Dicas para negociar e comprar material escolarA compra de materiais escolares sempre causa grandes preocupações para os pais: como não cair em dívidas? Como valorizar seu dinheiro? Onde encontrar produtos de qualidade? É possível comprar itens escolares[bb] com bons descontos? Um problema nessa hora é que a maioria dos brasileiros tem grande dificuldade em realizar boas compras em função da timidez e da idéia de que o preço do produto não pode ser alterado. Trata-se de um grande engano. Os preços estabelecidos por uma loja podem e devem ser questionados.

Uma alternativa nessa hora é a realização das compras de materiais escolares em conjunto, o que lhe dará maior chance para negociar menores preços. Basta para isso juntar-se com os pais dos amigos de seus filhos saírem juntos para as compras. Outra dica é fazer um levantamento de todo o material escolar que sobrou no ano anterior, afinal ele vale dinheiro[bb].

Separe o que pode ser reaproveitado ou não e lembre-se nessa hora que as trocas de livros didáticos entre alunos que cursam séries diferentes representam uma grande economia. Também é importante não se deixar levar pelos impulsos dos seus filhos, que vão querer comprar produtos de grife e que contenham imagens de artistas ou personagens de sucesso (geralmente estampados em produtos mais caros).

Para evitar ceder, os pais devem ter sempre em mão uma lista do que é realmente necessário e um planejamento do que se pode gastar, evitando um possível endividamento. Na hora da compra é fundamental saber falar e se expressar, sempre com humildade, buscando a melhor opção de pagamento.

Para isso, é importante avaliar suas reais condições financeiras, ou seja, até onde seu bolso permite gastar. A disciplina, os limites e o respeito ao dinheiro são fundamentais para que a compra do produto ocorra de maneira segura, inteligente e barata. Existem diversas formas de abordar um vendedor, mas, seja qual for a sua, algumas dicas são interessantes:

  • Tenha a relação dos materiais realmente necessários para o ano letivo;
  • Nunca compre mais do que o necessário em função de promoções (pague um e leve dois);
  • Pesquise o preço em pelo menos três lugares com visitas presenciais e também faça pesquisas pela Internet;
  • Reúna de três a cinco pais de amigos de seus filhos para a realização de compras conjuntas;
  • Avalie se a lista apresentada pela escola não possui exageros;
  • Escolha bem a marca do produto e a relação custo/benefício – nem sempre a marca mais conhecida e cara é a melhor. Mas, cuidado, o barato também pode sair caro. Seja crítico;
  • Procure criar uma boa relação com o vendedor e, se possível, converse com o gerente para obter melhores descontos;
  • Após a pesquisa, acredite você pode, mesmo no local com menor preço, obter um desconto. Lute por ele;
  • Negocie à vista e pague a prazo, tendo o cuidado de lançar em seu orçamento essas prestações;
  • Oriente seu filho a utilizar corretamente esse material, evitando desperdícios.

Com a crise financeira internacional já trazendo reflexos para a economia brasileira, é fundamental que as famílias assumam o comando de suas finanças, montando orçamentos financeiros, respeitando o dinheiro, evitando dívidas e realizando compras conscientes. Como mostro em minhas obras “O Menino do Dinheiro” e “Terapia Financeira” (ambos publicados pela Editora Gente), a educação financeira deve ser inserida nas famílias, nas escolas e nas empresas de forma a possibilitar e incentivar o envolvimento pleno da população brasileira neste tema.

——
Reinaldo Domingos é professor, consultor e terapeuta financeiro. Também é autor dos livros “O Menino do Dinheiro” (Editora Gente), “Terapia Financeira” (Editora Gente) e Presidente do DiSOP – Instituto de Educação Financeira.

Crédito da foto para stock.xchng.

Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários