Se você é homem, talvez fique perdido com os termos deste artigo (leia mesmo assim porque talvez os gastos da sua esposa/namorada aumentem com o que aconteceu). Se você é mulher, com certeza vai entender o que eu estou dizendo e talvez fique tão preocupada quanto eu. Enfim, qualquer que seja o seu gênero, este assunto lhe interessa.

Raízes por fazer, unhas descascadas e com a cutícula ressecada, pernas peludas, lábios rachados, cabelos frisados e fora de controle… Parece o apocalipse da estética, mas é a realidade que muitas mulheres terão que encarar caso não consigam se adaptar ao novo padrão de preços dos cosméticos vendidos em perfumarias, farmácias e supermercados de todo Brasil.

Cosméticos mais caros? Prepare-se para viver a era da beleza pós-IPI

O governo brasileiro, com a intenção de aumentar a arrecadação do nosso já rechonchudo sistema tributário, resolveu cobrar o IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados) de produtos cosméticos no varejo. O decreto presidencial 8.393, publicado no “Diário Oficial da União”, determina a cobrança do imposto a partir do dia primeiro de maio deste ano.

O atacadista sempre comprou o produto com IPI, mas revendia sem a incidência do tributo. Agora, quando pagar a conta ao fabricante, ele será creditado com o imposto devido e no repasse ao consumidor será taxada apenas a diferença do lucro.

Ainda que pareça pouco, o setor espera um aumento de 12% acima da inflação para alguns itens indispensáveis à beleza e higiene femininas e masculinas tais como: batons, esmaltes, sprays fixadores, alisadores de cabelos, maquiagens para olhos (rímel, sombra e delineador, por exemplo), além de cremes de barbear, sais aromáticos para banhos e odorizadores de ambiente.

Em tempo: os cosméticos, por serem considerados supérfluos pelo governo, estão entre os produtos mais tributados do país. Quase 70% daquele batom escândalo que você comprou são impostos. Insano, não é mesmo?

Desemprego à vista também na indústria de cosméticos?

Aqui o que está em jogo não é apenas a real necessidade dos produtos de beleza, mas sim a importância que a vaidade adquiriu na vida da mulher brasileira nos últimos 25 anos. A Indústria da Beleza cresce acima do PIB há doze anos, em média 9% ao ano, apesar da alta carga tributária.

Conversei esta semana com o presidente da ABHIPEC (Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos), João Carlos Basílio e pude perceber no semblante do dirigente a preocupação com o futuro do mercado nacional da beleza.

Segundo ele, as famílias de classe C e D serão as mais afetadas pelo aumento dos preços e deixarão de comprar os produtos com a mesma frequência ou partirão para opções mais baratas e de menor qualidade.

O setor, que hoje investe em inovação, pode perder o fôlego com a queda do consumo e, consequentemente, haverá cortes na indústria. Pra ser mais precisa, 200.000 postos de trabalho serão extintos, 80% deles ocupados por mulheres, segundo a pesquisa encomendada pela entidade.

A beleza vai custar ainda mais. Seremos capazes de pagar por ela?

É claro que projeções são projeções e que o setor precisa se defender, mas pense na prática: se hoje a sua manicure aumentasse o preço do famoso “pé e mão” em 12% e o mesmo acontecesse com a depilação, desodorante, alisamento, maquiagem… Ficaria ou não mais complicado “manter tudo nos trinks”?

Se você é homem, faça este apelo chegar às mulheres de quem você gosta e quer ver sempre lindas. Se você é mulher, fique mais atenta aos gastos de hoje com a vaidade e passe a colocar na balança o que realmente é útil e necessário para manter a autoestima nas alturas.

Meu medo é que de maio em diante deixemos de ser o país das beldades, das mulheres perfumadas, depiladas, da pele macia, dos cabelos sedosos, das unhas bem feitas e passemos a ser o Brasil do desleixo e do desemprego empurrados goela abaixo do consumidor. Já pensou um “Bolsa Beleza”? Era só o que nos faltava… A ver!

Recentemente, lá no Me Poupe! dei algumas dicas para valorizar a beleza e o dinheiro em tempos de cofres gordos e mechas magras, mas é sempre bom poder contar com os amigos do Dinheirama, adoradores da beleza feminina, para disseminar a informação! Até a próxima!

Foto “Lipstick closeup”, Shutterstock.

Avatar
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários