Dinheirama Entrevista: Sandra Blanco, Consultora de Investimentos da ÓramaComo já era esperado, o ano de 2014 começou cheio de incertezas na economia. Muitos apostam que o Banco Central (BC) irá continuar firme no ajuste da taxa Selic para controlar a inflação; no mercado externo, o corte de estímulos na economia americana parece acertar em cheio a economia dos países emergentes, fazendo com que o câmbio seja diretamente afetado.

Essas turbulências podem significar maus investimentos ou grandes oportunidades para quem fizer a leitura correta do atual cenário econômico. Para facilitar sua interpretação, nós no Dinheirama nos sentimos privilegiados em contar com as análises dos amigos da Órama, especialistas que fazem um trabalho sério buscando sempre oferecer oportunidades boas de investimentos levando em conta sempre os objetivos e o perfil de cada investidor.

Desta vez, convidamos a Sandra Blanco, Consultora de Investimentos da Órama, CFP®, que tem mais de 20 anos de experiência no mercado financeiro, autora dos livros “Mulher Inteligente Valoriza o Dinheiro” (Ed. Qualitymark) e “A Bolsa para Mulheres” (Ed. Campus) para uma entrevista muito esclarecedora sobre os melhores investimentos para 2014.

Acompanhe nossa entrevista:

Sandra, em relação ao cenário econômico para o investidor em 2014, cautela continua sendo uma palavra chave?

Sandra Blanco: Sim, mesmo em ambientes mais claros, com tendência definida, cautela é uma palavra que deve estar sempre presente, independentemente do cenário econômico e das perspectivas dos especialistas.

Para 2014, sugiro que os investidores mantenham suas carteiras diversificadas de acordo com o seu perfil, pois os problemas ocorrem quando a exposição ao risco em busca de maiores retornos é excessiva. O ano, sem dúvidas, será marcado por incertezas, o que significa que os investimentos com algum risco embutido apresentarão variações negativas em alguns momentos.

Dessa forma, os investidores podem ajustar suas carteiras, aumentando a alocação em produtos de renda fixa, mas sem zerar as posições em multimercado ou renda variável, para não limitar seus ganhos. Há muitas oportunidades disponíveis que vão alcançar lucros no médio e longo prazo.

Os sinais do BC e as palavras de austeridade da Presidente Dilma em Davos, sinalizando um controle rígido na inflação, nos fazem crer que teremos elevação da Selic nas próximas reuniões do COPOM. Sob o ponto de vista do investidor, quais são as melhores alternativas?

S. B.: As expectativas dos especialistas já davam conta da alta da Selic em 2014 muito antes do discurso da Presidente. O mercado, de fato, espera que o Banco Central dê continuidade ao ciclo de alta da Selic este ano a fim de controlar a inflação.

Mas como teremos eleições, e juros altos não agradam muito aos eleitores, não acreditamos que a Selic será elevada o quanto seria necessário em 2014, deixando parte do ciclo de alta ainda para 2015.

Do ponto de vista do investidor, estas expectativas tornam os investimentos atrelados ao CDI, indicador que acompanha de perto a Selic, mais atraentes. Como mencionei acima, isso faz com que os investidores com perfil conservador e moderado aumentem suas posições em produtos de renda fixa.

Este ano tenho sugerido carteiras de investimento para clientes com alocações em renda fixa variando entre 25% e 50%, de acordo com a necessidade de liquidez de cada um. Quando a Selic está em alta, estes produtos rendem mais.

De toda forma, independentemente do perfil, sempre sugiro que o investidor mantenha pelo menos 10% da carteira em renda variável. Assim, não limita as possibilidades de ganho, mas reduz o risco da carteira.

A Órama passou a oferecer aos investidores novas opções. Você poderia explicar um pouco mais sobre os novos investimentos e como o investidor poderá ter acesso a eles?

S. B.: Recentemente, passamos a distribuir também produtos de renda fixa. Entendemos que diante do cenário de incertezas, os investidores com perfil conservador, moderado e mesmo os agressivos procuram mais por produtos de renda fixa.

Atendendo a esta demanda, agora também disponibilizamos LCIs (Letra de Crédito Imobiliário) e LCAs (Letra de Crédito do Agronegócio) para nossos clientes. Estes são títulos de crédito privado, isentos de Imposto de Renda para pessoa física, são garantidos pelo FGC (Fundo Garantidor de Crédito) até o limite de R$ 250 mil por CPF e instituição emissora, e não cobram taxas.

A rentabilidade das Letras de Crédito varia de acordo com o CDI, já que pagam um percentual do índice – 90% do CDI, por exemplo. É interessante comparar as Letras de Crédito com o CDB, pois para que um CDB alcance um mesmo rendimento de uma LCI de 90% do CDI, este CDB, por conta do IR, teria que render 116% do CDI, o que você não encontra no mercado.

O site da Órama passou a ter uma área exclusiva para renda fixa, inclusive com um simulador de rentabilidade. Para ter acesso às Letras de Crédito, o investidor precisa apenas ter seu cadastro aprovado conosco, sem nenhum custo para criação e manutenção de conta. A aplicação mínima para LCIs e LCAs através do nosso site é de R$ 5 mil e as taxas de remuneração variam de acordo com a instituição emissora e o prazo de vencimentos dos títulos.

Em 2013 tivemos a oportunidade de acompanhar o trabalho da Órama ainda mais de perto e ficamos muito contentes em participar e conhecer diversos projetos que incentivaram muitas pessoas a planejar e controlar os gastos e investir com inteligência. Em sua opinião, o que será decisivo em 2014 em termos de aprendizado para que as pessoas tenham melhores resultados ao investir e como a Órama trabalhará neste contexto?

S. B.: Investidor com alma de investidor tem horizonte de prazo mais longo. “Nenhum vento é favorável para o marinheiro que não sabe aonde quer ir” (Sêneca). É muito comum ver investidores insatisfeitos com bons produtos de renda variável porque performaram mal em um mês ou mesmo um ano.

Variações negativas de curto prazo são comuns e os investidores devem entender que é preciso aceitá-las para obter melhores resultados no longo prazo. São nos momentos de mais volatilidade, incertezas e cenário nebuloso que as oportunidades de ganhos absolutos surgem, porém os frutos levam tempo para amadurecer.

Quando não se investe em renda variável ou fundos multimercado, limita-se o potencial de ganhos da carteira de investimentos. Neste contexto, continuaremos educando os investidores, através de artigos, vídeos e eBooks gratuitos (clique para download) que auxiliam na compreensão dos produtos, estratégias de investimentos e na tomada de decisão.

Nosso mais recente lançamento é o eBook gratuito “Cenários e Investimentos para 2014” (download aqui), com análises e projeções sobre os mercados e os investimentos no ano, além de sugestões sobre os melhores produtos no cenário atual.

Sandra, muito obrigado pela entrevista. Por favor, deixe uma mensagem final para nossos leitores que acompanham de perto o seu trabalho.

S. B.: Planejamento, disciplina e horizonte de investimento mais longo são fundamentais para alcançar bons resultados. Para quem tiver dúvidas sobre produtos financeiros, alocação de recursos e plano de investimento, coloco-me à disposição para ajudar.

Basta enviar uma mensagem para mim através do canal “Fale com a Sandra” ou pelo www.orama.com.br. Bons investimentos e até a próxima.

Foto: divulgação.

Ricardo Pereira
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários