No Brasil, a grande maioria das pessoas não sabe exatamente quanto paga para deixar seu dinheiro no banco. É bem comum os investidores iniciantes não saberem o % do CDI que o dinheiro está rendendo em um fundo e muito menos quanto pagam de taxa de administração por isso.

O simples fato de o patrimônio estar crescendo no banco já dá a falsa sensação de “rendimento”. E aqui estão os principais pontos da reflexão que proponho:

  • Quanto poderia estar rendendo a mais se o dinheiro estivesse melhor investido?
  • Quanto a menos de custo poderia ter o investidor ao escolher um investimento melhor?

A equação envolvendo as respostas para estas perguntas gera uma rentabilidade bem superior ao final de qualquer período. Entenda melhor estas diferenças acessando um material gratuito sobre investimentos (clique aqui) e também sobre renda fixa com taxas melhores (clique aqui).

Aos poucos, com as corretoras oferecendo uma enorme gama de produtos consolidados na mesma plataforma, os clientes começam a abrir os olhos e efetivamente comparar.  Por que só comprar/investir em produtos do Banco, se você pode consolidar vários investimentos, de diversos bancos, em um único local?

Para tornar o texto mais interessante e fácil de entender, vamos comparar esta situação com a do Futebol. Um treinador de futebol só pode escalar os jogadores do próprio clube; na seleção, o treinador escolhe os melhores de cada posição e monta um time ideal.

Na corretora, é assim que funciona: selecionamos os melhores produtos (LCIs, CDBs, Fundos, Tesouro Direto) e o cliente escolhe onde quer aplicar. E o melhor: a visualização é toda consolidada em um único site, com um custo muito menor e de forma muito mais intuitiva.

O problema não é tão alarmante nos clientes “Privates”, dado que esse perfil de cliente já costuma ter acesso a taxas melhores e a custos reduzidos.

Porém, quando se olha para a imensa maioria dos clientes no Brasil, é fácil notar sugestões de investimento em poupança, CDBs pagando 88% do CDI e até mesmo fundos de renda fixa cobrando mais de 1% de taxa de administração e gerando menos de 93% de retorno sobre o CDI. Isso é um absurdo!

Por que hoje, diante da atual situação, se oferece poupança e não Tesouro Direto? Simples: porque o lucro do Tesouro Direto para as instituições é muito menor do que o da caderneta.

Chegou a hora de você, cliente, escolher o melhor para você, e não para o banco! Pense nisso! Para conhecer melhor investimentos conservadores com retornos muito maiores que os dos bancos, clique aqui. Obrigado e até a próxima!

Nota: Esta coluna é mantida pela Rico.com.vc, que contribui para que os leitores do Dinheirama possam ter acesso a conteúdo gratuito de qualidade.

Foto “Best investment”, Shutterstock.

Alexandre Issa
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários