Agora você confere as principais notícias de 03/07/19 quarta-feira.

Nova versão de relatório deixa estados e municípios fora da Previdência

Apesar das tentativas do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM), de costurar um acordo entre governadores e líderes partidários, a nova versão da reforma da Previdência não prevê efeito para estados e municípios.

O relator do texto da Previdência, deputado Samuel Moreira (PSDB), deixou os demais entes da Federação de fora de seu relatório apresentado na terça-feira (2) na comissão especial da Câmara. A leitura levou cerca de 30 minutos.

Líderes que representam a maioria da Câmara não querem aprovar medidas que ajudariam no ajuste de contas públicas de governadores e prefeitos que fazem campanha contra a reforma.

No entanto, o cálculo usado no voto do relator considera, por exemplo, o fim da isenção de contribuição previdenciária sobre exportações, o que gera um ganho de aproximadamente R$ 80 bilhões em uma década.

Produção industrial cai 0,2% em maio; recuo foi menor que o esperado

A produção industrial caiu 0,2% em maio ante abril, na série com ajuste sazonal, divulgou nesta terça-feira, 2, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O recuo veio menos intenso do que o esperado pelo mercado.

Em relação a maio de 2018, a produção subiu 7,1%. Nessa comparação, sem ajuste, as estimativas variavam de um aumento de 2,3% a 9,8%, com mediana positiva de 6,85%. No acumulado do ano, a indústria teve queda de 0,7% e, em 12 meses, a produção ficou estável (0,0%).

Segundo o gerente da Coordenação de Indústria do IBGE, André Macedo, uma série de fatores conjunturais explica a piora na produção industrial, como o ambiente de incertezas elevadas, o alto nível de desemprego e a crise na Argentina, importante parceiro comercial do Brasil.

A indústria chegou a maio com a produção 3,7% aquém do patamar pré-greve de caminhoneiros, ou seja, o nível de abril de 2018. “Teve aumento de incertezas afetando decisões de investimentos e de consumo, manutenção de um mercado de trabalho com um contingente importante de pessoas fora dele e o agravamento a partir de abril da crise na Argentina afetando as exportações”, enumerou Macedo.

Vale cai mais de 4% com parecer de CPI

As ações da Vale recuaram 4,2%, a R$ 51,39, na terça-feira (2) após CPI (comissão parlamentar de inquérito) do Senado que apurou a tragédia de Brumadinho (MG) recomendar indiciamento de 14 pessoas e das empresas Vale e TÜV SÜD e criação de royalties da mineração. A desvalorização da companhia, que compõe 9,7% do Ibovespa, levou o índice a recuar 0,72%, a 100.605 pontos.

A queda no preço do petróleo também impulsionou as perdas da Bolsa, pressionando ações da Petrobras, que recuaram cerca de 1,5%. A falta de acordo para incluir estados e municípios na reforma da Previdência completou o viés negativo do pregão e acelerou perdas. O dólar acompanhou e subiu 0,26%, a R$ 3,855.

O relatório da CPI aponta que o diretor-executivo de Finanças da Vale, o ex-presidente da mineradora e outros executivos deveriam ser indiciados por homicídio culposo. No caso da Vale e da TÜV SÜD, a CPI defendeu indiciamento por destruição do ambiente, poluição culposa e “responsabilidade penal da pessoa jurídica”.

Rússia pede que Irã respeite pontos-chave do acordo nuclear

O ministro das Relações Exteriores da Rússia, Serguei Lavrov, pediu na terça-feira (2), ao Irã que respeite os pontos-chave do acordo nuclear assinado em 2015, depois de o país ter afirmado na segunda que violou pela primeira vez os limites de armazenamento de urânio enriquecido. A Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) confirmou a informação.

“Fazemos um chamado a nossos colegas iranianos para que mostrem moderação, não cedam em nenhum caso às emoções, e respeitem os pontos-chave das garantias oferecidas à Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) e os pontos do protocolo adicional a este acordo”, declarou Lavrov depois de se reunir com o vice-primeiro-ministro e titular das Relações Exteriores da Irlanda, Simon Coveney.

Por outro lado, Lavrov pediu aos países europeus que cumpram seus compromissos e implementem o mecanismo para contornar as sanções econômicas dos Estados Unidos e manter a troca comercial.

Nesse sentido, ressaltou que sem este mecanismo financeiro com o qual realizar transações com o Irã “será muito difícil manter um diálogo com sentido e efetivo para conservar o Plano Integral de Ação Conjunta (JCPOA, na sigla em inglês) – o nome oficial do acordo”.

Redação Dinheirama
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários