Cuidado com os seus sentimentos!Crise. Que palavra é essa que insiste em nos assolar? Para todas as idades, fases e momentos existe uma crise[bb]. Para o dinheiro talvez existam crises demais, concordo! Mas será que sabemos o que realmente uma crise significa? Melhor, será que crise é algo que pode ser definido? Como sempre, vou me arriscar. Defino crise como a situação onde sempre há algo sobrando, algo demais.

Somos condizentes demais, teimosos demais, insistentes demais, chatos demais, coniventes demais. Uau, usei demais a palavra demais. Crise gramatical? Pois é, exageramos em algo e a crise se instala. Aplique este conceito ao seu universo financeiro[bb], tente enumerar o que anda fazendo demais e certamente encontrará a origem da crise. Gastando demais? Hum!

Até parece fácil…
Ouvi, certa vez, um especialista em comportamento afirmar que para não entrar em crise (ou para sair dela) a solução é tirar o que está sobrando. Menos corrupção, menos egoísmo, menos armamentos, menos falação. Faz sentido! Vejamos o exemplo da própria palavra crise: se tirarmos a letra ‘s’, que pode estar “sobrando”, encontramos a palavra crie. Interessante para um exercício simples de reflexão.

  • Será que não existe algum ‘s’ a mais no seu dia-a-dia? E nas finanças?
  • Será difícil começar a viver a vida transformando crises em oportunidades, deixando de lado o exagero?

Comece pela sua casa.
Aposto que por ai existem diversas coisas entulhadas, que você um dia afirmou que serviriam pra alguma coisa e acabou não usando para nada. Confesso que aqui em casa (especialmente no meu quarto) existem alguns desses objetos. Será a crise? Este é apenas um exemplo. A atitude e o comportamento é que fazem a real diferença diante dos problemas. Ainda bem que onde existe a palavra crise existe também a palavra crie, basta ajustarmos nosso foco para conseguirmos enxergá-la.

  • O que você tem feito para eximir-se de suas crises?
  • Será que não anda concentrado demais em procurar a saída quando você poderia já enxergar-se do lado de fora?

Crises são caixas nas quais nós mesmos entramos, quase que por livre e espontânea vontade. Sair delas depende, antes de tudo, de nossa atitude. Queremos estar ali para nos escondermos do mundo, dos problemas financeiros, da vida.

Olhe pela varanda ou janela de sua casa. Quantas pessoas você vê andando em caixas de papelão como se fossem roupas? Metaforicamente falando, são muitas! Por que? Ora, vestir uma crise é mais fácil do que enfrentar nossos problemas, nossa situação. Afinal, a culpa é sempre dos outros, não é mesmo? Somos perfeitos, a vida que é injusta. Está reparando algo sobrando nesse parágrafo? Olha ai a crise chegando de novo.

Contra a crise não há remédio, porque ela não é doença. Não há resposta, porque ela não é pergunta. Contra a crise não há solução, porque ela não é um problema. Sorria, essas são boas notícias. A crise é uma situação, “escura” e incômoda, que insistimos viver. Tudo porque somos seres humanos que se excedem e se decepcionam, que esperam muito da vida quando a vida não quer esperar. Tudo bem.

Tudo bem?
Na definição que procuro usar no meu dia-a-dia e diante de meus problemas, crise é apenas uma palavra que, como qualquer outra, pode ser facilmente transformada. Crie seu caminho, seu destino, sua vitória. Quando estiver passando por um momento de turbulência, experimente levar-se mais a sério e acredite mais tanto em seu talento quanto em seu potencial. Preste atenção em alguns detalhes:

  • Não permaneça muito tempo isolado, longe dos amigos ou da família. Tenha um tempo só seu, mas lembre-se de que é preciso cultivar e valorizar aqueles que são parte essencial de seu crescimento;
  • Leia muito. Mas leia bons livros[bb] e periódicos. Leia sobre um tema que desconhece totalmente e aprenda como cultura é algo poderoso, essencial, quase mágico.
  • Mantenha sua capacidade de sorrir, para si e para os outros. O bom humor e a amabilidade trazem conquistas pessoais indescritíveis quando usados com o coração. Sorria porque é bom sorrir, não custa e não tem efeito colateral.
  • Nenhuma crise é melhor ou pior que a crise dos outros, do país, do mundo. Crise é crescimento, é amadurecimento. Crise é aprendizado. Portanto, e finalmente, crise é oportunidade. Aproveitá-la é uma decisão sua. Nada melhor do que poder escolher.

Espero ter iluminado um pouco seu dia, trazendo palavras amigas, sinceras, repletas de respeito e admiração. Reavalie suas prioridades e lembre-se de sempre incluir-se em seus próprios planos. A pior crise é aquela que demonstra como somos indiferentes com nossos próprios sentimentos. A culpa, muitas vezes, acaba recaindo sobre o dinheiro! Parece fácil…

Crédito da foto para Marcio Eugenio.

Conrado Navarro
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários