Encontrei o livro de David Simon por acaso, em uma daquelas feiras de livros nas quais você procura algum ou alguns que possa levar para casa, sabe? O nome é: “Comprometa-se! Transforme suas intenções em decisões”. E posso dizer que ele acabou se tornando um daqueles que leio sempre que preciso me lembrar de algumas coisas importantes relacionadas às minhas atitudes na vida.

O que essa obra diz? Para começar, afirma que “compromisso é uma intenção centrada no sentido da realização dos nossos desejos mais profundos”. Ou seja, é o nosso real compromisso com a vida que a tornará mais bonita e feliz para se viver, entende? Depende de nós, quando compromissados, quebrarmos hábitos que nos confinam à prisão do condicionamento.

Porque sempre dizemos aqui que continuar na zona de conforto é muito mais fácil, não é? Mas pode levar muitas oportunidades embora! Por isso é tão importante que não esperemos as mudanças caírem do céu, mas que nos comprometamos, dia após dia, a tornar essas mudanças mais possíveis.

O autor lembra, inclusive, que Albert Einstein definiu a insanidade como “fazer a mesma coisa repetidamente esperando alcançar resultados diferentes”. Faz sentido? Geralmente queremos mudanças, mas não queremos mudar. Parece que tem algo que não se encaixa, não é?

Este livro é tão legal que resolvi fazer um artigo para compartilhar e refletir com você sobre alguns de seus pontos importantes. Vamos pensar a respeito dos 10 compromissos necessários para a felicidade? Este artigo está separado em duas partes para que fosse possível falar sobre cada ponto de uma forma minimamente razoável sem tornar a leitura muito densa.

Separei, nesta primeira parte, alguns pontos relacionados aos primeiros 5 compromissos mencionados no livro. Os outros 5 virão no próximo artigo, combinado? Para um aprendizado mais profundo, vale a leitura integral da obra!

Os 5 primeiros compromissos para ser mais feliz

  1. Comprometa-se com a liberdade – Diz o autor que a liberdade interna genuína é a meta final da vida, que transcende as situações e circunstâncias externas. Muita gente acredita que não é feliz porque se apega a crenças limitantes, reações e comportamentos achando que tem que ser assim. É o tal de “Estou deprimido porque meu casamento é abusivo”, “Tenho esta úlcera por causa de meu chefe” ou “Quando meu filho crescer conseguirei me libertar desta relação”. Ora, o primeiro compromisso para a felicidade, segundo o autor, é o comprometimento com o abandono de reações condicionadas e comportamentos que nos sugam energia. “Escute sua mente anterior e identifique onde você está vivendo em regime de escravidão…A liberdade é ampliada ao canalizarmos nossas energias para as opções disponíveis e fazermos as escolhas que tem a maior probabilidade de aumentar a paz e a felicidade em nossas vidas”.
  2. Comprometa-se com a autenticidade – Autenticidade, segundo o autor, é o alinhamento entre as nossas crenças, desejos e escolhas no mundo. Quando agimos de forma a tornar improvável cumprir nossos desejos genuínos, sentimos o desgaste interior de uma vida desalinhada. Ou seja, é preciso que a gente se lembre que ninguém é igual a ninguém. Meus desejos e sonhos são diferentes dos seus, e a cada um de nós cabe o compromisso de nos comprometer um pouco mais com o que queremos e nos faz feliz, de sermos mais autênticos na vida. Se Maria quer um filho, mas eu quero um cachorro, está tudo bem. Assim como se João quer um carro, e Antonio uma viagem, percebe? Somos responsáveis pelas nossas escolhas, e que bom que pode ser assim.
  3. Comprometa-se com a aceitação – O autor nos lembra que às vezes a vida evolui à maneira que nós queremos, mas às vezes não. E quando falta alinhamento entre essas coisas, sentimos desarmonia e tensão, e podemos agredir com palavras e ações as pessoas ao nosso redor. O que fazer para sermos mais felizes mesmo nestas circunstâncias? Primeiramente, libertar-nos do passado, aceitarmos o presente e estarmos abertos ao futuro. “O compromisso de praticar a aceitação inclui aceitar que, às vezes, haverá momentos em que pode ser difícil conformar-se com a maneira como as coisas estão. Embora esses tempos possam ser difíceis, eles consistem em oportunidades para tremendos crescimentos pessoais”.
  4. Comprometa-se a relaxar – Opa, isso a gente volta e meia fala aqui! É importante que, apesar de toda a correria dos tempos atuais, a gente arrume um tempo para descansar, relaxar, fazer nada. O ser humano, biologicamente, não foi feito para viver nesta maluquice em que vivemos, portanto, cabe a nós encontrar um equilíbrio para manter a saúde e a mente sãs. “Quando você se permite relaxar, sua mente expande. Nessa expansão, você vê coisas de forma mais ampla… Respeite os ritmos naturais da ação e do relaxamento. Esta é uma fórmula eterna para o êxito e a felicidade”.
  5. Comprometo-se com a totalidade – Comprometer-se com a totalidade quer dizer que é preciso aceitarmos que temos lados diferentes dentro de nós. Temos energias masculinas, femininas, infantis. Nossa natureza possui muitas dimensões e é saudável nos liberarmos para vivê-las. “Abraçar a totalidade daquilo que significa ser humano enriquece cada aspecto da vida. Quanto mais amplamente você conseguir se enxergar, mais será capaz de aceitar os outros. Comprometa-se em conhecer mais e amar sua criança interior, seu adulto poderoso e seu sábio versado”. Ah, sim, e isso pressupõe menos julgamento e intolerância, tanto para consigo mesmo quanto para com os outros, combinado?

No próximo artigo vamos refletir sobre os próximos 5 compromissos para uma vida mais feliz! Espero que comecemos aqui a fazer a diferença em nosso dia a dia para alcançar mais harmonia e sucesso em tudo que desejarmos!

Janaína Gimael
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários