Agora você confere as principais notícias de 06/04/2018, sexta-feira.

Governo Temer é aprovado por 5% e reprovado por 72%, diz Ibope

Pesquisa Ibope divulgada nesta quinta-feira (5) mostra os seguintes percentuais de avaliação do governo do presidente da República, Michel Temer (MDB):

  • Ótimo/bom: 5%
  • Regular: 21%
  • Ruim/péssimo: 72%
  • Não sabe/não respondeu: 2%

Na última pesquisa do Ibope sobre avaliação do governo, feita em dezembro, 74% o consideravam “ruim/péssimo”; 19%, “regular”; e 6% avaliavam como “bom/ótimo”.

O levantamento do Ibope, encomendado pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), foi realizado entre os dias 22 e 25 de março e ouviu 2 mil pessoas em 126 municípios.

A pesquisa foi feita antes da deflagração pela Polícia Federal da Operação Skala, que prendeu amigos do presidente.

O nível de confiança da pesquisa divulgada nesta quarta, segundo a CNI, é de 95%, o que quer dizer que, levada em conta a margem de erro de dois pontos percentuais, a probabilidade de o resultado retratar a realidade é de 95%.

‘Vamos dar o troco, vamos libertar o Lula’, diz líder do MST

O líder do MST, João Pedro Stedile, usou o Facebook, no início da noite desta quinta-feira, 5, para pedir que a militância do movimento não desanime diante da prisão do ex-presidente do PT, Luiz Inácio Lula da Silva, decretada pelo juiz Sérgio Moro.

“Amanhã, vamos sofrer uma dura derrota, com a prisão do Lula”, disse Stedile na rede social. “Não desanimem, estamos num processo como se fosse um longo campeonato”, disse, comparando a disputa política com um jogo de futebol. “Vamos dar o troco, vamos libertar o Lula”, disse o líder sem-terra. “Só não vence, quem não luta”, afirmou, depois de dizer que há uma agenda de eventos de mobilização popular de preparação para as eleições de outubro.

“Em todos os períodos da história de crise há um processo de disputa diária entre as classes”, afirmou Stedile. Ele disse que a militância deve manter a esperança. “O povo não foi cooptador e está contra os golpistas”, declarou, anunciando uma agenda de eventos que terá, no final julho, um Congresso do MST no Maracanã, no Rio.

Com prisão de Lula, mercado vê chance maior de agenda reformista

As chances cada vez mais remotas de o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva concorrer na eleição presidencial deste ano, após o STF (Supremo Tribunal Federal) negar o pedido de habeas corpus da defesa do petista na quarta-feira (4), injetaram otimismo no mercado financeiro nesta quinta-feira (5).

O juiz da Operação Lava Jato, Sérgio Moro, mandou, no fim do dia, quando a Bolsa já havia fechado o pregão, o ex-presidente se apresentar em Curitiba para o início do cumprimento da pena.

A reação do mercado pôde ser percebida logo no início dos negócios, quando a Bolsa chegou a subir mais de 2% e o dólar caiu 1,3%. Ao longo do pregão, o ritmo de alta ficou moderado.

O Ibovespa, índice das ações mais negociadas, teve alta de 1,01% e foi a 85.209 pontos. O dólar fechou estável, a R$ 3,34

Trump pede imposição de mais US$ 100 bi em tarifas contra a China

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, emitiu comunicado nesta quinta-feira (5), em que instrui o Escritório do Representante Comercial do país (USTR, na sigla em inglês) a avaliar a imposição de mais US$ 100 bilhões em tarifas contra a China.

Em vez de remediar sua má conduta, a China optou por prejudicar nossos agricultores e fabricantes. À luz da retaliação injusta por Pequim, o USTR deve considerar se US$ 100 bilhões de tarifas adicionais seriam apropriadas”, disse o presidente em comunicado.

Trump afirmou, ainda, que caso o USTR considere que houve má conduta por parte da China, o representante comercial americano deverá “identificar os produtos sobre os quais mais tarifas devem ser impostas”. De acordo com o presidente americano, “as práticas comerciais ilegais da China, ignoradas há anos por Washington, destruíram milhares de fábricas americanas e milhões de empregos americanos”.

O republicano disse, ainda, que os EUA estão preparados para discutir “o apoio ao nosso compromisso de obter um comércio livre, justo e recíproco e proteger a tecnologia e a propriedade intelectual das empresas americanas e dos americanos”.

Trump disse, ainda, que as barreiras comerciais devem ser derrubadas para melhorar o crescimento econômico e afirmou estar comprometido em permitir que as empresas e os trabalhadores americanos “atuem em igualdade de condições em todo o mundo”.

Pouco após a divulgação da ordem, o representante comercial dos EUA, Robert Lighthizer, disse que Trump está certo em pedir mais tarifas para eliminar “atos injustos” da China. Com o valor anunciado hoje, os EUA poderiam impor tarifas de até US$ 150 bilhões contra bens chineses.

Redação Dinheirama
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários