As grandes marcas fazem muito bem o seu trabalho de publicidade e somos conquistadas por cabelos sedosos que a modelo joga de um lado para o outro ou pelo creme “milagroso” que promete uma pele de pêssego em apenas algumas aplicações. Felizmente, cuidar da beleza (pele, cabelo ou corpo) não precisa ser algo muito complicado e nem mesmo caro.

Além disso, o mercado da beleza é tão vasto que hoje existe produto para tudo que é tipo de problema, até para aqueles que a gente nem imaginava que fosse realmente um problema (é aqui que as marcas ganham dinheiro para valer).

Passamos a ter necessidades que antes não tínhamos, pois nos espelhamos naquela modelo maravilhosa da revista. E quem disse que existe um padrão a ser seguido? Feito o desabafo, vamos lá!

Tem jeito de se cuidar sem gastar rios de dinheiro. Com alguns truques caseiros, dicas para economizar e pequenas mudanças de hábito você vai ter mais dinheiro sobrando e vai se sentir bela (ou belo)!

Lembre-se que diante da situação econômica atual, não está fácil para ninguém. E não pense que estamos ilesos, não. Com tanto problema na economia, o nosso dinheiro perde cada vez mais poder de compra, tudo fica mais caro e hoje, mais do que nunca, ninguém deve se sentir 100% seguro no emprego em que está. Por isso, pense duas vezes antes de cair na euforia e sair gastando, ok?

Algumas dicas para economizar nos hábitos de beleza

Alguns cuidados pessoais que são feitos por profissionais, podem ser feitos por você mesmo. Claro que não estamos falando para se aventurar e fazer coisas complicadas ou que exigem cuidado ou manuseio de produtos por profissionais. Com um pouco de paciência dá para aprender a fazer coisas simples em casa. Dá uma olhada!

1. Aprenda a fazer hidratação em casa

É claro que é uma delícia ir ao salão e ter alguém para massagear a cabeça enquanto passa produtos com cheiros deliciosos no cabelo. Mas, cá entre nós, sabemos bem que é possível fazer uma boa hidratação em casa. Garanto que com o preço de uma hidratação no salão você consegue investir em uma boa máscara capilar que irá durar muitas aplicações.

2. Aprenda a fazer as unhas

Se você costuma ir ao salão para fazer as unhas, te convido para fazer uma conta simples. Calcule quanto gasta por mês e depois em um ano. Eu te ajudo na conta. Quem faz as unhas uma vez por semana, só em 2016 vai gastar mais de R$ 1000,00 (considerado o serviço por R$20,00).

E olha que esse valor é barato se considerar um salão comum na zona sul ou oeste da cidade de São Paulo, por exemplo. Hoje em dia, com tutorial em vídeo na Internet dá para aprender o que quiser! Por isso, invista em um bom kit manicure e mãos à obra! Depois de algumas tentativas você pega o jeito e economiza.

Leitura recomendadaComo as mulheres lidam com as finanças?

3. Pesquise antes de comprar

Vou te contar uma coisa: aquela pele maravilhosa que foi prometida pelo creme ultra-high-concentrate-master-blaster e tudo mais que você viu na revista não foi conseguida com o tal do sérum, e sim com um belo filtro digital (ou Photoshop, se preferir).

Por isso, antes de pedir para o amigo trazer o tal creme quando ele for para os EUA ou parcelar naquele site de cosmético, pesquise antes. Verifique nas lojas online as opiniões de quem já comprou para saber se é realmente eficiente.

4. Fuja dos produtos milagrosos

Aquela loção que promete o crescimento super-rápido dos cabelos ou o hidratante que elimina as celulites em 4 semanas parecem tratar de milagres. Fique atento a tantas promessas em tão pouco tempo.

Pode até ser que estes produtos tenham a sua eficácia, porém tenha em mente que qualquer produto que prometa soluções rápidas, geralmente é bem mais caro (e raro), afinal você não está comprando apenas a solução, mas também o tempo prometido.

Antes de gastar o seu rico dinheiro em algo caro para pele e cabelos, consulte um dermatologista. Um especialista pode dar a solução que você precisa sem precisar testar tanta coisa até acertar (e esta solução pode ser bem mais barata do que você imagina).

5. Alimente-se bem

Uma alimentação equilibrada e uma boa hidratação são hábitos básicos para uma pele e cabelos saudáveis. Muitas vezes, aquele cabelo sem vida e com queda pode ser resultado da falta de um tipo de vitamina, daí aquela máscara capilar será uma solução paliativa, mas não resolverá o problema. Atente-se a sua alimentação e, na dúvida, consulte um nutricionista.

Mais truques de beleza para manter o bolso em dia

Confira abaixo outras três dicas de beleza para economizar um bom dinheiro:

  • Hidratante natural. O óleo de coco é um poderoso hidratante e pode ser usado nos lábios, cabelos e pele. Para o cabelo, o óleo rico em vitamina D e E ajuda na reconstrução capilar dos fios seco e sem vida. Pode ser usado nas pontas do cabelo ou misturado ao seu creme capilar preferido. O óleo também pode ser usado como hidratante corporal ou hidratante labial. Antes de fazer a experiência, pesquise como utilizar e teste antes de aplicar;
  • Esfoliação. Você encontra sabonetes esfoliantes caríssimos que prometem a esfoliação da pele, mas você pode conseguir o mesmo efeito com a simples bucha vegetal. Além de ser melhor para o meio ambiente, pois é biodegradavél, funciona como esfoliante natural e ativa a circulação. Para o rosto, uma máscara com mel e açúcar funciona como um esfoliante natural;
  • Água. Sim, água é dica de beleza. Não precisamos falar aqui dos benefícios porque todo mundo sabe. Mas o que não parece muitas vezes óbvio é a importância de beber 2 litros de água por dia. A água ajuda a manter a hidratação e a beleza da pele. Não se hidratar o suficiente e gastar dinheiro com creme para o rosto devido a pele seca não adianta muita coisa. Por isso ande sempre com uma garrafa de água aonde quer que vá.

Leitura recomendada: Mulheres e finanças pessoais: uma viagem pelas fases da vida

Consumismo não é nada belo

Hoje temos tanto acesso à informação que é possível avaliar melhor antes de consumir, e até mesmo concluir que não há necessidade de comprar tanto. Estamos mais críticos e somos capazes de julgar o produto além da embalagem chamativa ou da campanha impactante.

Por isso, tente ser um consumidor consciente e pense no impacto que o consumismo desenfreado gera. Compre apenas o que for necessário, descarte as embalagens vazias de acordo com o seu destino apropriado e use os produtos até o fim ou dê para alguém, caso não use mais. Tente fazer algumas mudanças para aliviar tanta demanda por recursos naturais e, claro, o seu bolso.

Beleza vem de dentro!

Qualquer dica caseira ou produto importado só serão realmente efetivos se você estiver bem consigo mesma(o). Use as dicas para valorizar quem você é e como quer se sentir e não como acha que os outros querem que você seja, ou como a sociedade dita.

Sentir-se bem consigo mesma(o), sem se preocupar com o julgamento alheio, é valorizar a autoestima e “relaxar” perante aos padrões de beleza impostos. Saiba valorizar quem você é, do jeito que você é. Aquela ruguinha, a pinta que incomoda ou o cabelo que nunca toma jeito são apenas características físicas. O que importa mesmo é a beleza que vem de dentro e a realização de seus sonhos.

Leitura recomendadaA economia nunca precisou tanto das mulheres

Foto “Nail painting”, Shutterstock.

Daniella Gomes
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários