Agora você confere as principais notícias de 19/11/2017, domingo.

Proposta da Fazenda eleva imposto e tira vantagem do carro popular

O Ministério da Fazenda apresentou uma nova proposta para o regime do setor automotivo, chamado de Rota 2030, que, na prática, eleva o imposto cobrado sobre os carros populares dos atuais 7% para 10% a 15%.

A proposta permitiria ao governo brasileiro lançar um novo programa de estímulo à indústria automotiva sem comprometer as negociações para um acordo de livre-comércio entre o Mercosul e a União Europeia.

Integrantes do governo que participam das negociações afirmam que a ideia apresentada pela Fazenda na semana passada eleva para 25% a alíquota de IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados) cobrado de todos os veículos –nacionais ou importados– e concede descontos que ficariam entre 10 e 15 pontos percentuais de acordo com uma combinação de três fatores: eficiência energética, segurança veicular e emissão de poluentes.

Dessa maneira, o governo colocaria fim à diferença por cilindradas do IPI de veículos nacionais, que hoje varia de 7% (carro 1.0) a 25% (carro 2.0 a gasolina).

Além desse imposto, os veículos importados pagam hoje um adicional de até 30 pontos porcentuais de IPI devido à atual política industrial, que estimula a produção local.

‘É necessário continuar esforços para reduzir juro estrutural’, diz Ilan

O presidente do Banco Central, Ilan Goldfajn, repetiu na última semana, durante evento em São Paulo, uma série de ideias contidas nas comunicações mais recentes da instituição a respeito da política monetária. Entre elas, a de que, “a fim de garantir que a tendência de queda das taxas de juros reais seja sustentável, é necessário continuar os esforços de reduzir a taxa de juros estrutural”.

“Para isso, temos que perseverar no caminho dos ajustes e das reformas”, acrescentou. A taxa estrutural é aquela em que, em tese, há crescimento sem geração de inflação.

Goldfajn também retomou a ideia de que a conjuntura econômica atual prescreve “política monetária estimulativa” – ou seja, com taxas de juros abaixo da taxa estrutural. “De fato, o presente processo de flexibilização monetária tem levado à queda das taxas de juros reais (juros nominais menos inflação) e tende a estimular a economia”, avaliou Goldfajn. “Essas taxas, estimadas usando várias medidas, se encontram entre 2,5% e 3,0%, valores próximos aos mínimos históricos.”

Brasil envia três embarcações para buscas de submarino argentino

O Brasil está participando dos esforços da Marinha da Argentina para encontrar e resgatar o submarino argentino que está desaparecido desde a última quarta-feira com 44 tripulantes.

Segundo o ministro Raul Jungmann (Defesa), o Brasil enviou três embarcações para a região das buscas: o navio de socorro submarino Filinto Perry, a fragata Rademaker e o navio polar Maximiano.

Jungmann disse também que o Comando da Aeronáutica colocou à disposição dos argentinos um avião C-105 de busca e salvamento e um quadrimotor de patrulha marítima de longa distância P-3.

O ARA San Juan estava em um exercício de vigilância na zona econômica exclusiva marítima argentina a cerca de 400 km a leste de Puerto Madryn, na Patagônia (sul do país). Ele se dirigia de volta à sua base em Mar del Plata, ao norte, quando as comunicações foram interrompidas.

A Argentina aceitou ajuda ainda dos Estados Unidos, que enviarão o avião explorador da NASA P-3, que estava estacionado na cidade do sul de Ushuaia e se preparava para partir para a Antártica.

Redação Dinheirama
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários