Agora você confere as principais notícias de 23/12/2018, domingo.

Local de nascimento de ministro é detalhe, indicação é técnica, diz Bolsonaro

O presidente eleito, Jair Bolsonaro, afirmou que adotou critérios técnicos na escolha de seus ministros.

Ele criticou o jornal  Folha de São Paulo por publicar reportagem relatando que, pela primeira vez na história da República do Brasil, não haverá representante nascido no Norte ou Nordeste no primeiro escalão quando ele tomar posse, dia 1º.

“A Folha de S. Paulo continua a fazer um jornalismo sujo e baixo nível. Agora insinuam falta de representatividade das regiões Norte e Nordeste nos ministérios, como se nascer em uma região se traduzisse em competência e não nascer significasse descaso e abandono. Vão quebrar a cara!”, afirmou nas redes.

“Divulguei as indicações de ministros em minhas redes e ficou bem claro que o critério para as escolhas foi técnico. Não saí perguntando a região de nascimento, cor da pele ou sexualidade de cada um, já que isso é irrelevante para as demandas de nosso país”, prosseguiu.

“Também não perguntei o local de nascimento para minha esposa, filha de nordestino, nem para os nordestinos que trabalham e trabalharão diretamente comigo na Presidência. Se defendemos igualdade, esses detalhes são completamente ínfimos.”

Para concluir, o presidente eleito afirmou “que as regiões Norte e Nordeste terão olhar especial do nosso governo, principalmente pelo grande potencial econômico que possuem”.

Justiça derruba liminar que suspendia negociações entre Embraer e Boeing

O TRF3 (Tribunal Regional Federal da 3ª Região) derrubou na madrugada de sábado (22) a liminar que suspendia a negociação entre a Embraer e a Boeing.

Esta foi a segunda vez este mês que um tribunal rejeitou as decisões de um juiz de São Paulo, Victorio Giuzio Neto, que pretendia bloquear temporariamente o acordo.

A desembargadora Therezinha Cazerta, presidente do tribunal, determinou que não corresponde ao juiz decidir o futuro da empresa conjunta proposta e destacou que o governo brasileiro tem poder de veto na Embraer, o que permite impedir decisões estratégicas se assim desejar.

Ela atendeu a um pedido da AGU (Advocacia-Geral da União), que alegou que a manutenção da liminar poderia lesar a economia pública e que a suspensão agride o princípio constitucional da livre iniciativa.

As negociações foram paralisadas no dia 19 devido a uma ação alegando que o negócio fere regras de mercado, uma vez que na transação haveria uma incorporação da Embraer pela Boeing e não apenas uma associação entre as empresas.

Dois dias antes, Embraer e Boeing haviam acertado os termos da venda do controle de divisão de aviação comercial da empresa brasileira para o grupo norte-americano, em um acordo avaliado em US$ 5,26 bilhões, mas um aval final do governo deve acontecer no mandato de Jair Bolsonaro.

O acordo prevê a criação de uma joint venture da qual a Boeing terá 80% e a Embraer, 20%.

Também está [prevista a criação de uma outra companhia para promover as vendas do cargueiro nacional KC-390, único produto militar que não ficará com a Embraer após sua nova configuração.

Hoje o governo brasileiro tem participação qualificada na Embraer, por meio de golden share, uma ação especial que dá mais controle ao seu proprietário.

A União, por meio do presidente da República, precisa dar aval à operação, que tem como uma das justificativas oficiais permitir à Embraer sobreviver em uma indústria de aviação global que viu nos últimos meses a principal rival da companhia brasileira, a canadense Bombardier, unir forças com a europeia Airbus, rival da Boeing.

Trump tem discutido demitir presidente do Federal Reserve, diz agência

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, tem cogitado demitir o presidente do Federal Reserve (Fed), Jerome Powell, publicou a Bloomberg no sábado citando fontes.

A frustração de Trump com o chefe do banco central norte-americano cresceu após o aumento dos juros nesta semana e após meses de perdas nas bolsas de valores, segundo a agência de notícias, que atribuiu a informação a fontes a par do assunto.

Nos últimos dias, o presidente dos EUA cogitou diversas vezes em conversas privadas a possibilidade de demitir Powell, diz a reportagem, citando duas dessas fontes.

Um porta-voz da Casa Branca não quis comentar, nem a porta-voz do Fed, Michelle Smith, segundo a Bloomberg.

O Fed elevou as taxas de juros na quarta-feira pela quarta vez em 2018, e sinalizou “mais algum aumento gradual” nas taxas mais adiante.

Os mercados financeiros globais, incluindo os índices de ações em Wall Street, esperam por uma sinalização de maior alívio na política de juros daqui para frente.

O índice Dow Jones teve a pior semana desde a crise financeira de 2008, enquanto o Nasdaq consolidou uma tendência de baixa prolongada.

Qualquer tentativa de demitir Powell pode ser vista como um golpe contra a independência do Fed em relação ao governo.

Redação Dinheirama
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários