Agora você confere as principais notícias de 23/05/2017, terça-feira.

Incerteza política volta a pesar nos mercados e Bolsa cai 1,5%; dólar sobe

A indefinição política provocada pelas alegações envolvendo o presidente Michel Temer e pela avaliação de que o peemedebista perdeu o apoio necessário para aprovar as reformas voltou a pesar nos mercados nesta segunda-feira (22).

A Bolsa brasileira, que havia esboçado recuperação na sexta-feira (19) com a percepção de que os áudios gravados pelo empresário Joesley Batista com Temer não eram conclusivos, voltou a cair nesta segunda.

O Ibovespa, que reúne as ações mais negociadas do mercado brasileiro, caiu 1,54%, para 61.673 pontos.

No mercado cambial, o dólar comercial fechou em alta de 0,64%, para R$ 3,27. O dólar à vista teve avanço de 0,16%, para R$ 3,29.

Aplicativo gratuito recomendado: Controle suas finanças na palma da mão com o DinheiramaOrganizze

Em meio à crise política, governo libera R$ 3 bi do Orçamento

Em meio à crise política gerada pela delação da JBS, o governo federal liberou R$ 3,146 bilhões do Orçamento de 2017.

O relatório de avaliação de Receitas e Despesas justifica que o descontingenciamento foi possível porque houve, entre outros fatores, um aumento na expectativa de arrecadação com o Refis para Estados e Municípios e também foi incluída a previsão de bônus de assinatura referente à 3ª rodada de licitação de áreas de produção de petróleo, sob regime de partilha, no valor de R$ 4,3 bilhões.

Com isso, o montante contingenciado total do orçamento deste ano caiu para R$ 38,978 bilhões. No fim de março, depois de dois adiamentos, o governo havia anunciado o contingenciamento de R$ 42,125 bilhões nas despesas da União, que seria suficiente para entregar um déficit de R$ 139 bilhões, que é a meta fiscal perseguida em 2017.

Ferramenta recomendada: Super planilha para seu controle financeiro

Independentemente de edições em áudio, Temer cometeu crime, diz OAB

O presidente da OAB, Claudio Lamachia, disse nesta segunda-feira (22) que independentemente de ter havido ou não edições em áudio do presidente Michel Temer, houve crime de responsabilidade que justifique pedido de impeachment.

A OAB mantém, portanto, a decisão de protocolar pedido de impedimento do presidente ainda esta semana.

A ordem se baseia não somente no áudio no qual Temer é gravado em conversa com o empresário Joesley Batista, em reunião sem registro, no Palácio Jaburu, em Brasília.

Segundo Lamachia, a maior prova de que Temer cometeu crime de responsabilidade está na confirmação, pelo próprio presidente, em seus dois pronunciamentos, de que se reunira com o delator e que ouvira dele que comprava juízes e procuradores da Lava Jato.

Palestras gratuitas recomendadas: Conrado Navarro e convidados falam sobre finanças pessoais e empreendedorismo

Reforma da Previdência começa a ser votada entre 5 e 12 de junho na Câmara

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEMJ), anunciou na tarde desta segunda-feira (22), que a reforma da Previdência começará a ser votada no plenário da casa entre os dias 5 e 12 de junho.

Por se tratar de uma mudança na constituição, a proposta precisa passar por duas votações no plenário e, para ser aprovada, precisa de pelo menos 308 votos favoráveis.

Maia reconheceu que, desde quarta-feira passada (17), o Brasil vive uma crise “muito grande”, após o presidente Michel Temer ser citado pela delação de executivos do grupo JBS. Crise que, na avaliação, de Maia, precisa ser superada com “muita paciência e diálogo”.

Redação Dinheirama
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários