Seguindo sugestões de nossos leitores, faremos todo domingo de noite uma seleção, com resumo, dos cinco artigos mais lidos, comentados e compartilhados da semana anterior. A ideia é oferecer a você um panorama das preferências de mais leitores do Dinheirama e reunir os artigos de forma a oferecer um começo de semana mais proveitoso.

Os artigos mais lidos na semana passada foram:

10 verdades sobre abrir o próprio negócio que você deve conhecer (ainda assim, vale a pena!)

Você não enfrentará menos pressão e uma carga de trabalho mais suave ao se tornar dono da sua própria empresa. Ao contrário, a pressão se multiplicará e sua carga de trabalho será exaustiva. Está preparado?

Ah, você terá contato íntimo com a loucura burocrática do Brasil. Isso é chatíssimo e tomará um tempo precioso do seu processo criativo. Para compensar, você terá que contar com os finais de semana ou feriados e eventualmente se acostumará a acordar muito mais cedo do que acordava e encerrar seu dia tarde da noite. Tem mais!

Clique aqui para ler o artigo completo.

Você precisa construir sua independência financeira (o INSS não vai dar conta)

Poucos dias atrás, conversei com um amigo sobre os desafios do futuro e como o fato de que viveremos mais afetará a economia do país. Para fazer sentido, essa expectativa adicional de vida deve ser aproveitada com qualidade. Para isso, devemos pensar em saúde, família, mas também em dinheiro, certo?

Infelizmente, a maioria das pessoas ainda não parou para pensar com a devida preocupação sobre o tema, que anda em voga novamente: nas últimas semanas, muito se falou sobre as dificuldades que o sistema de previdência pública enfrenta, mesmo com o possível final do chamado fator previdenciário. O sistema atual pode não aguentar, já pensou nisso?

Clique aqui para ler o artigo completo.

Educação financeira: nem tudo que vem de fora funciona no Brasil

Vi muitas iniciativas nascerem e serem descontinuadas. Percebi que algumas dessas iniciativas decidiram trilhar um caminho mais fácil, o da “educação financeira enlatada”, importada e, em muitas situações, traduzida para um contexto fora da realidade nacional.

O famoso caminho “quanto mais barato, melhor” acabou se mostrando um desserviço para muitos brasileiros que, inspirados em autores que defendiam teses regionais, acabaram por caminhar no sentido contrário ao que funciona melhor por aqui. O Brasil é um capítulo à parte, e por aqui respeitamos isso.

Clique aqui para ler o artigo completo.

O que esperar de 2016 após os ajustes na economia?

Em 2014, o Brasil parou! O PIB (Produto Interno Bruto), soma dos bens e serviços produzidos no país, apresentou ligeira expansão de 0,1%. Tecnicamente, isso significa que foi um ano sem expansão econômica. Iniciamos 2015 com perspectivas muito negativas para a economia brasileira, com declarações do novo ministro da Fazenda, Joaquim Levy, sobre os ajustes fiscais.

As perspectivas compiladas no boletim Focus de 04/05/2015 (emitido pelo Banco Central) apontam para retração de 1,18% do PIB neste ano. Olhando assim, parece que 2015 já era! Que tal pensar em 2016 para, assim, buscar os melhores investimentos do mercado para este período?

Clique aqui para saber mais sobre 2016.

Medo da crise? Veja 7 motivos para registrar sua marca agora

O especialista Rudinei Modezejewski aponta 7 motivos bem práticos e objetivos para você parar de ficar enrolando e registrar sua marca antes que algo muito ruim aconteça. Isso mesmo, registrar a marca da sua empresa. Você não fez isso ainda? Então preste atenção!

O registro de marca é algo que a maioria dos empresários sequer dá atenção. Neste artigo, Rudinei explica em detalhes porque você deve registrar sua marca com urgência, especialmente em tempos de “crise”.

Clique aqui para ler o artigo completo.

Acompanhe os novos artigos durante a semana e domingo que vem voltamos com os artigos mais compartilhados e visitados. Obrigado pela confiança. Até mais.

Conrado Navarro
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários