Dinheirama entrevista: Marcelo Coutinho - YouTradeMarcelo Coutinho, engenheiro eletrônico com MBA pelo Ibmec e Fundação Getulio Vargas (FVG), é um investidor bastante agressivo e que decidiu compartilhar suas estratégias e conhecimento com investidores de todo o Brasil. Além de manter 100% de suas reservas em ações, em 2007 ele criou o site YouTrade com a intenção de difundir os conceitos de análise técnica e promover a educação financeira através de cursos na área de investimentos em renda variável.

Atualmente, Marcelo se dedica a oferecer cursos de Análise Técnica, operações com opções, gestão de carteiras e também análises em vídeo e áudio sobre o mercado e empresas listadas em bolsa. Nesta conversa você tem a oportunidade de conhecer um pouco sobre suas opiniões a respeito dos investimentos e ações e concorrer a uma vaga em um de seus cursos (mais detalhes da promoção no final da entrevista).

Marcelo, sabemos que há uma intenção, por parte da BM&F Bovespa, de multiplicar o número de investidores pessoa física na bolsa. O objetivo é saltar de 550 mil investidores para 5 milhões em cerca de 5 anos. Os números parecem ambiciosos demais ou a realidade do investimento em ações tem esse potencial?

Marcelo Coutinho (MC): O mercado tem esse potencial sim, mas a estrada a percorrer é longa e existem dois grandes desafios para isso. Primeiro: o brasileiro não tem cultura de poupar dinheiro. Ou seja, gasta com base na possibilidade de encaixar em seu orçamento e paga parcelas sem ver o quanto de juros está embutido nesta transação.

Segundo: se não temos a cultura de poupar dinheiro, como vamos investir ainda mais em um mercado de renda variável? Deve-se fazer todo um trabalho no sentido de conscientizar a população em termos de educação financeira. Trata-se de investir em um trabalho de base. Depois disso podemos pensar em fazer algo relacionado à Bolsa de Valores.

Há espaço para o pequeno investidor em um mercado de capitais como o brasileiro, em que há poucas empresas listadas na bolsa e muito movimento de capital estrangeiro?

MC: Com certeza há. Pequeno ou grande, o investidor pode comprar as suas PETR4 ou PETR4F. Isso não importa. O importante é ter uma estratégia para o investimento realizado. O investidor pequeno pode perfeitamente fazer seus investimentos e pegar uma carona nos grandes movimentos, isso é perfeitamente viável.

Como deve ser a abordagem do pequeno investidor ao considerar o investimento em ações? Por onde começar?

MC: Educação. Para investir na bolsa, o investidor iniciante tem que saber por onde começar. Note que para ganhar na bolsa você não tem somente que comprar barato e vender caro. Tem que saber quando comprar e quando vender – e, principalmente, quando sair.

Geralmente, os investidores compram bem. O problema é que muitos “se casam” com o papel, perdem o timing da venda e acabam devolvendo boa parte (se não todo) o lucro do processo. Lamentavelmente, o investidor paga (caro) por começar a investir sem se preparar previamente. Muito disso está ligado aos problemas de ordem emocional, que detalho melhor no artigo “Pare de perder dinheiro na bolsa de valores”.

Acostumar-se às pequenas perdas parece ser o mais difícil para o investidor iniciante. Você concorda? A euforia, o excesso de confiança e as frustrações podem ser tratadas de forma mais inteligente?

MC: Sim, e isso é muito fácil de explicar, pois o investidor não sabe o que é pequena perda ou grande perda. Imagine que o investidor esteja perdendo 3% em uma posição. Eu pergunto: isso é muito ou pouco? Como o investidor não sabe onde vai parar, ele não tem referência.

Ai o achismo do tipo “vai voltar a subir” entra em cena e esse é um pecado mortal. O investidor tem que ter metas de ganho e perda pra poder ter uma referência e aí sim dizer se a perda é grande ou pequena. Outro ponto importante é que neste ambiente (bolsa) a perda é inevitável e, por isso, ao invés de se acostumar com ela é preciso aprender a trabalhar com ela.

Sempre que se discute o mercado de ações, surgem dúvidas sobre como escolher as ações e empresas para se investir. A BM&F Bovespa e muitos especialistas em finanças pessoais defendem que este tipo de investimento deve conter decisões voltadas para o longo prazo. Corretoras e gestores independentes defendem que o curto prazo também oferece excelentes oportunidades. Como equilibrar isso aos olhos do leigo?

MC: Não existe equilíbrio, existe objetivo. O investidor pode fazer dinheiro tanto no longo quanto no curto prazo, mas para isso ele tem que ter em mente quanto vai colocar em cada posição, além de entender seus riscos e ter uma ideia dos retornos esperados. Precisa fazer um investimento que faça sentido em relação ao que ele deseja.

Não adianta nada ele simplesmente comprar pensando em ganhar no curto prazo, tomar um prejuízo e transformar isso em longo prazo. Cada trade tem que ter o seu objetivo de entrada e saída definidos previamente para não trazer surpresas desagradáveis. Uma vez feito isso, fica mais fácil o investidor equilibrar sua estratégia com seus objetivos e sua vida pessoal.

Quais os principais componentes de uma estratégia vencedora no mercado de ações? Como especialista em Análise Técnica, quais os principais pontos desta escola você recomenda como essenciais para evitar surpresas?

MC: O investidor tem que saber como esse mercado funciona. Eu também sou piloto de avião e sempre falo para os investidores que, se tenho uma pane enquanto estou voando, não posso aprender na hora como resolvê-la. Preciso saber muito bem quais são os procedimentos de emergência e tê-los testado em terra firme. Assim é a bolsa.

Se o mercado reverteu – seja porque houve uma reversão ou porque o investidor não sabe ler a tendência – ele tem que saber como sair, seja com stop, leitura de candles ou padrões de reversão. Ele não pode simplesmente deixar pra ver o que vai acontecer na hora. É morte certa.

Outro fator que leva o investidor a perder dinheiro é a falta de estratégia com relação à Análise Técnica (AT). A AT oferece várias ferramentas que podem ser usadas de diferentes formas. O problema que vejo é que o investidor começa utilizando uma ferramenta e depois vai trocando na esperança de achar uma que faça com que ele ganhe dinheiro. Mas isso não existe. Somente estudando muito e se especializando é que é possível ter domínio sobre a ferramenta. Quando ele tem a compreensão de como tudo isso funciona, aí sim ele começa a participar do mercado de forma mais ativa, consciente e planejada.

Vaga no curso do YouTrade? Promoção exclusiva!
Leu a entrevista com atenção? Então participe do espaço de comentários alimentando a discussão de forma inteligente e concorra a uma vaga em um dos cursos oferecidos pelo YouTrade ministrados por Marcelo Coutinho. Você já investe em ações? Usa Análise Técnica? Como é sua estratégia? Todos os que comentarem usando nome e e-mail verdadeiros participarão do sorteio da vaga.

A promoção se encerra no dia 25/07 e o ganhador escolherá um dos cursos e datas disponíveis, a saber:

  • Curso de Análise Técnica – São Paulo: 6 e 7 de agosto;
  • Curso de Gestão de Carteiras – São Paulo: 14 de agosto;
  • Curso “Aprenda a investir na bolsa de valores” – São Paulo: 17 a 19 de agosto;
  • Curso de Estratégias com Opções – São Paulo: 21 de agosto;
  • Curso de Trade em Tempo Real – São Paulo: 24 e 25 de agosto;
  • Curso de Análise Técnica – São Paulo: 6 e 7 de setembro.

Importante: a promoção garante isenção de cobrança para a matricula no curso, devendo todas as outras despesas (transporte, estadia, alimentação etc.) serem pagas pelo vencedor. Boa sorte!

Conrado Navarro
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários