Agora você confere as principais notícias de 03/09/2018, segunda-feira.

União dos Caminhoneiros diz que fará paralisação depois do feriado

Em nota divulgada pela UDC (União dos Caminhoneiros do Brasil), caminhoneiros da entidade afirmam que farão uma mobilização em todo o país após o feriado da Independência (dia 7 de setembro) e por tempo indeterminado.

A UDC  acusa o governo de não ter cumprido o prometido em relação ao preço do diesel, que na última sexta-feira (31) teve reajuste de 13%.

A lei que estabeleceu a nova política de frete prevê revisão dos pisos mínimos caso o combustível tenha oscilação superior a 10%, para acomodar o aumento de custos dos caminhoneiros.

No início da noite deste sábado, a ANTT publicou em seu site nota afirmando que, “devido à variação do preço do óleo diesel, promoverá os ajustes necessários”,  em cumprimento ao disposto na lei.

A nota não detalha quando seria aumentada a tabela nem em que percentual.

​A entidade reclama da falta de fiscalização nas estradas pela ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres). A UDC pede mais fiscais e postos de fiscalização que obriguem às transportadoras a cumprirem a tabela mínima do frete.

“Pedimos imediatamente as seguintes providências afim de que a população brasileira não sofra os danos de uma nova paralisação”, afirma a nota.

Os caminhoneiros da UDC também reclamam da atuação da ANTT e pedem a dissolução da diretoria da entidade.

A possibilidade de uma manifestação perto das eleições, no entanto, já era ventilada dias após a paralisação de onze dias em maio, como forma de pressão política.

De acordo com Gilson Baitaca, líder do Movimento dos Transportadores de Grãos, do Mato Grosso, se a ANTT não se posicionar até o dia 7 ou  8 de setembro, é grande o risco de haver novas paralisações.

Partido Novo entra com ações no TSE contra propagandas eleitorais do PT com Lula

O Partido Novo, do candidato à Presidência da República João Amoêdo nas eleições 2018, entrou neste domingo (2), com três ações no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) contra propagandas eleitorais da chapa do PT para o Planalto. Na primeira, distribuída ao ministro Luis Roberto Barroso, o partido acusa a coligação “O Povo Feliz de Novo” de descumprir ordem judicial; as outras duas acusam a chapa petista de fazer propaganda irregular. A ação contra as propagandas transmitidas no rádio estão com o juiz Luis Felipe Salomão; já a representação contra os programas de TV estão com o juiz Carlos Bastide Horbach.

Nas três ações, o partido cita a decisão do TSE de impugnar a candidatura de Luiz Inácio Lula da Silva, definida na madrugada de sábado (1), e as propagandas veiculadas pelos petistas na televisão e no rádio deste mesmo dia.

Para o Novo, a chapa do PT “deixa claro que não está disposta a seguir o caminho da legalidade”.”A Corte deliberou que a coligação poderia prosseguir com a propaganda eleitoral desde que Lula não praticasse atos de campanha, em especial no rádio e na televisão, até que se proceda à substituição”, justifica o partido.

O Novo questiona as inserções em que Fernando Haddad diz ser candidato a vice-presidente e critica o que chama de “fraude” em relação ao fato do ex-prefeito ser chamado de “representante de Lula”. “Trata-se de um descarado ato de campanha do candidato cujo registro foi impugnado, o que não apenas descumpre a decisão desta Corte, mas também viola a legislação eleitoral em inúmeros pontos”, defende o partido. “Se houve uma tentativa de ser sutil, com todo o respeito, os representados falharam na sua tarefa.”

São citados trechos de propagandas que, na avaliação do Novo, transmitem o protagonismo das peças a Lula – e não a um candidato habilitado pela Justiça Eleitoral. O partido afirma que, no programa veiculado em bloco, à tarde e à noite de sábado, Haddad “reforça a intenção de descumprir a decisão que indeferiu o registro de candidatura” de Lula ao dizer, no vídeo, que “a decisão tá tomada, nós vamos com o Lula até o fim”.

A ação pede a concessão de medida cautelar para determinar a retirada de onze publicações da página de Lula no Facebook, além da suspensão da veiculação da propaganda em bloco e em inserções, no rádio e TV, das propagandas exibidas pela coligação no sábado, 1.

Alckmin critica PT por esconder candidato e diz que sua propaganda só reproduz fala de Bolsonaro

Em evento político em São Bernardo do Campo, berço político petista, o presidenciável tucano Geraldo Alckmin criticou neste domingo (2) o PT por esconder seu real candidato. Apesar de o TSE (Tribunal Superior Eleitoral) ter vetado a candidatura de Lula, a legenda insiste que ele é candidato e continua tratando Fernando Haddad como vice.

“O que estamos vendo na televisão pelo PT é enganação vergonhosa. Tão escondendo o candidato que efetivamente vai ser candidato”, disse Alckmin. “Por que não fala a verdade? Buscando vitimizar aquele que foi condenado e escondendo aquele que efetivamente vai disputar a eleição.”

​Alckmin também negou que sua propaganda que mostra Jair Bolsonaro (PSL) xingando mulheres seja um ataque.

“Não há nenhum ataque. É ele que fala. Se o que ele fala é ataque problema dele”, disse, em São Bernardo, sobre a propaganda que mostra o militar dizendo que uma repórter é ignorante e xingando a deputada petista Maria do Rosário de vagabunda. O vídeo ainda pergunta à mulheres se elas gostariam de ser tratadas desta maneira.

Bolsonaro rebateu a peça de propaganda fazendo menção à máfia da merenda, ao questionar se o eleitor deixaria sua filha sem merenda.

“É mal informado ainda. Porque a questão da merenda o estado que apurou junto com o Ministério Público. Não teve nenhum envolvimento de ninguém do governo. Não teve nenhum prejuízo”, disse. “O que havia era estelionatário comandado cooperativa e prejudicando fortemente os cooperados. E foram punidos”, disse.

Apesar dos comentários, Alckmin só citou Bolsonaro, com quem disputa os eleitores, depois de ser questionado e, ainda assim, foi sucinto. O tucano tem adotado tática de deixar os ataques mais duros aos militar para a propaganda, para não se indispor com os eleitores de Bolsonaro e tentar se posicionar melhor no campo antipetista.

​O evento, realizado no Clube dos Meninos, contou com os principais candidatos do tucanato Paulista ao Legislativo e os do Executivo, incluindo o candidato ao governo João Doria, que também mirou o PT.

Redação Dinheirama
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários