Vender, você já pensou em ganhar a vida fazendo isso? Pode ser que você tenha pensado apenas na profissão vendedor, mas vender é algo que vai além. Segundo especialistas, estamos vendendo a todo instante. Será mesmo?

Conversei sobre isso com Fabricio Medeiros, Professor de Negociação da Fundação Getúlio Vargas. Fabricio possui Formação Executiva em Negociação e Liderança pela Harvard Law School e MBA Executivo Internacional pela Fundação Getúlio Vargas, com extensão em Business pela Universidade da Califórnia.

Com mais de uma década de experiência na área de vendas e negociação, Fabricio Medeiros exerceu cargos executivos em empresas nacionais e multinacionais, com destaque para Ambev e Net Serviços, das quais ganhou prêmios nacionais de desempenho.

Em 2014, Fabricio foi homenageado pela Faculdade Estácio de Sá com a Medalha Alumni Diamante, prêmio máximo concedido aos alunos egressos que se destacaram nacionalmente em suas profissões.

Atualmente, ele responde pelos mercados do Norte e Nordeste como Gerente Regional de Vendas da IBRATIN, empresa líder de mercado no segmento de texturas para construção civil.

Fabricio se considera um “escritor visceral, palestrante zero autoajuda e consultor de vendas impossíveis”. Confira como foi nossa conversa:

Fabrício, você defende que as pessoas precisam aprender a fazer as coisas de um jeito próprio, criando assim uma assinatura, uma identidade. Pode explicar melhor como isso funciona e nos dar alguns exemplos?

Fabricio Medeiros: Venda-se primeiro, antes de sair por aí vendendo qualquer coisa. Por que as pessoas têm medo de se vender? Por que elas têm medo de repassar suas experiências? Por que elas têm medo de fazer marketing pessoal? Simples: pânico da rejeição e do julgamento coletivo.

Durante a minha vida toda, fui criticado por ser meio diferente, por fugir do comportamento padrão. As pessoas têm medo de ousar, têm medo de serem elas mesmas e o receio da rejeição obriga o sujeito a copiar deliberadamente o que o outro faz. Ser rejeitado é algo intolerável para maioria das pessoas.

Eu condeno esse tipo de sentimento de inferioridade. Eu insisto que as pessoas devem se inspirar nas outras, mas devem, a partir de suas experiências, criar seu próprio estilo, seu jeito, seu método próprio.

Conheço gente talentosa totalmente escondida, e assim como no livro “Outliers – Fora de Série”, o seu talento é só mais uma condicionante, ele não substituirá sua capacidade de fazer as conexões certas, na época correta e com o ambiente favorável.

Tem muita gente igual no mundo, quem vai recomendar mais um professional commodity? Acredite no que eu estou dizendo, para conseguir muitas coisas na vida você precisará agir como um maestro, liderando a sinfonia, dando o melhor de si, mas fazendo isso dando as costas para a multidão.

Outra coisa que você sempre diz é que todos precisam aprender a vender. Então todo mundo é, em algum momento da vida, vendedor? Como assim?

F. M.: Todos sabem que a área de vendas é o pulmão de qualquer empresa, mas o pulmão não mantém o corpo sozinho. Por isso é obrigatório que todos os setores participem de treinamentos de vendas, toda empresa precisa vender e apoiar o trabalho do vendedor. Quando esse sentimento de coletividade acontece, pequenos times se transformam em um exército poderoso.

Assim como aprendemos no épico filme 300, não importa o tamanho do desafio, o que importa mesmo é ter um time unido, bem treinado e com uma estratégia devastadora.

Umas das coisas que eu já fiz e recomendo é pegar a empresa toda e fazer um arrastão na praia ou em alguma avenida movimentada – divulgando a empresa e, se possível, fechando negócio ali mesmo. Uma cultura bem enraizada é criada a partir de eventos memoráveis como esses.

Claro que temos péssimos negociadores. Minha mãe, por exemplo, é uma dessas pessoas, ela gosta de dar algumas coisas que não usamos mais para as empregadas, inclusive camas e uma televisão de plasma. Eu? Bem, eu gosto de VENDER as coisas para nossa empregada.

Que dicas você pode oferecer para o empreendedor que quer vender com mais propriedade e, principalmente, qualidade?

F. M.: Atualmente, alguns presidentes de empresas têm seguidores no facebook e no twitter com o mesmo nível ou até mais fãs do que suas próprias empresas, dentre eles Larry Page, o CEO do Google, e Jeff Bezos, CEO da Amazon.

E por que? Por que a galera quer interagir com esses caras? Com muita tecnologia, o toque humano, ao invés de perder o sentido, ficou ainda mais forte. É muita máquina, muita automação e muita linguagem padrão. Empreendedores que conversam com seus clientes VENDEM.

Não precisa necessariamente aprender técnicas de negociação avançada, mas é mandatório vender-se, é estritamente necessário aparecer e mostrar-se acessível de alguma forma. As pessoas comprarão a ideia de que não estão apenas comprando um produto, uma marca, elas estão comprando de outro ser humano.

Se você vende vidros blindados, deveria você mesmo colocar-se atrás do vidro e pedir para seu funcionário atirar, e não o contrário. Exagero? Não senhor, vá no youtube e veja com seus próprios olhos.

Você está lançando o eBook gratuito “49 Segredos de Vendas” (clique para detalhes). O que o leitor vai encontrar lá? Por que decidiu escrevê-lo e como ele pode ser baixado?

F. M.: O mundo das vendas é outro: 60% dos compradores já compram sem precisar do vendedor, essa é uma profissão que será drasticamente reduzida nos próximos anos.

O leitor do Dinheirama vai achar técnicas, segredos e estratégias não convencionais para bater rapidamente as metas e ganhar mais dinheiro.

Esse é um livro prático, um livro para experimentar diariamente cada um dos 49 segredos. Ele foi concebido a partir de experiências obtidas na rua, gastando a sola do sapato e dando a cara para bater.

Foram muitas madrugadas selecionando as melhores técnicas atuais de vendas, eu procurei selecionar aquelas com efeito mais rápido, ferramentas que podem dobrar suas vendas em poucas semanas.

Você também achará estatísticas surpreendentes, fatos e dados obscuros, são números desconhecidos pela maioria e que podem dar aos que leem uma vantagem competitiva avassaladora.

Pode parecer pretensioso, mas esse livro prático separa os vendedores normais dos vendedores #FacaNaCaveira, aqueles que são o verdadeiro BOPE das vendas. O eBook “49  Segredos de Vendas” é grátis (clique para download).

Qual a sua opinião sobre educação financeira e a necessidade de equilibrar desejos e a realidade do orçamento familiar? Tem alguma experiência pessoal que pode compartilhar?

F. M.: Sim, tem fundamental importância pra mim. Muito difícil ter o CPF limpo hoje em dia com tantos desejos e consumo desenfreado.

A única exceção de consumo que acho benéfico até contrair alguma dívida, é quando o foco estiver relacionado ao investimento em educação. Sempre recuperei o que eu investi quando apostei em educação.

Comprar livros de finanças, ler blogs como o Dinheirama, conversar com especialistas em investimentos é salutar para manter uma vida mais equilibrada.

Tenho minha planilha de controle, pequenos investimentos e uma vida financeira mais ou menos equilibrada, mas sem dúvida estou muito longe ainda dos meus objetivos, portanto, vou vender mais e gastar menos.

Fabrício, obrigado pela disponibilidade. Por favor deixe uma mensagem final para nosso leitor e como qualquer um pode fazer contato com você.

F. M.: Cara, já falei demais. Meu último recado é a mensagem que virou o slogan do meu próximo livro: seja maior do que suas probabilidades. Quer falar comigo? Entrem no meu BLOG e junte-se aos que não se encaixam, acesse www.quebreabanca.com.br/blog. Aqui não é a Disney, aqui é #FacaNaCaveira. Valeu.

Conrado Navarro
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários