Agora você confere as principais notícias de 27/04/2017, quinta-feira.

Dólar sobe para R$ 3,17 e Bolsa recua 0,4% por incertezas sobre reformas

As incertezas em torno do apoio que o governo terá para conseguir aprovar as reformas trabalhista e da Previdência levaram o dólar a R$ 3,17 nesta quarta-feira (26). A preocupação fiscal também fez com que a Bolsa caísse, interrompendo sequência de três altas.

O Ibovespa, principal índice do mercado acionário brasileiro, fechou em baixa de 0,43%, para 64.861 pontos. O volume financeiro negociado no pregão foi de R$ 7,7 bilhões.

O dólar comercial encerrou o dia com alta de 0,66%, para R$ 3,17. O dólar à vista, que fecha mais cedo, subiu 1,59%, para R$ 3,20.

Ferramenta recomendada: Super planilha para seu controle financeiro

Aeroportos e Correios aderem à greve de sexta-feira

A greve geral convocada para sexta-feira (28), pelas centrais sindicais e movimentos sociais em protesto às reformas da Previdência e trabalhista, propostas pelo governo Michel Temer, ganha corpo com a adesão dos aeroviários dos principais aeroportos do País e também dos funcionários dos Correios.

Segundo o Sindicato Nacional dos Aeroviários (SNA), a paralisação da categoria está prevista para começar na manhã de sexta-feira, ainda sem horário de início divulgado. A decisão inclui os trabalhadores que exercem atividades no solo, como serviços de check-in e responsáveis pela bagagem, por exemplo.

eBook gratuito recomendado: Finanças Pessoais para Mulheres

Senado aprova projeto de lei para punir abuso de autoridade

Após uma reunião que adentrou a madrugada passada e contou com parlamentares de diversos partidos, o Senado chegou a um acordo e aprovou nesta quarta-feira (26) o projeto de lei que endurece as punições por abuso de autoridade atribuídas a agentes públicos –incluindo juízes, promotores e policiais.

O texto obteve 54 votos a favor e 19 contra. Os senadores tentaram aprovar o projeto em votação simbólica, em que não seriam registradas as posições individuais de cada parlamentar, mas houve recurso do plenário para que a votação fosse nominal.

O projeto será enviado à Câmara, onde passará por comissões antes de ser votado em plenário. Só depois a proposta será enviada ao presidente Michel Temer para sanção ou veto.

eBook gratuito recomendado: O casamento dos seus sonhos

Arrecadação volta a cair em março após dois meses de alta

A arrecadação de impostos e contribuições federais somou R$ 98,994 bilhões no mês, um recuo real (já descontada a inflação) de 1,16% na comparação com igual mês de 2016. Em relação a fevereiro deste ano, houve aumento nominal de 7,18% – o relatório divulgado pela Receita não traz a variação real, além de outras informações normalmente divulgadas pelo órgão.

No primeiro trimestre deste ano, a arrecadação federal somou R$ 328,744 bilhões. O montante representa alta real de 0,08% na comparação com igual período do ano passado.

As desonerações concedidas pelo governo resultaram em uma renúncia fiscal de R$ 21,106 bilhões no primeiro trimestre deste ano, valor pouco menor do que em igual período do ano passado, quando ficou em R$ 22,686 bilhões. Diferentemente de outros meses, a Receita não divulgou o volume das desonerações apenas do mês de março.

Redação Dinheirama
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários