Este texto é sobre controle – ou a falta dele. Confesso que uma das coisas com as quais estou aprendendo a lidar nos últimos tempos é tentar parar de resolver e programar tudo ao meu redor, simplesmente porque no fundo existem as coisas que dependem unicamente de nós (e são muitas!) e aquelas que não dependem, e é preciso entender e saber separar quando se trata de uma ou outra categoria. Você também pensa assim?

É claro que, assim como quando falamos de uma carteira de investimentos, a gente sabe que dá para minimizar alguns riscos. Mas ainda assim, na vida a gente pode até minimizar estes riscos, não sair na chuva, atravessar na faixa, fazer tudo certinho, mas de repente tem que lidar com o inusitado. E como agir diante disso? Como você faz?

O inesperado é algo comum

Nesta semana algo fora do esperado me ocorreu. Tinha uma passagem comprada há meses para Londres e esta passagem tinha um voo curtinho de conexão em Frankfurt.

Pois bem, exatamente no dia em que meu avião pousaria em Frankfurt, os agentes de segurança do aeroporto decidiram fazer uma greve, de forma que as companhias aéreas passaram a cancelar seus voos e remanejá-los.

Pois bem, meu voo foi cancelado e mudado para um novo horário. Mas quando estava saindo para o aeroporto, a mesma companhia me enviou um e-mail explicando que havia feito uma nova troca, mas desta vez eu teria que ir para os Estados Unidos, ou seja, um voo de muitas horas para outro continente, para conseguir sair de lá na noite seguinte e embarcar rumo à Europa. Não havia outros voos na data escolhida.

Minha primeira reação foi não acreditar no que estava acontecendo. Depois, saí correndo para o aeroporto, fui me acalmando pelo caminho, e já pensando no que faria com as 12 horas de espera totalmente fora do planejado. Quando cheguei resolvi adotar realmente aquele frase sobre “fazer do limão uma limonada”. Ou ficaria 12 horas aguardando o próximo voo longo no aeroporto, ou aproveitaria para passear um pouco por Nova York. Foi o que fiz. No final do dia estava esgotada, mas com a certeza de que foi a melhor opção.

Fazer da dificuldade algo positivo

Quis contar essa historinha porque de fato há momentos na vida em que tudo que podemos fazer é encarar os fatos e agir. Desta vez foi algo positivo, afinal, tive a oportunidade de conhecer um pouquinho de uma cidade que ainda não conhecia. Mas poderiam ser tantas outras coisas… uma amiga, por exemplo, teve de desistir de uma viagem à Jordânia com tudo pago pelo Ministério de Turismo, porque ela pegou uma sinusite tão forte que a impediu de viajar de avião. Um colega estava de casamento marcado e a noiva desistiu alguns dias antes. Outra recebeu a notícia de que o tradutor contratado para um evento que administrava simplesmente havia desistido do trabalho algumas horas antes do início. Ufa! Provavelmente você já passou por algo assim na vida,não é?

Devo dizer que ainda estou aprendendo, por isso não tenho receita pronta nem nada do tipo. Mas acredito que o segredo para lidar com o inesperado é aceitar que ele existe e simplesmente agir quando estivermos diante de uma situação assim. Quando não dá para mudar o rumo da coisa ou quando não dá para decidir por conta própria, o que precisamos aprender a fazer é lidar com o que está diante de nós da melhor maneira possível. Tire uns minutos para respirar, volte à realidade, e trace os novos planos a partir daí o mais rapidamente possível!

Conclusão

Nestes momentos, normalmente não temos tempo para pensar muito. A realidade se apresenta da forma como é e exige respostas rápidas, mais ou menos como um daytrader precisa fazer quando está comprando e vendendo ações na Bolsa de Valores.

Pode até ser que na hora, sem muito pensar (afinal não contamos sequer com alguns gráficos para nos auxiliar, não é mesmo?), a alternativa escolhida nem seja a melhor possível, mas certamente será melhor do que não fazer nada!

Lembremos que, quando falta ação de alguma forma, a própria vida vai nos apresentando situações onde é necessário agir. E é assim, agindo cada vez mais, ainda que de forma atrapalhada, que vamos melhorando nosso poder de pensar rápido e executar da melhor forma possível dentro de situações inesperadas. Vamos juntos?

Janaína Gimael
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários