Nunca na história desse país as pessoas tiveram tantas dúvidas na hora de contratar empregadores domésticos. As mudanças que nasceram da expectativa de melhorar a relação entre empregadores e empregados trouxe, na prática, muitas dúvidas e apreensão para os ambos os lados.

A legislação recente ainda esbarra na falta de conhecimento e necessidades específicas que levam ainda mais dúvidas a todos os interessados. Para falar um pouco mais sobre o assunto, conversei com Raissa Klain, Chefe de Operações (COO) da Webhome.

Raissa é publicitária, com quatro títulos acadêmicos do Congresso nacional de Comunicação. Começou a empreender aos 23 anos e através de suas primeiras aventuras empreendedoras começou um Blog em 2013 e recebeu menção pelo Startupi como uma das pessoas que mais colaboraram com ecossistema de Startups no Brasil.

Hoje atua como COO da startup Webhome. O Webhome é um facilitador para empregadores domésticos. Um sistema que organiza todos os documentos necessários para a contratação de funcionários dentro da legislação brasileira, gera guias de FGTS e INSS, calcula faltas, 13º salário e horas extras. Além disso, conta com advogados online, e-mail e Facebook, para esclarecimento de dúvidas.

Acompanhe nossa conversa:

Um dos grandes entraves para a contratação de profissionais domésticos é a burocracia. Como o Webhome facilita a vida dos empregadores?

Raissa Klain: Como as leis e a regularização da classe dos domésticos são recentes e ainda sofrem algumas mudanças, são poucos os contadores que se especializaram no atendimento de pessoa física; e quando é o caso, o preço para se receber todos os documentos mensalmente calculados corretamente acaba gerando um custo maior do que o esperado.

O Webhome possui uma interface amigável e simples de utilizar. Procuramos traduzir todo o “juridiquês trabalhista” em uma linguagem mais simples, desde o atendimento inicial até o momento de fazer um contrato de rescisão.

Ao fornecer os principais dados do funcionário doméstico e a situação atual do mesmo, nós orientamos o empregador em todos os processos para regularizar suas pendências caso seja necessário.

Após efetivado o cadastro, automaticamente todas as guias e recibos serão calculados, preenchidos e enviados para o e-mail do assinante. A única tarefa do empregador é imprimir, assinar e efetuar o pagamento do salário de seu funcionário.

Além disso, o contrato do funcionário cadastrado passa a ser monitorado e enviamos para seu empregador os principais alertas, tais como: férias, décimo terceiro salário, pagamento de encargos, aviso de retorno de licença de maternidade e etc.

O que o Webhome oferece para empregadores e empregados?

R. K.: O Webhome oferece a segurança para ambos na relação de trabalho. A maioria dos processos trabalhistas ocorre não por má-fé dos empregadores domésticos, mas sim pela falta de informação.

Ao deixar bem claros os direitos e deveres do patrão em relação ao seu funcionário doméstico, passa a existir uma relação de transparência e, automaticamente, gera-se confiança do funcionário doméstico. Eliminamos aquele sentimento de estar em desvantagem ou sendo explorado pelo outro lado.

Quais os principais desafios que o setor atravessa atualmente?

R. K.: Acho que o maior desafio da empresa hoje é a conscientização do benefício e das vantagens que o empregador tem ao estar com a situação regular perante seu funcionário doméstico. De 2014 para 2015, os processos trabalhistas cresceram cerca de 25% e os prejuízos dos acordos podem chegar até o valor de um carro (popular) zero.

Muitas vezes, os empregadores estão confortáveis com um empregado doméstico que está há muitos anos na família e geralmente esses são os casos mais problemáticos, pois quando você não tem um registro do contrato, o juiz sempre tomará como premissa a verdade dita pelo funcionário doméstico.

Se você não tem um controle de horas, o juiz parte da premissa que o funcionário estava à disposição 24 horas por dia, 7 dias por semana. Além disso, nos casos de muitos anos de “contrato” entram as correções de inflação, juros somados às horas extras, multas e ainda a despesa com um advogado trabalhista para reduzir o dano.

Como tem sido a experiência em oferecer assistência jurídica por e-mail e Facebook?

R. K.: Procuramos explorar e diversificar os canais de comunicação com os nossos usuários. Notamos que algumas pessoas sentem-se mais à vontade em mandar um e-mail ou tirar suas dúvidas via o recurso de chat, que nós oferecemos através do site.

Além disso, também trabalhamos com redes sociais, tais como YouTube e Facebook para agilizar algumas dúvidas de questões mais recorrentes.

Pensando no futuro, quais os próximos passos da Webhome?

R. K.: Estamos no processo de expansão e desenhando novos projetos que atenderão outras demandas dos empregadores domésticos, tornando o serviço e a experiência mais completa.

Raissa, muito obrigado pelo seu tempo. Por favor deixe uma mensagem final para o leitor do Dinheirama que quer saber um pouco mais sobre a Webhome.

R. K.: Primeiramente obrigada pela oportunidade de falar diretamente com os leitores do Dinheirama. Gostaria que os mesmos pudessem comprovar os benefícios e a tranquilidade de ter uma plataforma gerenciadora de custo acessível.

Todos os feedbacks são de extrema importância para o desenvolvimento do produto, então abrimos a oportunidade de um mês grátis para experimentação, e através deste link os leitores terão ainda acesso a descontos especiais para a contratação de qualquer um dos pacotes.

Caso tenha alguma dúvida ou precise de ajuda para regularizar a situação de um funcionário doméstico, teremos o imenso prazer em ajudar! Até a próxima e parabéns pelo trabalho de educação financeira que realizam.

Ricardo Pereira
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários