Home Empresas Conselho da Light aprova termos do novo plano de recuperação judicial

Conselho da Light aprova termos do novo plano de recuperação judicial

A companhia também propôs o pagamento integral de credores que tenham individualmente créditos equivalentes a até 30 mil reais

por Reuters
3 min leitura

 A Light (LIGT3) informou que seu conselho de administração aprovou na segunda-feira os termos do novo plano de recuperação judicial da companhia, que busca aprovação de credores para reestruturar dívidas de cerca de 11 bilhões de reais em assembleia marcada para quinta-feira desta semana.

O novo plano do grupo de energia elétrica prevê, entre outras medidas, um aumento de capital de 1,5 bilhão de reais, que será ancorado pelos acionistas de referência da Light, além da possibilidade de conversão de créditos em ações da companhia via debêntures conversíveis.

APRENDA COMO MULTIPLICAR E PROTEGER SEU CAPITAL INVESTIDO POR MEIO DAS CRIPTOMOEDAS E ACELERE A SUA JORNADA RUMO À LIBERDADE FINANCEIRA

A companhia também propôs o pagamento integral de credores que tenham individualmente créditos equivalentes a até 30 mil reais.

Segundo a Light, os novos termos do plano de recuperação refletem mudanças que visam “maior alinhamento com os interesses dos credores e demais ‘stakeholders'”.

A empresa também ressaltou que sua recuperação econômico-financeira permitirá a continuidade da prestação dos serviços do grupo, que atua nos segmentos de distribuição, geração e comercialização de energia elétrica.

Também na véspera, a Light informou que assinou um acordo anunciado na semana passada com gestores de fundos titulares de cerca de 4,9 bilhões de reais em debêntures emitidas pela companhia. O acordo envolve parte expressiva dos credores da recuperação judicial.

Veja o documento

O Dinheirama é o melhor portal de conteúdo para você que precisa aprender finanças, mas nunca teve facilidade com os números.

© 2024 Dinheirama. Todos os direitos reservados.

O Dinheirama preza a qualidade da informação e atesta a apuração de todo o conteúdo produzido por sua equipe, ressaltando, no entanto, que não faz qualquer tipo de recomendação de investimento, não se responsabilizando por perdas, danos (diretos, indiretos e incidentais), custos e lucros cessantes.

O portal www.dinheirama.com é de propriedade do Grupo Primo.