Como se tornar um investidor de sucesso?Um dos grandes desafios do brasileiro comum é conseguir chegar ao final do mês com a conta no azul. Esta é uma triste realidade de um país que após longo e tenebroso inverno de desconjuntura econômica (década de 80 e boa parte da década de 90), só agora começa a  descobrir os benefícios de uma economia estabilizada e com possibilidades de crescimento sustentável e produtivo para aqueles capazes de realizar um bom planejamento e usar o dinheiro[bb] com inteligência.

A maioria dos investidores de renome não nasceu milionária. Muitos começaram com valores pequenos, mas com grande disciplina. A grande pergunta que surge é: como começar a investir? Gosto de dizer que o inicio se dá justamente pela cabeça. A mentalidade precisa mudar e objetivos claros para o investimento devem ser criados desde o inicio. Defina-os levando em conta:

  • Curto prazo;
  • Médio prazo;
  • Longo prazo;

A idéia fundamental é usar o tempo como aliado e adequar as metas à medida que os momentos de sua vida forem avançando, e cada passo for alcançado. Investir para, de degrau em degrau, conquistar aquilo tudo que se deseja e que está planejado.

Os objetivos de curto prazo
Um dos grandes ensinamentos que deve ser seguido ao iniciar os investimentos[bb] trata do período da aplicação. Quanto maior o tempo para investir, maior pode ser a exposição ao risco, que será diluída ao longo dos anos. Desta forma, para os investimentos de curto prazo o raciocínio deve ser o oposto: para se adquirir uma TV em um prazo de 12 meses, é mais sensato juntar o dinheiro através de uma alternativa mais conservadora, com rentabilidade fixa.

Um bom exemplo é a caderneta de poupança, que ainda não sofreu nenhuma alteração oficial, já que o projeto ainda não foi levado ao Congresso – e que, mesmo que aconteça, contemplará os investidores com valores expressivos. Além de rentabilidade de no mínimo 6% ao ano mais TR, tem garantia de liquidez imediata e não há cobrança de taxas de administração e Imposto de Renda. Guardando um pouquinho, mês a mês, sua TV estará garantida.

Investimentos de médio prazo
Antes de me aprofundar nas dicas sobre os investimentos, cabe um esclarecimento conceitual: quem deve definir o que é curto, médio ou longo prazo é o investidor, personagem responsável pelos investimentos. Ou seja, VOCÊ! A idéia do artigo é justamente despertar o interesse e a pesquisa para, com o passar do tempo, garantir a conquista de objetivos financeiros.

Costumo atribuir ao médio prazo o mínimo de cinco anos. Com no mínimo 60 meses para cuidar dos investimentos podemos perseguir, nesse momento, rentabilidades mais atrativas. Um carro é um bem de valor relativamente alto para a grande maioria das pessoas. Sua compra pode ser programada através de investimentos mensais em produtos mistos que podem, no decorrer do período, oferecer a oportunidade de compra à vista.

Aliás, aproveito a oportunidade para indicar o nosso último podcast: “será que é hora de comprar ou trocar de carro?”. Para esse tipo de investimento, o ideal é diversificar, já podendo inclusive pensar em produtos mais sofisticados, como fundos com baixa taxa de administração e títulos (públicos e privados). Enfrente seu gerente bancário e arranque boas taxas de administração e retorno. Barganhe mesmo, afinal o banco vive do “comércio” de dinheiro; seja persuasivo, insistente e esteja bem informado.

Investimentos de longo prazo
Investimento no Longo Prazo, ao contrário do que muitos pensam, não significa guardar o dinheiro em uma única aplicação por muito tempo. Seria essa a vertente moderna do guardar o dinheiro de baixo do colchão? Quando falamos em investimentos em longo prazo, a idéia é justamente usufruir com grande perspicácia o melhor que o mercado financeiro pode oferecer por um longo período de tempo, mas sempre reavaliando e, se preciso, alterando a estratégia.

Isso quer dizer que quem conhece seus objetivos, conhece, por exemplo, a funcionalidade do mercado de ações[bb] e enxerga boas oportunidades – inclusive aquelas de realizar negócios rápidos como compra e venda de ativos em um mesmo dia, o day trade.

A diferença de quem é vitorioso em sua estratégia de valores está no correto uso do tempo do investimento e da dedicação aos investimentos. Se você perceber que falta tempo para gerir melhor seus investimentos, talvez seja interessante considerar a alternativa de contratar um profissional gabaritado para administrar e gerir seus investimentos – no entanto, uma dedicação mínima é fundamental.

Quando o investimento é planejado para ser alcançado no longo prazo, podemos dedicar e investir valores mensais menores, além de buscar um risco maior com investimentos mais arrojados. Risco que será diluído com o tempo e a correta diversificação.

Suponha que seu objetivo seja alcançar a independência financeira em 15 anos.  O primeiro passo é descobrir qual é o seu padrão de vida atual. Será que o objetivo é plausível? Comece por ai, para que a expectativa seja realista. Tendo essa informação, você precisará encontrar um mix de investimentos que, usados com inteligência nestes 15 anos, garantirão sua aposentadoria e a tranqüilidade de viver com os dividendos de seus investimentos.

Como vê, o segredo do sucesso é o conhecimento adquirido e aplicado no dia-a-dia. Investir tempo e dedicação em aprender mais sobre mercado financeiro é, na prática, mais rentável que a aplicação financeira. Sabendo investigar as alternativas, resta a você separar o montante necessário e alocá-lo para a meta estabelecida. A disciplina garante que você chegará lá no tempo estabelecido, mas só o interesse e o conhecimento são capazes de auxiliá-lo nas boas escolhas.

——
Ricardo Pereira
é educador financeiro e palestrante, trabalhou no Banco de Investimentos Credit Suisse First Boston e edita a seção de Economia do Dinheirama.

Quem é Ricardo Pereira?
Leia todos os artigos escritos por Ricardo

Crédito da foto para stock.xchng.

Ricardo Pereira
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários