Falar sobre Educação no Brasil é falar sobre um tema que gera enormes desafios, tanto do ponto de vista político e econômico, quanto do ponto de vista comportamental, pois mesmo quem tem acesso a uma melhor educação, muitas vezes não dá valor. Imagine então falarmos de Educação Financeira num país que tem uma forte cultura para o endividamento. Desafios enormes.

Mas cá estamos, fazendo parte de um pequeno, mas bem preparado exército de educadores financeiros, que não medem esforços para levar o melhor do mundo das finanças pessoais e comportamentais para você, leitor assíduo do Dinheirama. E hoje temos o prazer de entrevistar Olivia Alonso!

Olivia é formada em Jornalismo pela Faculdade Cásper Líbero, cursou Economia na FEA-USP, fez MBA em Finanças na FIA e especialização em Economia e Negócios na Universidade de Macau, na China. Como jornalista, fez cobertura de economia por 12 anos, passando pelo jornal Valor Econômico, por revistas, sites e agências internacionais. Hoje, Olivia é editora-chefe e responsável pela direção do Criando Riqueza, que é o canal de educação financeira da Empiricus.

Olivia, sabemos que o Brasil sempre sofreu com problemas na área da educação. Falando especificamente das finanças, a situação fica ainda mais crítica. Na sua visão, qual o motivo do brasileiro dar pouca atenção para um assunto tão importante quanto o dinheiro?

Olivia Alonso: A falta do tema educação financeira nos currículos escolares é um problema grave no Brasil. Isso faz que os jovens não tenham a dimensão da importância do assunto nas suas vidas. Tamanho desconhecimento impede grande parte dos brasileiros de planejarem suas finanças e começar a investir. E é um engano pensar que somente grandes quantias de dinheiro podem ser aplicadas. O Tesouro Direto, por exemplo, permite aplicar valores como R$ 30 e R$ 100. Mas é preciso informação e conhecimento para não investir em aplicações pouco atrativas como a poupança.

Em tempos de crise e aumento de desemprego, é comum as pessoas buscarem fontes alternativas de renda. Neste cenário, a educação financeira se torna mais relevante? Por que?

O. A.: Entender sobre o mundo das finanças é fundamental. Quando não controlamos nossas contas, não sabemos quanto gastamos e nem mesmo quanto recebemos. Da mesma maneira, não conseguimos juntar dinheiro e fazer investimentos que nos ajudem a criar riqueza. Por isso a educação financeira é tão relevante. O cenário de crise exige ainda mais planejamento, pois os recursos tendem a ser escassos, enquanto as necessidades continuam as mesmas. Entender como estruturar uma fonte de renda extra e administrar os ganhos provenientes dessa atividade faz parte da educação financeira e deve ser visto como prioridade.

A Empiricus é uma empresa inovadora, e li em uma frase impactante em um de seus materiais: “Nascemos para democratizar o acesso que antes era restrito apenas aos grandes investidores.” Parece haver um interesse (por parte de algumas instituições) que a população continue ignorante em relação às finanças. Vocês estão causando uma “ruptura” nos conceitos vigentes. Fale-nos sobre os desafios e resultados que vocês estão experimentando.

O. A.: O Criando Riqueza nasceu com o propósito de ensinar os leitores a entender o universo da economia de forma fácil e a criar riqueza. Por isso, oferecemos desde conteúdos básicos até os mais complexos. Nosso objetivo é tornar a educação financeira acessível e abrangente. Temos em nosso site conteúdos que seguem tal propósito e têm feito muito sucesso entre os nossos mais de 300 mil leitores. E estamos próximos também de quem está nas redes sociais. Nosso Facebook já tem quase 60 mil seguidores. Agora, estamos focados em ampliar os envios das newsletters e falar de outros assuntos importantes, como empreendedorismo. Aguardem as novidades!

É comum ver as pessoas se aconselhando com seus gerentes de banco sobre investimentos. O resultado é a contratação de produtos como um plano de previdência (VGBL), aplicação em algum fundo de renda fixa, e até a compra de títulos de capitalização. Neste caso as pessoas estão como que “terceirizando” seus investimentos. Quais os riscos envolvidos com esta atitude?

O. A.: Ter o dinheiro administrado por um terceiro é sempre um risco. O ideal é ter plena consciência do que deve ser feito e assumir o controle das suas finanças. As pessoas devem lembrar de que o gerente tem metas e trabalha para o banco. Logo, seus interesses em geral são diferentes dos interesses dos mesmos dos investidores. O ideal é entender o que se passa no mercado e aplicar no que realmente é interessante. Os títulos de capitalização, por exemplo, não devem ser encarados como investimentos, mas sim como uma mistura de bolão com loteria. O VGBL, que você citou, é indicado em casos muito específicos, mas infelizmente é vendido em muitos bancos como se fosse um bom investimento para todas as pessoas.

O Criando Riqueza criou um curso intitulado “Investimentos para Leigos”. Eu pude verificar o conteúdo do curso e gostei. Prático e completo. Vi outra frase que me impactou: “Envelhecer sem recursos financeiros assusta mais que a morte”. Conte-nos mais sobre este curso e sobre como nossos leitores poderão se inscrever.

O. A.: O Curso Investimentos para Leigos foi feito a partir dos esforços de vários analistas, economistas e especialistas da Empiricus e do Criando Riqueza. Surgiu da nossa percepção de que havia uma grande necessidade de um material completo – e ao mesmo tempo compacto – para falar sobre investimentos de maneira simples. São sete aulas em vídeo e seis áudios das monitorias, em que os professores responderam dúvidas dos assuntos abordados nas aulas. A ideia é habilitar o aluno a começar, imediatamente, a mudar sua vida financeira. Quem assinar o curso pode assistir às aulas quando quiser. Os alunos aprendem, por exemplo, sobre como montar uma carteira de investimentos, investir em imóveis e ações. Para fazer parte é preciso ser um assinante do plano anual ‘Você Investidor’ (ex-Criando Riqueza PRO), que custa 12 x de R$ 9,90. O assinante passa a receber também conteúdos semanais exclusivos e um relatório mensal, o que faz com que continue conectado com tema durante um ano, recebendo as nossas orientações. Quem desejar mais informações, basta clicar aqui ou na imagem abaixo.

Dinheirama Entrevista: Olivia Alonso, Editora-chefe e Diretora do Criando Riqueza

É um preço muito acessível para uma série de conteúdos de alto valor e que causam transformações positivas na vida das pessoas. E o curso já está na segunda edição?

O. A.: Isso mesmo! Acabamos de lançar a segunda edição do curso Investimentos para Leigos – Tópicos Especiais. Agora, os assinantes terão acesso a cinco vídeo-aulas e outras cinco monitorias. Neste curso, falamos sobre temas específicos do mundo dos investimentos. Aprofundamos em algumas questões que levantaram mais dúvidas no curso 1 em temas diversos, como Tesouro Direto. O aluno aprende, por exemplo, como comparar as principais aplicações financeiras de forma fácil. A oportunidade é única e o preço também: apenas 12 x de R$ 29,90 no plano Combo Trio Essencial, que dá acesso ao curso e aos relatórios mensais das nossas séries mais queridas: Você Investidor (ex-Criando Riqueza PRO), Valor Imobiliário e Aposentadoria Milionária.

Ficamos agradecidos pela habitual atenção de vocês com o Dinheirama. Por favor, deixe uma mensagem final para nossos leitores.

O. A.: Minha mensagem final é: Não desistam de aprender sobre finanças, pois somente assim será possível criar riqueza. Ficar mais rico a cada dia depende de nós mesmos e do que fazemos para isso. Basta um pouco de dedicação durante poucos minutos de suas vidas. Ter um bom planejamento financeiro, juntar dinheiro, investir em aplicações rentáveis e não ficar endividado são apenas alguns dos pontos fundamentais desta empreitada. Venha conosco, prepare-se para falar de igual para igual com o seu gerente do banco e para ficar mais rico a cada dia.

Giovanni Coutinho
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários