Um dos meios de pagamento mais comuns entre os brasileiros, o cartão de crédito não é, por si só, um vilão do orçamento. Indispensável para a vida da maioria das famílias, esse meio de pagamento pode ser um grande aliado caso seja bem utilizado. Mas, quem não sabe usá-lo pode prejudicar sua vida financeira, ao se afogar em dívidas e estourar seu limite.

Segundo dados do Banco Central, o juro médio total cobrado no cartão de crédito subiu 3,6 pontos porcentuais de junho para julho. Com a alta na margem, a taxa passou de 87,3% ao ano para 90,9%. O juro do rotativo é a taxa mais elevada desse segmento e também a mais alta entre todas avaliadas pelo BC, batendo até mesmo a do cheque especial. Atingiu a marca de 395,3% ao ano!

Diante dessa exorbitante taxa de juros, o principal erro em relação ao cartão é pagar a parcela mínima. É importante se planejar para efetuar o pagamento do valor total da fatura para evitar que a cobrança de juros se acumule e acabe virando uma bola de neve.

Portanto, se as contas saíram do controle e está difícil pagar o valor integral, negocie o quanto antes. Ao conversar com o credor exponha sua situação financeira e o quanto pode pagar. Além disso, reflita se a nova mensalidade cabe no seu bolso. Não adianta fazer um acordo, pagar uma ou duas parcelas, e depois voltar a ser inadimplente.

De acordo com José Carlos Polidoro, professor do curso de Administração da Anhembi Morumbi, outro ponto que merece atenção são as tarifas que as administradoras estão cobrando para o fornecimento e manutenção de cartões de crédito.

“Às vezes, a tarifa cobrada se torna cara quando o valor das compras mensais (ou limite de crédito) é pequeno para absorvê-la. Tente negociar sua tarifa com a administradora antes de começar a usar seu cartão de crédito. Não caia na tentação de possuir vários cartões, pois as tarifas pesarão ainda mais”, alerta José Carlos.

Por esse motivo, a recomendação de especialistas é de não ter mais de dois cartões por bandeiras. Além disso, concentrar os gastos em um único cartão só traz vantagens como isenção de anuidade, pontuação de programas fidelidade/milhagem e facilidade no controle dos gastos.

Caso opte por ter mais de um cartão, olhe com atenção a soma dos limites. O ideal é que todos os limites somados não ultrapassem 50% da renda líquida mensal.

Leitura recomendada: 3 Coisas sobre cartão de crédito que você precisa saber

Confira outras dicas de uso “inteligente” do cartão de crédito:

  • Estabeleça conscientemente seu limite de crédito. “Seja rigoroso neste sentido e não caia na tentação de aceitar limites aprovados sem a devida análise. Pode ser uma armadilha para você ter sua dívida triplicada num espaço curto de tempo”, afirma Polidoro;
  • Controle muito bem os parcelamentos feitos no cartão. A soma do valor da parcela de cada compra efetuada já poderá estar próxima do seu limite conscientemente estabelecido, podendo inclusive comprometer sua renda mensal;
  • Cuidado com sua senha e com as compras eletrônicas. A vantagem de segurança que o cartão de crédito representa para você não precisar andar com “dinheiro vivo” na carteira, poderá se transformar num enorme pesadelo;
  • Escolha a data de vencimento perto do seu salário para não correr o risco de gastar o dinheiro da fatura com outra coisa. Além disso, descubra qual a melhor data para compra, já que ela possibilita o maior prazo para pagamento.
  • Aproveite a vantagem de a fatura do cartão ser um excelente extrato, com informações detalhadas. Ao agrupar essas informações em categorias de gastos como alimentação, vestuário, lazer, etc. é possível acompanhar seus gastos, avaliar prioridades e possíveis reduções no mês a mês.

Leitura recomendada: Armadilhas do cartão de crédito que você deve evitar

O Conrado Navarro, idealizador do Dinheirama, gravou uma vídeo bem objetivo sobre o cartão de crédito, suas armadilhas, vantagens e desvantagens, assista:

Cartão de crédito é uma ferramenta, um meio de pagamento, e por isso requer que os cuidados associados às compras estejam associados aos limites do orçamento, não ao limite de crédito.

Foto “Credit card hook”, Shutterstock

Isabella Abreu
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários