Seguindo sugestões de nossos leitores, faremos todo domingo de noite uma seleção, com resumo, dos cinco artigos mais lidos, comentados e compartilhados da semana anterior. A ideia é oferecer a você um panorama das preferências de mais leitores do Dinheirama e reunir os artigos de forma a oferecer um começo de semana mais proveitoso.

Os artigos mais lidos na semana passada foram:

Educação Financeira: Dinheiro não é Opcional. Riqueza é uma Escolha!

Sempre que abordo a educação financeira, procuro fazê-lo da forma mais humana possível. Isso quer dizer que são nossas escolhas (ou a ausência delas) que determinam nossas consequências financeiras. Prefiro dedicar mais tempo discutindo nossas prioridades, a costumeira baixa capacidade de lidar com a frustração e a necessidade de mais disciplina que falando de planilhas.

Viver em um país com juros elevados, consumo em alta, mas com a renda média ainda em patamares mais baixos requer o entendimento de algo óbvio: negligenciar o dinheiro não é uma das decisões possíveis neste cenário. Dinheiro não é opcional em uma realidade com a do Brasil.

Clique aqui para assitir a um vídeo sobre tudo isso.

A Relação das Mulheres com o Dinheiro

O comportamento mais cauteloso da mulher com dinheiro é uma questão de falta de confiança ou de conhecimento? Com esta pergunta, Sandra Blanco detalha estudos e fatos sobre como as mulheres lidam com as finanças e quais são suas principais características ao investir.

De forma geral, as mulheres são muito mais organizadas e menos arrojadas que os homens, portanto perfeitas para lidar com investimentos voltados para a qualidade de vida familiar. O artigo é muito interessante e tem ainda uma promoção que sorteará livros.

Clique aqui para ler o artigo completo.

Sucesso Financeiro e Riqueza: Quanto Você Ganha não é o Principal

“Por que eu não sou rico?”. Você certamente já se fez esta pergunta e respondê-la requer muito mais do que apenas dinheiro. Riqueza é um conceito subjetivo e que requer reflexões profundas sobre o padrão de vida desejado e as prioridades familiares.

De uma forma inteligente e bastante objetiva, Jean Mendes apresenta três passos fundamentais para lidar melhor com a decisão de enriquecer. Ótima leitura.

Clique aqui para ler o artigo completo.

Carros: O Maior Erro na Hora da Compra. Evite-o a todo custo!

A hora de definir qual carro comprar normalmente envolve uma série de decisões importantes que têm grandes impactos futuros, principalmente financeiros. Se essa escolha se basear em um critério equivocado, há sérios riscos de arrependimentos e frustrações que podem custar caro.

Indo direto ao ponto: o maior erro que alguém pode cometer na hora da aquisição é basear-se apenas no preço de compra como critério preponderante para selecionar o carro.

Clique aqui para ler o artigo completo.

Tesouro Direto versus Poupança: Quem vence esse confronto?

Hoje a poupança é considerada o investimento mais tradicional e realmente é muito fácil de aplicar, você pode fazer depósitos na “boca do caixa” ou transferências direto de sua conta corrente pelo Internet banking. A pergunta que fica é: será que você está fazendo um bom investimento ao escolher a poupança? A resposta é não!

Qualquer título do Tesouro Direto, prefixado ou o indexado a algum índice, sempre vai render mais que a poupança se você aguardar até o vencimento. Dependendo do título e prazo, você pode conseguir um rendimento muito maior.

Clique aqui para ler mais sobre Tesouro Direto vs Poupança.

Acompanhe os novos artigos durante a semana e domingo que vem volto com os artigos mais compartilhados e visitados. Obrigado pela confiança. Até mais.

Conrado Navarro
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários