Agora você confere as principais notícias de 27/03/2019, quarta-feira.

Bolsonaro garantiu a Doria manutenção de Lei Rouanet

João Doria (PSDB) chegou às 12h desta terça (26) ao Palácio dos Bandeirantes, cerca de uma hora depois de iniciado um encontro destinado a apresentar, a eventuais patrocinadores, o projeto de restauro do Museu Paulista, conhecido como Museu do Ipiranga.

Ele vinha de Brasília, para onde tinha ido pela manhã, a fim de participar de reunião de governadores.

Ao fazer o que chamou de “convocação aos empresários do estado que lidera a economia brasileira”, agradeceu publicamente ao presidente Jair Bolsonaro (PSL) pela viabilização do projeto de patrocínio às obras do Museu Paulista.

Isso porque o governo do estado montou um programa de patrocínio do restauro do museu, fechado desde 2013 ao público, que depende da Lei Rouanet.

Doria contou ter estado com Bolsonaro, também em Brasília, há cerca de 40 dias para falar da manutenção do mecanismo de incentivo à cultura baseado na renúncia fiscal, num momento de “pressão para que a lei fosse extinta”.

O governador disse ter exposto seu ponto de vista de que a Rouanet seja usada para preservar e incentivar a cultura brasileira e o legado de “dezenas de museus” como o Ipiranga —e não para patrocinar artistas estrangeiros.

Joice diz que único jeito de ‘desarmar bombas’ é com diálogo

A líder do governo no Congresso, deputada Joice Hasselmann (PSL), disse que o governo está fazendo uma rodada de reuniões com líderes partidários para acertar pontos de insatisfação. Questionada sobre a iniciativa de lideranças da Câmara de colocar em votação uma Proposta de Emenda à Constituição de 2015 que tem o potencial de tornar todo o orçamento da União impositivo, Joice disse que “só tem um jeito de desarmar bombas”, que é através do diálogo.

“A gente entende que há algumas insatisfações pontuais até por conta da ansiedade de alguns parlamentares e alguns partidos em se sentirem parte do governo. Entendemos isso e queremos que tais partidos que querem estar com o governo que estejam conosco. O que está faltando aí é só ajustar o tom do violino para que a música saia mais bonita”, afirmou a líder.

Joice disse que ela e o ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, terão durante a tarde toda de hoje conversas com partidos, dentro dessa articulação política.

Governadores dizem à Guedes que Planalto se tornou ‘gerador de crises’

Em reunião com governadores, na terça (26), o ministro Paulo Guedes (Economia) ouviu duras críticas à capacidade de organização e articulação do governo Jair Bolsonaro.

Políticos de diversos estados e partidos manifestaram dúvidas sobre a possibilidade de a reforma da Previdência ser aprovada nesse ambiente e apontaram o Palácio do Planalto como um gerador de crises.

O ministro, segundo relatos, silenciou sobre as críticas, mas defendeu enfática e permanentemente a necessidade das mudanças nas regras de aposentadoria.

Alguns governadores deixaram a reunião, em Brasília, antes de o encontro acabar. Segundo o jornal Folha de São Paulo, Guedes voltou a defender um novo pacto federativo, no que foi acompanhado pelos gestores estaduais, mas em seguida ouviu cobranças de que o governo precisa “organizar a casa e acabar com a crise política”.

Até governadores alinhados a Bolsonaro, como Eduardo Leite (RS), manifestaram preocupação com o cenário atual. Helder Barbalho, do Pará, disse, segundo colegas, que a sucessão de tropeços na articulação política começa “a gerar um ambiente de desconfiança de que as coisas vão de fato acontecer”.

Trump diz que imprensa é inimiga do povo

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, acusou novamente nesta terça-feira, 26, a imprensa de ter feito uma cobertura parcial da investigação feita pelo procurador especial Robert Mueller sobre o suposto conluio de sua campanha com a Rússia, acusando os meios de comunicação de serem o “Inimigo do Povo” e um “verdadeiro partido de oposição”.

Os principais meios de comunicação “durante anos insistiram no delírio de um conluio com a Rússia, enquanto sempre souberam que não havia conluio”, escreveu Trump no Twitter. “A mídia mainstream está sob fogo e queimada em todo o mundo como sendo corrupta e FAKE”, enfatizou.

“Realmente, são o Inimigo do Povo e o Verdadeiro Partido de Oposição”, acrescentou, dois dias depois do anúncio de que Mueller concluiu não haver evidências de conluio entre a equipe de Trump com Moscou nas eleições de 2016.

Trump anteriormente já havia usado a expressão “inimigo do povo” para recordar uma frase stalinista usada para descrever inimigos políticos, no caso a mídia americana.

Redação Dinheirama
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários