Mauricio Bitencourt, consultor da INCITHoje você vai ler uma entrevista exclusiva que realizei com Mauricio de Pinho Bitencourt, que atua como consultor de negócios para empresas de base tecnológica, incubadoras e parques tecnológicos no país e consultor técnico da INCIT (Incubadora de Empresas de Base Tecnológica de Itajubá).

O objetivo desta entrevista é fornecer a você um pequeno guia sobre incubadoras e iniciativas para pequenas empresas. Abordaremos durante o texto algumas questões fundamentais: o que é uma incubadora, como ela atua e o que de fato ela representa para o empreendedor iniciante que tem uma ideia, mas precisa de apoio para fazê-la sair do papel e decolar.

Mauricio, nosso entrevistado de hoje, é graduado em engenharia elétrica pelo Inatel (Instituto Nacional de Telecomunicações de Santa Rita do Sapucaí), possui especialização em administração de empresas e em controladoria financeira, além de já ter atuado em empresas multinacionais e nacionais no setor de telecomunicações.

Aproveite a leitura e o conhecimento difundido. Se acreditar que o conteúdo aqui apresentado é de interesse de amigos e conhecidos, divulgue-o e contribua para a educação de mais empreendedores.

O que é uma incubadora?
Mauricio Bitencourt: É um ambiente empresarial com o propósito de apoiar empreendedores na formatação e fortalecimento de um empreendimento, por meio de apoio sistêmico na gestão empresarial, desenvolvimento do produto/serviços e interações com o mercado. Ao atingir um nível de maturidade, esses empreendimentos estão preparados para o crescimento e consolidação em seu mercado de atuação.

Qual o objetivo de uma incubadora?
MB: O principal objetivo de uma incubadora é apoiar projetos inovadores com grande potencial de viabilidade e sucesso empresarial, que tragam crescimento econômico para o meio em que está inserida. Uma incubadora não deve ser vista de forma isolada, e sim como um elo importante de atração de empreendedores oriundos de ambientes onde a cultura empreendedora e a inovação são estimuladas. Conseqüentemente, o crescimento e a fixação desses empreendimentos devem ser acolhidos, por exemplo, por um ambiente de parque tecnológico.

Qual e que tipo de apoio é normalmente oferecido ao incubado?
MB: Pode-se visualizar um conjunto de apoio, desde a infra-estrutura física para o início operacional da empresa, como sala, acesso a internet, apoio logístico, secretaria, um amplo programa de capacitação para o fortalecimento da gestão da empresa e, sobretudo o apoio através da rede de relacionamentos que uma incubadora pode oferecer e de grande impacto para a viabilidade de uma empresa nascente.

Quem pode participar da incubação e como deve proceder para tal?
MB: Podem candidatar-se pessoas físicas ou jurídicas que tenham uma idéia inovadora e com grande potencial de viabilidade de aceitação no mercado. Deve-se formalizar essa idéia/projeto através da apresentação de um Plano de Negócios em resposta a um Edital. Não é necessário que a empresa esteja formalmente constituída quando da apresentação da proposta.

Qual o período de incubação?
MB: O programa de incubação da Incubadora de Empresas de Base Tecnológica de Itajubá – INCIT – prevê três anos, divididos em três fases, sendo: Fase 1 – Implantação do empreendimento; Fase 2 – Desenvolvimento e consolidação; e Fase 3 – Preparação para a graduação. Deve-se destacar que essas fases e o tempo de incubação variam em função do tipo de empreendimento e principalmente da dedicação e da capacidade dos empreendedores em transformar uma idéia em uma empresa de sucesso.

Qual o custo para o incubado?
MB: Ao ingressar no programa, o empreendedor deverá abrir a empresa, incorrendo nos custos vigentes de abertura e manutenção de uma empresa. Para a incubadora, é pago uma taxa mínima de incubação – que é subsidiada nos primeiros meses e crescente ao longo da permanência no programa.

Quais projetos têm maior chance de serem selecionados para a incubação?
MB: O processo de entrada é a apresentação de um Plano de Negócios mostrando a característica do negócio e a viabilidade do projeto, porém, o principal pré-requisito é a inovação aliada ao perfil empreendedor do proponente.

Mauricio, obrigado pela disponibilidade da entrevista e pela confiança depositada em nós.

Para mais informações sobre o tema empreendedorismo, veja os textos publicados em nossa seção de empreendedorismo ou assista aos vídeos do Dinheirama no Youtube. Caro leitor, obrigado pela leitura e até mais.

Avatar
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários