Dinheirama Entrevista: Monica Saccarelli, Executiva do home broker Rico.com.vcEncontrar o melhor investimento é um grande desafio, principalmente quando passamos por períodos de turbulência como agora. Em momentos assim, lidar com pessoas que participam ativamente no mercado e apostam no planejamento e preparo como armas para lidar com a situação é muito importante. Acreditamos ser este o caminho mais inteligente para o futuro.

Tive a honra de conversar com a Monica Saccarelli, Executiva do home broker Rico.com.vc. No nosso papo, falamos sobre o melhor caminho para o investidor que precisa conviver com inflação e juros em alta. A Mônica pregou o planejamento como um trunfo para investidor e também contou sobre um novo produto para quem quer se programar para investir e não tem disciplina: o “Investimento Programado” (clique e conheça melhor).

Acompanhe o nosso papo:

Muitas pessoas querem investir mas não conhecem outras opções de investimentos além da tradicional caderneta de poupança. Já que atravessamos um período com inflação em alta é a hora de buscar alternativas? Tesouro Direto e Fundos se tornam uma boa opção?

Monica Saccarelli: Sempre defendo que a melhor opção é sempre o conhecimento. De uma maneira geral, o brasileiro continua investindo na caderneta de poupança porque desconhece o funcionamento de outros produtos e, dessa forma, deixa passar boas oportunidades. O ideal é fazer uma boa reflexão em cima do assunto e dedicar um pouco de tempo para montar um planejamento para realização de cada objetivo de acordo com o tempo, valor que poderá ser investido e, principalmente suas prioridades.

Dentro de um plano de diversificação, fundos e Tesouro Direto podem se tornar interessantes, mas é fundamental que o investidor saiba como eles funcionam na prática para que não exista frustração. Tanto fundos como o próprio Tesouro Direto possuem diversas particularidades que precisam ficar claras para o investidor, mas são excelentes alternativas para compor uma estratégia de investimentos inteligente.

Sempre que pensamos no futuro uma realidade bate a tona: o brasileiro esta vivendo cada vez mais e muitos ainda não perceberam que pensar o futuro cada vez mais cedo é fundamental. Para quem investe desde cedo pequenos valores podem fazer uma diferença?

M. S.: Sim. Existe em algumas pessoas a percepção de que é preciso muito dinheiro pra conseguir bons resultados nos investimentos. Levando em consideração que realmente o brasileiro está vivendo cada vez mais, é natural que precisemos de mais dinheiro para que possamos viver com qualidade essa nova expectativa de vida.

Quem investe desde cedo tem o tempo a seu favor e pode, inclusive, ter uma estratégia de maior exposição a investimentos que possuam maior risco. A questão é diluir o risco no tempo maior à disposição, possibilidade que é interessante porque com mais risco existe a contrapartida de maior rentabilidade.

O fundamental é fazer a lição de casa e acertar o seu padrão de vida com a equação “Salário – Investimento no futuro = Padrão de vida”. Ao agir dessa forma, as pessoas anteciparão o ato de poupar para o futuro e o que sobrar será o valor para as demais despesas. Sei que muitas pessoas já fazem isso e, a partir do momento que é dado o primeiro passo, tudo fica mais fácil e em pouco tempo esta mudança se tornará um hábito importante para a independência financeira.

Dentro dessa ideia de diversificar e oferecer novas oportunidades ao investidor vocês criaram o “Investimento Programado”. Foi assim que surgiu a ideia?

M. S.: O “Investimento Programado” é um produto para te ajudar a investir um pouco todo mês de forma simples e automática. A maior dificuldade de qualquer pessoa é a disciplina para “guardar dinheiro” e para isso surgiu a ideia de ajudarmos o cliente e fazer tudo para ele. Com o Investimento Programado você não precisa lembrar de investir todo mês ou até mesmo se preocupar em sobrar o dinheiro, pois você investe como se tivesse pagando uma conta mensal, mas ao invés do seu dinheiro diminuir, ele estará crescendo.

Como funciona o “Investimento Programado”? Quais os passos para começar a investir através dele?

M. S.: Através do Investimento Programado você investe mensalmente em ações, títulos públicos ou fundos de investimentos. Com apenas 3 cliques o cliente programa no site da Rico seu I.P.: selecionando o valor mensal a ser investido, por exemplo R$ 100, o dia e o tipo de investimento. Depois é só programar no banco a transferência automática periódica. Pronto, a partir dai todo mês você vai “engordar” sua poupança.

Quem é o público-alvo deste novo produto? Quem deve procurar vocês caso nossa conversa chame atenção?

M. S.: O Investimento Programado é para qualquer tipo de investidor que queira fazer uma poupança para conquistar algo, como: viajar no final do ano, fazer um curso fora, casar, pagar a faculdade ou carro do filho, se aposentar ou até mesmo só guardar dinheiro para dar um presente para você mesmo em vez de parcelar.

Nós mulheres, adoramos uma bolsa nova e vocês homens já adoram um celular ou relógio novo. Assim, você pode investir um pouquinho todo mês e se dar essa bolsa ou relógio sem fazer dívida. Lembro que não precisa também se preocupar em saber qual a ação ou titulo publico, pois já sugerimos para você isso também.

Por que aderir ao “Investimento Programado”. Ou, se preferir, quais são suas principais vantagens?

M. S.: A principal vantagem é você investir todo mês um pouco da sua renda, ou seja, fazer crescer o seu dinheiro de uma forma bem simples. Investindo em ações todo mês, você estará tornando-se sócio de uma empresa com potencial de crescimento e com a frequência mensal você também conseguirá também um “preço médio”.

Além disso tudo, os custos do investimento programado são baixíssimos. Se você investir R$ 100 em ações no mês, você pagará apenas 50 centavos de corretagem e não tem outro custo mensal de administração ou custódia.

O custo é uma das grandes vantagens do Investimento Programado. Se investir em ações, pagará a taxa de corretagem de 0,50% sobre o valor investido, por exemplo, se investir 100 reais pagará apenas 50 centavos de corretagem. Além disso, não é cobrada a taxa de custódia ou administração, assim o investidor ganha em rentabilidade. No caso de títulos públicos, o valor é 0,40% ao ano sobre o valor investido. Ou seja, os custos realmente são baixos em comparação com qualquer outro tipo de investimento disponível no mercado.

Quais são os diferenciais do “Investimento Programado” em relação aos serviços similares de concorrentes, como bancos e outras corretoras?

M. S.: Além do nosso custo competitivo, os diferenciais são as opções de investimento selecionadas por uma equipe de especialistas, desde ações com potencial de valorização, como também títulos públicos para os investidores que não querem correr risco com ações, o valor mínimo para investir que é baixo, pois com uma pequena parcela do que ganha todo mês você já pode investir e o atendimento personalizado da nossa equipe.

Existe algum tempo mínimo de contração do serviço? O resgate pode ser feito quando o investidor bem entender?

M. S.: Não existe tempo mínimo e você pode interromper seu investimento quando quiser. A liberdade de cancelar a qualquer momento é importante para o cliente e entendemos isso. Agradeço ao Dinheirama pelo espaço e parceria e convido o leitor a conhecer o “Investimento Programado” clicando aqui. Até a próxima!

Foto: divulgação.

Ricardo Pereira
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários