Agora você confere as principais notícias de 16/10/2018, terça-feira.

Ibope: No 2º turno, Bolsonaro tem 59% dos votos válidos e Haddad, 41%

A menos de duas semanas para o segundo turno da eleição presidencial, o candidato do PSL, Jair Bolsonaro, tem 59% das intenções de voto, contra 41% do petista Fernando Haddad, segundo pesquisa Ibope/Estado/TV Globo divulgada segunda-feira (15)

O cálculo considera apenas os votos válidos, ou seja, exclui os nulos, brancos e indecisos. Levando em conta o eleitorado total, Bolsonaro lidera por 52% a 37%. Há ainda 9% dispostos a anular ou votar em branco, e 2% que não souberam responder.

Bolsonaro abriu 18 pontos porcentuais de vantagem nos votos válidos desde o primeiro turno, realizado no dia 7, quando ficou à frente do principal adversário por 46% a 29%.

Além de perguntar aos entrevistados quem é seu candidato preferido, o Ibope procurou medir o potencial de voto de cada um dos concorrentes. Após citar o nome de cada um dos candidatos, os entrevistadores perguntaram aos eleitores se votariam em cada um com certeza, se poderiam votar ou se não votariam de jeito nenhum.

Bolsonaro é o que tem mais simpatizantes convictos: 41% votariam nele com certeza, e 35% não votariam de jeito nenhum. Haddad é o que tem a maior rejeição: 47% não o escolheriam em nenhuma hipótese, e 28% manifestam certeza na escolha.

O Ibope ouviu 2.506 eleitores nos dias 13 e 14 de outubro. A margem de erro é de dois pontos porcentuais para mais ou para menos, e o intervalo de confiança é de 95%. Isso significa que há uma probabilidade de 95% de os resultados retratarem o atual momento eleitoral, considerando a margem de erro. O registro na Justiça Eleitoral foi feito sob o protocolo Nº BR-01112/2018. Os contratantes foram o Estado e a TV Globo.

Leia também: Doria tenta encontro mas leva chá de cadeira de Bolsonaro

Haddad sugere Mario Sergio Cortella para o Ministério da Educação

O candidato do PT à Presidência da República, Fernando Haddad, postou uma mensagem em seu perfil no Twitter, nesta segunda-feira, sugerindo o nome do filósofo e articulista Mario Sergio Cortella para o Ministério da Educação.

“Sou amigo do Mario Sergio Cortella há anos. Ele acompanhou meu trabalho como ministro e há muito tempo digo que ele deveria pensar em ocupar o Ministério da Educação. Quero montar a equipe dos melhores”, escreveu o ex-prefeito da capital paulista.

Cortella não é o primeiro nome cotado pelo presidenciável para compor um eventual ministério. Na semana passada, o petista sugeriu que o empresário Josué Gomes, filho do ex-vice-presidente José Alencar, “tem todas as condições, perfil e sensibilidade social” para chefiar a Fazenda caso ele seja eleito. “Isso é só especulação, sem nenhum fundamento. Nem é o momento para isso (conversas)”, desconversou o empresário ao Estado.

Na manhã de segunda (15), Haddad disse, em entrevista à Rádio Bandeirantes, que Cortella é um nome respeitado nacionalmente, e que também conversou com Joaquim Barbosa, ex-presidente do Supremo Tribunal Federal, na semana passada. “Há muito tempo liguei pro Cortella e disse: se eu puder opinar, eu acho que você tem que pensar em ocupar o Ministério da Educação. É um quadro que tem o respeito de todas as forças do País. Fiz esse comentário há tempos atrás”.

Sobre o ex-ministro Barbosa, disse que foi ouvi-lo sobre sugestões para aprimorar o plano de governo. “Estive com Joaquim Barbosa, é uma pessoa que tem 40 anos de serviços públicos prestados ao País. Fui conversar com ele sobre medidas que meu governo tem que tomar para aperfeiçoar o combate à corrupção, a transparência e o reforço às instituições”, disse. “Converso com todo mundo e vou montar a equipe dos melhores brasileiros para superar os problemas que estamos vivendo”, afirmou, sem confirmar se eles estarão na gestão caso seja eleito.

Bolsa fecha em alta de 0,5% e dólar recua a R$ 3,74

O Ibovespa, índice que reúne as principais ações negociadas na Bolsa de Valores de São Paulo, registrou alta no pregão de segunda-feira (15), subindo 0,53%, aos 83.359,76 pontos. A valorização das ações brasileiras esteve em sintonia com a depreciação do dólar ante o real e com a queda das taxas dos juros futuros.

No mercado cambial, o dólar terminou em queda de 1,01%, aos R$ 3,7383. Destaque para os papéis ON da Eletrobrás, que avançaram 6,24%.

PF indicia Abilio Diniz por suspeita de organização criminosa e estelionato

O empresário Abilio Diniz e o ex-diretor-presidente da BRF Pedro de Andrade Faria foram indiciados pela Polícia Federal nesta segunda (15) sob suspeita de terem cometido crimes contra a saúde pública, estelionato, falsidade ideológica e organização criminosa.

A PF usou a troca de mensagens por meio do aplicativo WhatsApp e acesso a emails para indiciar os executivos. O indiciamento consta do relatório da terceira fase da Operação Carne Fraca, denominada Trapaça, que investiga supostas fraudes laboratoriais e informação de dados fictícios ao Ministério da Agricultura.

A assessoria de imprensa de Abilio Diniz afirma que o relatório apresentado pela Polícia Federal não traz elementos que demonstrem irregularidades cometidas pelo empresário e  diz que o indiciamento não aponta culpa.

Além dos dois, outras 41 pessoas foram indiciadas, entre elas Francisco Turra, presidente da ABPA (Associação Brasileira de Proteína Animal), que nega envolvimento. Caberá ao Ministério Público Federal decidir se oferece denúncia com base nas conclusões da polícia, se pede novas diligências ou se arquiva a apuração, por não considerar haver provas para fazer uma acusação criminal contra os citados.

O relatório de 404 páginas, o delegado da PF Maurício Moscardi Grillo afirma que a análise de arquivos durante a investigação, como conversas por mensagens de e-mails e WhatsApp, “concluiu-se a prática das condutas delitivas não se restringia ao círculo das equipes técnica e gerencial das fábricas da BRF”.

“Há, de fato, a participação do corpo diretivo da empresa na trama investigada, o qual tinha ciência de seu modus operandi, e que, não somente se omitiu em relação a fazer cessá-lo, mas, também, participou comissivamente dos atos de ocultação das fraudes, norteando sua execução”, diz o relatório.

“Destaca-se a participação ativa, em caso envolvendo a detecção de resíduo tóxico em carne de frango pelas autoridades chinesas (Dioxina), de Pedro de Andrade Faria (à época diretor-presidente global do grupo BRF), Abílio dos Santos Diniz (à época Presidente do Conselho da BRF) e José Carlos Reis de Magalhães Neto, sócio da Tarpon Investimentos “, segundo o relatório.

A operação Trapaça foi desencadeada pela PF em 5 de março de 2018, levando a prisão, na época, de Pedro Faria.

Trump diz que assassinos não autorizados por Riad mataram jornalista

O presidente dos EUA, Donald Trump, levantou segunda-feira (15), a possibilidade de a morte do jornalista saudita dissidente Jamal Khashoggi ter sido cometida por assassinos que agiram sem o conhecimento ou a autorização dos líderes sauditas.

A teoria, segundo o jornal New York Times, foi repetida separadamente por uma pessoa familiarizada com os planos do reino de um culpar funcionários do serviço de inteligência e proteger o príncipe herdeiro Mohammed bin Salman da responsabilidade pelo crime.

O jornalista está desaparecido desde o dia 2 de outubro e foi visto pela última vez no consulado de seu país em Istambul, Turquia.

Fontes da Turquia disseram acreditar que Khashoggi foi assassinado dentro do edifício diplomático e seu corpo, removido. O governo saudita descartou as alegações, afirmando serem infundadas.

A declaração de Trump sobre o caso foi feita à imprensa na Casa Branca após uma conversa por telefone com o rei Salman, da Arábia Saudita, que negou ter qualquer conhecimento sobre o crime.

Aos jornalistas, Trump disse que a negativa do rei “não poderia ter sido mais forte” e, para ele, “pareceu que talvez podem ter sido assassinos comuns. Quem sabe?”

Pela manhã, em sua conta no Twitter, o presidente dos EUA já havia afirmado que seu secretário de Estado, Mike Pompeo, vai viajar “imediatamente” para Riad, capital da Arábia Saudita, para se reunir pessoalmente com o rei.

Redação Dinheirama
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários