Muitos de nós sabemos dos desafios que permeiam a vida do empreendedor no Brasil. Se começar um negócio é algo para os fortes, manter o negócio em funcionamento e gerando lucros é uma tarefa hercúlea.

Para saber mais sobre este tema e também sobre soluções que facilitam o dia a dia do empreendedor, conversamos com Vinicius Roveda e Marcelo dos Santos, da empresa ContaAzul.

Vinicius atua há 15 anos no mercado de tecnologia e internet. Possui formação em Ciências da Computação, MBA em Gestão Empresarial e especialização em Gestão de Produtos. É fundador e CEO da ContaAzul, fornecedora de software de gestão online para MPEs (micro e pequenas empresas) de todo o Brasil. A ContaAzul foi acelerada pela americana 500Startups e já recebeu aportes de diversos investidores mundiais desde 2009.

Marcelo é formado em Ciência Contábeis, tem MBA em Administração Global pela Universidade Independente de Lisboa e MBA pela Fundação Getúlio Vargas. Ganhou diversos prêmios como o Marketing Company on Technology Marketing e Grandes Sacadas de Marketing. Atualmente, é CGO (Chief Growth Officer) da ContaAzul.

Vinicius e Marcelo, observamos algumas notícias ao longo de 2015, informando que o Brasil é um dos países mais empreendedores do mundo.  No entanto, criar um negócio não é algo tão simples assim. Na opinião de vocês, quais são algumas das características que os empreendedores precisam possuir?

Vinicius Roveda: A sensação presente entre os brasileiros de que somos mais empreendedores do que a média, está presente em outros países ao redor do mundo também, não é algo que acontece somente no Brasil.  Acredito que o empreendedorismo é um fenômeno mundial, não exclusivo do Brasil.

Existem 2 tipos de empreendedores: o empreendedor por necessidade e o empreendedor por oportunidade. O empreendedor por necessidade é aquele que não encontra uma opção de emprego e acaba empreendendo por não ter escolha, enquanto o empreendedor por oportunidade é aquele que possui uma boa percepção das oportunidades em torno das experiências que ele viveu, busca entender o mercado e estrutura o lançamento de um produto ou serviço inovador.

Na minha opinião, e há pesquisas que confirmam isso, temos poucos empreendedores por oportunidade aqui no Brasil e é muito comum termos um aumento de empreendedores por necessidades em momentos de crise como a que estamos vivendo agora. Precisamos melhorar isso.

Acredito que a principal característica dos empreendedores por oportunidade é o fato deles serem apaixonados pelo que fazem e aplicarem  todas as experiências de suas vidas para entender uma forma de inovar, criar algo novo e oferecer uma nova experiência. Isso pode acontecer em qualquer mercado ou nível. Mas em ambos tipos de empreendedores, o sucesso está relacionado a se diferenciar, se preparar e ser persistente.

Marcelo dos Santos: No caso da diferenciação, imaginemos um exemplo que parece simples: um vendedor de tapioca pode  desenvolver uma oferta diferente, com ingredientes ou processos inovadores e criar uma rede de distribuição ao ponto de sua empresa se tornar global.  Basta querer fazer e ser apaixonado pelo que faz.

Preparar-se é fundamental, e para isto o empreendedor precisar ter muita consciência dos seus pontos fortes e fracos e buscar através do autodesenvolvimento e/ou na estruturação do seu time, as competências que faltam para executar o seu negócio.

Há também um outro lado dessa questão, que é o também alto índice de mortalidade dos negócios no Brasil. Muitos deles não conseguem se manter em funcionamento por mais de 2 anos. Por que isso acontece?

V. R.: Infelizmente no Brasil ainda temos um nível de mortalidade das empresas muito alto. Segundo a Demografia das Empresas do IBGE aproximadamente 50% das empresas fecham as portas dentro dos três primeiros anos por falta de planejamento e gestão. Muitos empreendedores acreditam que por serem bons em vender, ou produzir ou prestar um serviço, podem subestimar a importância de fazer boa gestão dos recursos financeiros e das pessoas.

Persistir, principalmente num país como o Brasil, também é fundamental. A vida de um empreendedor é comparada a uma montanha russa e este sentimento tem ciclos. Há momentos do dia que se tem certeza de que tudo dará certo e uma hora depois está convicto de que não conseguirá. Obviamente a persistência sem a diferenciação e a preparação diminuem muito as chances de sucesso, pois você vai persistir em um caminho errado.

M. S.: Eu conheço pouquíssimos empreendedores que levantam pela manhã e dizem: “Puxa, hoje vou chegar na empresa e vou fazer o que mais gosto que é: olhar o fluxo de caixa, fazer a conciliação bancária ou ver se foi feita (quando há uma pessoa responsável pelo financeiro), vou ver como está o prazo médio de pagamento e recebimento, como está minha inadimplência”.

Geralmente os empreendedores levantam pela manhã e se preocupam em vender, produzir, estar em contato com o cliente, etc. E isto é extremamente importante, porém não adianta vender bem, ter um ótimo nível de atendimento, ter um produto ou serviço fantásticos sem cuidar da gestão financeira da empresa. Esta, infelizmente é a maior razão de falência das pequenas empresas. A gestão financeira fica delegada e na maioria das vezes “de largada” às pessoas que não estão preparadas para isso.

No mundo das finanças pessoais, o primeiro passo para o sucesso é aprender a controlar o orçamento (quanto ganha, quanto gasta e como está gastando). No mundo dos negócios não é diferente. Expliquem para nossos leitores quais são os itens importantes e que devem ser controlados para o bom andamento da empresa.

V. R.: O principal ponto é o registro e a manutenção dos dados sempre confiáveis e atualizados. Qualquer sistema de controle só vai funcionar quando tivermos esses dados sempre atualizados, dessa forma conseguiremos saber quanto e como foi gasto, quanto e de quem foi recebido (ou não recebido), qual nosso faturamento, quais são nossos principais clientes, quem são os principais fornecedores, como está o nível de estoque, qual o produto mais vendido, qual o custo para efetuar esta venda ou seja, teremos controle do negócio.

O fluxo de caixa responde questões sobre a vida financeira da empresa. Também dá visibilidade futura sobre o que será preciso fazer para ter uma boa situação de caixa.

O demonstrativo de resultados é outra ferramenta super importante. Ele dá aos sócios capacidade de analisarem se a empresa apresenta lucro ou prejuízo e em ambos os casos, saber o porquê  isso acontece.

M. S.: Separar as despesas pessoais das despesas da empresa é vital para o sucesso de qualquer negócio. O primeiro ponto é definir um valor de pró-labore e além disso, sempre utilizar contas separadas: uma coisa é a conta da empresa, outra coisa é a conta dos sócios. Pode parecer algo básico, mas diariamente vemos milhares de empreendedores que não separam as contas e isto causa grande confusão.

Em todos estes casos, ter ao seu lado um bom contador é fundamental. O Contador está acostumado a lidar com todas as questões e é fundamental para o sucesso da pequena empresa. Infelizmente ele é visto pelos pequenos empresários como “um mal necessário”, porém costumo dizer que é um “bem fundamental” e das duas uma: ou você tem um contador ruim ou você está subutilizando ele. Ele tem condições de dar insights valiosíssimos para seu negócio e conhece fluxo de caixa, demonstrativo de resultado como ninguém. Lembre-se que ele estudou para isto e ainda conhece a fundo no minimo uma centena de empresas que são seus clientes.

Vinicius, muitos já ouviram falar de sistemas de gestão financeira, mas não sabem exatamente o que são e nem qual é a sua utilidade na gestão dos negócios. Você poderia explicar isso para nós?

V. R.: Estes sistemas substituem a infinidade de planilhas de controle que as empresas têm atualmente e são mais fáceis e baratos para operar. Imagine que, ao comprar algo, você registra a compra no sistema e automaticamente ele atualiza o estoque, atualiza o contas a pagar e por consequência o fluxo de caixa. Quando você vende é a mesma coisa: o sistema emite a nota fiscal, baixa o estoque, alimenta o contas a receber e o fluxo de caixa, automaticamente.

Note que com apenas estas duas informações (compra e venda) você tem condições de saber seu nível de estoque, o que foi vendido, o que foi comprado, para quem foi vendido, por quanto e quando vai ser recebido etc.

Infelizmente muita gente acha que a tecnologia é algo caro e não é para as pequenas empresas. Isto é um erro gigantesco. Atualmente por R$ 29,00 por mês você já pode gerenciar uma empresa sem precisar comprar computador novo, servidores, gastar com treinamentos, implantações de sistemas, etc.

Visitei o site do ContaAzul e notei que o sistema oferece  várias funcionalidades para facilitar a gestão para o pequeno empresário. Por favor, explique para nossos leitores como funciona o ContaAzul e como os serviços podem ser contratados.

V. R.: O ContaAzul é o melhor sistema de gestão online para pequenas empresas. Com ele você controla seu financeiro, suas vendas, seu estoque e emite nota fiscal eletrônica sem complicação.

Nossas Funcionalidades simplificam a gestão da pequena empresa, tornando-a mais rápida e eficiente.

Você faz o processo de compras e vendas e de forma integrada você terá as informações necessárias para o controle financeiro.

Pelo Controle Financeiro é possível acompanhar em tempo real todas as movimentações da empresa.

Os Relatórios Online facilitam a tomada de decisões a partir da visualização clara dos números.

Com a Integração Bancária você não perde tempo em lançamentos manuais, pois ela importa seu extrato bancário automaticamente para fazer conciliação.

Emissão de NFe permite emitir e gerenciar todas as Notas Fiscais Eletrônicas em um único sistema, assim como a Emissão de Boletos que emite boletos simples e registrados de maneira prática e rápida.

Nossos planos custam entre R$29 a R$199 mensais de acordo com a necessidade de sua empresa. Sem taxa de implantação, sem contratos de longo prazo e sem taxas escondidas. Você ainda pode experimentar grátis por sete dias.

Marcelo, é comum o pequeno empresário ter dúvidas sobre o processo de migração da emissão de notas fiscais em papel  para o modelo da nota fiscal eletrônica. Você poderia esclarecer alguns pontos principais sobre isso?

M. R.: A nota fiscal eletrônica é um documento digital, emitido e armazenado eletronicamente, com o intuito de documentar circulação de mercadorias e prestação de serviços.

A maioria das pequenas empresas possuem estruturas e pessoal reduzidos, fazendo com que, muitas vezes, o próprio empreendedor assuma o papel de controlador das finanças.

Com um procedimento mais prático e eficaz, tanto para a fiscalização do governo, quanto para a emissão e o manuseio pelas empresas, a nota fiscal eletrônica foi desenvolvida para modernizar o processo de emissão no país. O projeto visa substituir o modelo tradicional de papel no Brasil.

Para facilitar ainda mais o gerenciamento das notas fiscais, as pequenas empresas podem utilizar um sistema de gestão online que emite as notas fiscais sem precisar redigitar tudo o que já foi registrado no momento da proposta de venda, além de possibilitar o controle das finanças de forma simples e integrada.

Com um programa de emissão de nota fiscal eletrônica, sua empresa ganhará tempo digitando as informações apenas uma vez em um único sistema e reaproveitando-as sempre que possível ao longo do processo de compra e venda.

Agradecemos o tempo e também a atenção de vocês com os leitores do Dinheirama, que puderam aprender sobre empreendedorismo e principalmente sobre como gerenciar o negócio. Por favor, deixem uma mensagem final para nossos leitores.

M. R.: O ContaAzul é um produto feito para aumentar as chances de sucesso das pequenas empresas e ele é continuamente melhorado baseado no comportamento e necessidades deste mercado.

Somos 260 pessoas com uma única missão: fazer com que as pequenas empresas tenham sucesso. Faremos o que estiver ao nosso alcance para que isto aconteça. Esta é uma das razões que desenvolvemos continuamente materiais que ajudam os pequenos empresários a se prepararem para gerirem suas empresas, está tudo publicado no nosso blog e nos diferentes canais do nosso site.

Giovanni Coutinho
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários