Como ser convencido a comprar sem ter a intençãoEstive na cidade de Orlando no inicio de março e não podia deixar passar em branco a experiência. Para quem não conhece, Orlando fica no Estado da Florida, nos Estados Unidos. É lá que fica o maior complexo da Disney, onde há parques temáticos, shows, resorts e etc.

Entretanto, hoje em dia Orlando não é mais famosa somente por ser a casa do Mickey[bb], e sim por ser uma cidade destinada às compras. Até poucos anos atrás, quem ia a Orlando passava por Miami, este sim famosíssimo paraíso das compras. Hoje, visitar apenas a cidade de Orlando já compromete cada centímetro da mala.

Vendo o potencial desta cidade turística, as lojas se instalaram lá e levaram junto suas coleções passadas, montando então grandes centros de descontos chamados outlets. Veja bem, não estou aqui para fazer propaganda da cidade e sim para mostrar como, sem perceber, somos induzidos a comprar. Tirei algumas fotos de lojas grandes e famosas para todos terem uma idéia de quão atrativo tudo se torna.

A primeira foto é da loja de chocolates M&M´s. Hoje as bolinhas coloridas recheadas de chocolate ou amendoim já não são as atrizes principais. Os produtos comercializados variam de canetas a bolsas de designers famosos. Tudo, claro, remetendo aos simpáticos personagens. Mas isso não é só. A marca M&M´s deixa claro que são poucas as lojas em que você pode adquirir um produto deles e, por isso, você se sente tentado a ter peças exclusivas.

Na foto há uma parede de displays com M&M´s de todas as cores, indo das mais claras às mais escuras:

Interior da loja M&M's

Qual a jogada de marketing? Quem não sonhou em comer somente M&M´s vermelhos? E quem consegue escolher a cor mais bonita? Pois é, você vê pessoas com sacos gigantes parecendo um arco-íris. Preço? Óbvio que bem mais caro do que o saquinho comprado no supermercado.

Segunda foto: loja da Best Buy. A Best Buy é uma rede americana de lojas de eletrodomésticos, eletrônicos e afins. Ao entrar na loja, você vê placas enormes no teto indicando quais produtos estão abaixo. Ok, você está à procura de uma bolsa para notebook[bb]. Veja quantos modelos existem. Ao olhar para o lado, você encontra todos os complementos para o seu notebook, desde webcams ate mouse sem fio via bluetooth. Quem não quer facilitar a vida com um acessório desse? Repare na foto:

Interior da loja BestBuy

Para completar, a coisa mais fácil nesta loja é encontrar um vendedor brasileiro, que sabe explicar quais as implicações de se comprar eletrônicos lá, os valores autorizados de gastos da receita federal brasileira e como funciona garantia no Brasil (!!). Coloquei 2 exemplos simples e que são relativamente fora do mundo feminino, senão a área de comentários deste artigo seria bombardeada por discussões de como as mulheres são consumistas.

Para terminar, digo uma coisa: tem muito brasileiro indo fazer compras para revender aqui. Não entrarei no mérito se e certo ou não, se e ético ou não. A única coisa que sei, conversando com compradores profissionais (sim, muitas famílias vivem disso), é que realmente é lucrativo.

Os brasileiros gostam dos produtos americanos e suas marcas fascinam cidadãos do mundo inteiro. Tanto é que o sonho[bb] de muitas empresas brasileiras é conseguir lançar produtos similares que caiam no gosto de todos.

Além disso, as lojas e centros comerciais têm alguns macetes inteligentíssimos para impulsionar vendas. Placas como “Compre 2 e leve 3” são praticamente obrigatórias. Ou ainda “Compre US$ 100 em produtos e ganhe determinado brinde”. E não é só isso. Seus shoppings não têm fila para entrar no estacionamento – menor chance de desistência -, não têm relógios de fácil acesso – maior a facilidade de perder o controle – e disponibilizam mapas do shopping e talões de desconto para as lojas.

Mais? Restaurantes em um único lugar, fechado, onde suas mesas são apertadas e o ambiente faz com que passemos o menor tempo possível lá dentro. Apelo anti-ético? Não. As pessoas são livres para fazer o que bem entendem.

Por isso, vale sempre usar o bom senso. Saiba ate onde pode ir. Respeite seus limites e os limites de seu orçamento. Não tenha a mentalidade “não sei quando terei oportunidade de voltar” para justificar a compra desenfreada. O problema só vai se agravar. Afinal, aqui já sabemos que com um bom planejamento financeiro[bb] todos os nossos sonhos podem ser realizados.

Crédito da foto: freedigitalphotos.net e Mariana Prates.

Avatar
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários