Home Meio Ambiente Desmatamento na Mata Atl√Ęntica cai 26% em 2023

Desmatamento na Mata Atl√Ęntica cai 26% em 2023

As cidades com maior área desmatada de agosto de 2022 a junho de 2023 foram São Francisco de Paula (RS), Bom Jesus (RS), Ibicuí (BA), Vacaria (RS) e Itapetinga (BA)

por Agência Gov
3 min leitura

O desmatamento na Mata Atl√Ęntica caiu 25,9% de agosto de 2022 a julho de 2023 em rela√ß√£o ao per√≠odo anterior, apontam dados do sistema Prodes, do Inpe, divulgados nesta quarta-feira (3/7).

A área desmatada no intervalo foi de 765 km², a menor desde que a série histórica começou a ser contabilizada em 2001.

As informa√ß√Ķes foram apresentadas pelas ministras Marina Silva e Luciana Santos (MCTI) em entrevista coletiva na sede do MCTI, em Bras√≠lia (DF).

Tamb√©m foram divulgados dados que indicaram quedas do desmatamento em 2024 na Amaz√īnia e no Cerrado.

“Esta queda veio ap√≥s anos de crescimento acelerado: em 2020, foram desmatados 790 km¬≤ e, no ano seguinte, 927 km¬≤. Passamos da casa dos 1.000 km¬≤ em 2022, e agora tivemos uma queda de quase 26%.

√Č um feito enorme neste bioma, que √© um dos mais amea√ßados do pa√≠s”, afirmou o secret√°rio-executivo do MMA, Jo√£o Paulo Capobianco.

Três quartos do desmatamento registrado no período concentra-se em cinco estados: Minas Gerais (22,8%), Bahia (21,9%), Rio Grande do Sul (11%), Santa Catarina (10,6%) e Paraná (10,3%).

As cidades com maior área desmatada de agosto de 2022 a junho de 2023 foram São Francisco de Paula (RS), Bom Jesus (RS), Ibicuí (BA), Vacaria (RS) e Itapetinga (BA).

“As principais regi√Ķes est√£o na √°rea entre o norte de Minas Gerais e no sul da Bahia, al√©m do Rio Grande do Sul”, disse Silvana Amaral, pesquisadora do Inpe.

Dados foram divulgados pelas ministras Marina Silva e Luciana Santos (MCTI) em entrevista coletiva
(Imagem: Arquivo/EBC)

A divulga√ß√£o ocorreu no mesmo dia de semin√°rio t√©cnico-cient√≠fico para elabora√ß√£o do Plano de Preven√ß√£o e Controle do Desmatamento (PPCD) da Mata Atl√Ęntica. Planos para a Amaz√īnia e o Cerrado foram lan√ßados em 2023, e para os demais biomas ser√£o lan√ßados neste semestre.

“Falar de desmatamento zero na Mata Atl√Ęntica j√° est√° defasado. Precisamos √© falar de recuperar 30% do bioma, no m√≠nimo”, afirmou o secret√°rio de Controle do Desmatamento do MMA, Andr√© Lima, no semin√°rio.

A Mata Atl√Ęntica se estende pela costa do pa√≠s, do Rio Grande do Norte ao Rio Grande do Sul. Al√©m das florestas nativas, re√ļne tamb√©m ecossistemas associados (manguezais, vegeta√ß√Ķes de restingas, campos de altitude, brejos interioranos e encraves florestais do Nordeste).

De acordo com o Inpe, 71,6% da vegeta√ß√£o nativa do bioma foi desmatada em raz√£o da explora√ß√£o durante os ciclos econ√īmicos da hist√≥ria do pa√≠s, da constru√ß√£o de rodovias e ferrovias, do avan√ßo da pecu√°ria e da expans√£o urbana, entre outros fatores. Cerca de 70% da popula√ß√£o brasileira vive hoje na Mata Atl√Ęntica.

O Dinheirama √© o melhor portal de conte√ļdo para voc√™ que precisa aprender finan√ßas, mas nunca teve facilidade com os n√ļmeros.

© 2024 Dinheirama. Todos os direitos reservados.

O Dinheirama preza a qualidade da informa√ß√£o e atesta a apura√ß√£o de todo o conte√ļdo produzido por sua equipe, ressaltando, no entanto, que n√£o faz qualquer tipo de recomenda√ß√£o de investimento, n√£o se responsabilizando por perdas, danos (diretos, indiretos e incidentais), custos e lucros cessantes.

O portal www.dinheirama.com é de propriedade do Grupo Primo.