Home Investimentos Crise nos mercados = Saldão na Bovespa?

Crise nos mercados = Saldão na Bovespa?

por Ricardo Pereira
0 comentário

O mercado de ações ao seu alcanceA leitura que podemos fazer do atual momento econômico nos leva a duas grandes constatações: a primeira, e mais obvia, é a evidente alta dos preços. Tudo está mais caro. A segunda constatação é de que esta pode ser a hora de entrar no mercado de ações[bb], devido aos ativos “baratos” de boas empresas. Será que estamos diante de um saldão de ativos? Alguns acreditam que sim. E você?

Crise é oportunidade de crescimento
Desde a década de 1980, a Bovespa passou por 13 grandes crises. Passado cada furacão, o saldo final das crises foi, em alguns casos, de desvalorização de mais de 50% do índice Bovespa. Em uma tradução simplista, durante as crises os investidores chegaram a “perder” metade do seu investimento.

Cada crise teve seu motivo – e outras virão com outros mais -, mas o fato concreto é que não existem crises eternas. Mais, crises são ótimas oportunidades para o que o investidor antenado perceba e aproveite ótimas chances de ganhar, comprando na baixa. Ou não é verdade que quem entrou na bolsa nos piores momentos se deu muito bem? Afinal, a tendência de alta no longo prazo se mantém inalterada.

Dados econômicos e previsões
A maioria dos analistas acredita que, até o final do ano, o Ibovespa volte a encontrar sua tendência de valorização e chegue próximo dos 80.000 pontos. Difícil de acreditar? Nem tanto.

O PIB previsto para o ano é da ordem de 4%, um crescimento considerável para um ano cheio de volatilidades e preços em disparada. Mesmo a inflação, que fugiu um pouco do centro de sua meta, pode – veja bem, pode –, através dos ajustes, encontrar um destino não tão cruel.

Como assim comprar na baixa?
Não é segredo para ninguém (assim espero) que o sucesso do investidor[bb] em termos de resultado aparece com mais força justamente quando ele consegue comprar boas ações na baixa, medindo o seu potencial de valorização, e então vendê-las futuramente por um preço muito mais interessante.

O caso da Vale é um exemplo bastante didático: nos últimos 30 dias, a mineradora teve uma desvalorização de aproximadamente 20%. Mas quem discorda da potencialidade do papel da empresa, analisando o crescimento do setor e a administração profissional e arrojada da empresa?

Com base em recente reportagem da Revista Exame e nos relatórios das empresas Àgora Corretora, Coinvalores, CMA, Infinity, Link Corretora, Corretora SLW, Solidus, Souza Barros, Spinelli e Unibanco, listo algumas sugestões de empresas com bom potencial de valorização para os próximos 12 meses:

  • MARCOPOLO – 78%
  • BANCO DO BRASIL – 66%
  • UNIBANCO – 54%
  • BRADESCO – 52%
  • B2W – 49%
  • VALE – 48%
  • USIMINAS – 48%
  • LOJAS AMERICANAS – 41%

Estes são apenas alguns exemplos citados por profissionais do mercado. Não trata-se de simples recomendação, mas de alerta para as boas oportunidades enquanto vivemos a crise. Afinal, a vida é feita de oportunidades e saber identificá-las é fundamental. Se você está atento, está sempre um passo a frente. Até sexta.

——
Ricardo Pereira é consultor financeiro, trabalhou no Banco de Investimentos Credit Suisse First Boston e edita a seção de Economia do Dinheirama.
▪ Quem é Ricardo Pereira?
▪ Leia todos os artigos escritos por Ricardo

Crédito da foto para stock.xchng.

Sobre Nós

O Dinheirama é o melhor portal de conteúdo para você que precisa aprender finanças, mas nunca teve facilidade com os números.  Saiba Mais

Assine a newsletter “O Melhor do Dinheirama”

Redes Sociais

© 2024 Dinheirama. Todos os direitos reservados.

O Dinheirama preza a qualidade da informação e atesta a apuração de todo o conteúdo produzido por sua equipe, ressaltando, no entanto, que não faz qualquer tipo de recomendação de investimento, não se responsabilizando por perdas, danos (diretos, indiretos e incidentais), custos e lucros cessantes.

O portal www.dinheirama.com é de propriedade do Grupo Primo.