Agora você confere as principais notícias de 29/03/2018, quinta-feira.

PT ‘colhe o que planta’, diz Alckmin sobre ataque a tiros a caravana de Lula

Para o governador paulista, Geraldo Alckmin (PSDB), o ataque a tiros que atingiu dois ônibus da caravana do ex-presidente  Lula (PT) no Paraná, que levavam jornalistas a trabalho, foi um efeito colateral produzido pelos próprios petistas.

“Acho que eles estão colhendo o que plantaram”, disse o tucano, antes de assistir à pré-estreia de “Nada a Perder”, cinebiografia do bispo Edir Macedo.

Alckmin, que rivalizará com Lula ou outro candidato apoiado pelo PT na eleição presidencial, acusou a legenda rival de “sempre partir para dividir o Brasil, nós contra eles”. Agora, disse, “acabaram sendo vítimas” dessa polarização.

O governador acrescentou que não defende a violência, e sim “o debate de ideias”.

Também no evento que prestigiou o líder da Igreja Universal, o prefeito paulistano, João Doria (PSDB), seguiu na mesma toada do colega de tucanato.

Eduardo Guardia será o novo ministro da Fazenda

O novo ministro da Fazenda será Eduardo Guardia, hoje secretário executivo da pasta. Guardia substituirá Henrique Meirelles, que deixará o comando da economia na próxima semana para tentar disputar as eleições de outubro. Meirelles vai se filiar ao MDB e quer concorrer à Presidência.

Guardia foi indicado pelo titular da Fazenda, mas enfrentava resistências no Congresso por ser considerado um técnico sem jogo de cintura político. A escolha do nome dele, no entanto, fez parte de um acordo do presidente Michel Temer com Meirelles para que o ministro se filiasse ao MDB.

Além disso, Temer também avaliou que manter a continuidade na equipe econômica é o melhor caminho para evitar turbulências no fim do governo, principalmente às vésperas das eleições. Projeções indicam um crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) que pode superar as expectativas e chegar a 3,4%, além de arrecadação em alta, inflação baixa e juros que tendem a cair ainda mais.

Temer planeja entrar no páreo por um novo mandato e pode ter Meirelles como vice da chapa. No Palácio do Planalto, auxiliares do presidente dizem que a ideia é formar uma aliança entre a política e a economia, ao centro, para enfrentar os extremos.  Se até o fim de junho Temer não tiver melhor desempenho nas pesquisas, no entanto, a tarefa de defender o governo pode ficar com Meirelles.

Defesa de Lula diz esperar que ministra do STF não ceda a apelo de Moro

A defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse, nesta quarta (28), esperar que a ministra do STF Rosa Weber não ceda, na discussão sobre a concessão ou não do habeas corpus do petista, a pedidos de “ex-assessores ou integrantes do sistema de justiça”, numa referência ao juiz Sergio Moro.

Na última segunda (26), Moro —que auxiliou Weber no caso do mensalão— elogiou a “seriedade e qualidade técnica” da ministra, durante entrevista ao programa Roda Viva, e disse esperar que o STF não volte atrás na permissão de prisão após condenação em segunda instância.

A declaração foi interpretada como um recado a Weber, cujo voto é considerado crucial na decisão sobre o habeas corpus de Lula, que será discutido na próxima quarta (4).

“Eu só espero que a ministra aplique a Constituição Federal vigente, independentemente de qualquer apelo que seja feito a ela por ex-assessores ou integrantes do sistema de justiça”, disse Cristiano Zanin Martins, advogado do ex-presidente, em entrevista ao jornal Folha de São Paulo.

Zanin afirmou confiar na “força jurídica” do pedido de habeas corpus preventivo apresentado e disse acreditar que o Supremo o concederá ao ex-presidente.

Bolsa brasileira fecha estável

A Bolsa brasileira fechou perto da estabilidade nesta quarta-feira (28), em sessão marcada por forte volatilidade no exterior e por uma nova venda de ações das principais empresas de tecnologia nos EUA que fez somente a Amazon perder US$ 32 bilhões em valor de mercado. O dólar encerrou a R$ 3,33.

O Ibovespa, índice das ações mais negociadas, fechou em leve alta de 0,08%, para 83.874 pontos. O volume financeiro negociado foi de R$ 9 bilhões, enquanto o giro médio diário de março está em R$ 11 bilhões.

O dólar comercial ficou estável em R$ 3,332, e o dólar à vista, que fecha mais cedo, subiu 0,39%, para R$ 3,342.

Acompanhe o fechamento do mercado financeiro com Alvaro Bandeira

Clique para ouvir

Redação Dinheirama
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários