Agora você confere as principais notícias de 11/12/2017, segunda-feira.

Ministro confirma exoneração de general que defendeu intervenção

O ministro da Defesa, Raul Jungmann, confirmou que o presidente Michel Temer deverá assinar nesta segunda-feira (11) o ato de exoneração do general Antonio Hamilton Martins Mourão do cargo de secretário de Finanças e Economia do Comando do Exército, em Brasília.

“O comandante do Exército me informou que pedirá a exoneração [de Mourão], e eu concordei, o que será feito via decreto presidencial na segunda-feira”, informou o ministro.

O Informex, publicação considerada a “palavra oficial do Exército”, já circulou neste sábado com a informação de que o general Mourão deixará a Secretaria de Finanças para se tornar adido na Secretaria-Geral do Exército. A nova lotação do general, contudo, ainda poderá mudar, pois Mourão tem dito a interlocutores que poderá pedir a reserva remunerada.

Na quinta-feira (7), em uma palestra para um grupo de militares que apoiam a ditadura militar (1964-1985) chamado Ternuma (Terrorismo Nunca Mais), Mourão fez críticas a Temer e aos ex-presidentes Lula e Dilma Rousseff.

eBook gratuito recomendado: Invista sem medo em títulos públicos

Governo pode liberar mais recursos até o próximo dia 15

Na semana decisiva para a definição da votação da proposta de reforma da Previdência, o governo pode fazer um novo desbloqueio de despesas do Orçamento deste ano. Técnicos da área de Orçamento aguardam o relatório da Receita Federal com dados da arrecadação de novembro para avaliar se há mais espaço nas contas do governo para liberar mais recursos.

Se optar pelo descontingenciamento, o governo quer anunciá-lo até o próximo dia 15, quando as negociações para a aprovação da reforma estarão intensificadas. A Câmara dos Deputados marcou para 18 de dezembro o início da votação da proposta, mas é grande a incerteza em relação à capacidade do governo de conseguir reverter os votos dos indecisos.

Com a liberação, mais recursos serão liberados automaticamente para emendas parlamentares, além de beneficiar obras nos redutos eleitorais de deputados e senadores, hoje paralisadas pela falta de dinheiro.

Baixe grátis: Guia completo sobre investimentos

Vítimas de assédio sexual devem ser ouvidas, diz embaixadora americana

A embaixadora dos Estados Unidos na ONU, Nikki Haley, disse neste domingo (10) que qualquer mulher que se sentiu violada ou assediada por um homem tem todo o direito de falar, mesmo que o acusado seja o presidente Donald Trump.

Acusações de comportamento sexual inapropriado ou falta de conduta levaram a demissões de três membros do Congresso neste mês.

A crescente onda de mulheres que relataram abuso trouxe homens poderosos de Hollywood para Washington, do produtor de filmes Harvey Weinstein para a popular personalidade de televisão Matt Lauer.

Mais de dez mulheres acusaram Donald Trump de má conduta sexual antes de se tornar presidente, e Trump, ao filmar um segmento do programa de televisão “Access Hollywood”, disse que beijou e tateou mulheres. A fita surgiu durante a campanha presidencial de 2016.

 

Redação Dinheirama
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários