compra:

  1. Antes da abertura do pregão, cheque o que está acontecendo com as principais bolsas do mundo. Comece pelos mercados asiáticos, veja a Europa e, em seguida, os EUA. Procure encontrar correlações entre o desempenho destes mercados. Para facilitar a sua vida, o YouTrade publica um vídeo com essa análise diariamente em seu site;
  2. Após verificar o mundo, olhe o gráfico do Ibovespa e identifique sua tendência. Como fechou nos dias anteriores? O que pode se esperar de hoje considerando os últimos pregões e a conjuntura internacional?
  3. Já sabendo qual é a tendência do mercado procure por ativos, dentro do Ibovespa, que estejam caminhando na mesma direção. Se a tendência do mundo e do Ibovespa é de baixa, a probabilidade de ganhar com um ativo que esteja na mesma direção (operando na mão de venda) se torna muito maior do que o oposto. E vice-versa;
  4. Com o ativo escolhido faça uma análise exclusiva dele. Verifique se a correlação com o Ibovespa e com as outras bolsas existe e determine os pontos de entrada e saída. Pronto.

Desejo a você sucesso nos investimentos[bb] e otimos negócios. Até a próxima.

Crédito da foto para freedigitalphotos.net.

Avatar
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários