Dinheiro é feito para ser gastoO leitor mais atento do Dinheirama pode ter se assustado ao ler o título desse artigo. Se você é um desses, calma. Não estou louco e reafirmo o que disse no título: dinheiro é feito para ser gasto. As transformações recentes no país com a estabilidade econômica trouxeram mais empresas, mais investimentos diretos e, consequentemente, geração de empregos. A ocupação profissional e o aumento da renda elevaram o potencial de compra do brasileiro, principalmente se considerarmos as classes C e D.

Mais renda, mais desejos
Com renda, os desejos de consumo parecem mais próximos. Isso é importante para sustentar a autoestima e um modo de vida mais confortável, com aspirações. O perigo muitas vezes é o crédito fácil, item característico de uma economia em expansão, usado como combustível farto para incentivar o aumento no consumo.

Ao contrário do que muitos imaginam, nós também somos favoráveis ao consumo, especialmente quando ele é voltado para a qualidade de vida. Ora, gastar não é pecado, desde que esse ato seja realizado com planejamento e consciência. Viver bem é curtir o padrão de vida possível. Por isso o título do artigo, onde afirmo que o dinheiro[bb] é feito para ser gasto, mas sempre levando em conta as condições financeiras de cada família.

Planejando e comprando com sabedoria
O que é planejado não é caro. É justo. Parafraseando uma sentença bastante famosa, poder realizar seus sonhos de consumo não tem preço! Se o consumo planejado é possível, ele também é muito bom para a economia, que continuará crescendo de forma sustentável.

Seguindo a linha do consumo possível, dentro dos limites familiares, a oferta de crédito caro precisará ser revista e quem sabe não nos deparemos com um fenômeno no mínimo peculiar: juros mais baixos.

Realizar sonhos[bb] sem se endividar é a garantia de que outros sonhos virão e não serão comprometidos. Defina os objetivos que serão realizados em curto, médio e longo prazo. Tenha eles por escrito, de forma bem detalhada. A visualização constante deles te ajudará a manter a disciplina, dando-lhe sempre força para continuar respeitando seu planejamento.

Faça as contas e gaste!
Se você está na dúvida se compra ou não compra, gasta ou não o seu dinheiro, questione seu orçamento. Se houve planejamento, os investimentos estão sendo respeitados e o dinheiro não compromete a saúde de suas finanças, gaste, compre. Faça isso com prazer e com a consciência tranquila.

Caso ainda não esteja nessa situação, é hora de repensar seu estilo de vida. Comece por conhecer bem suas receitas e despesas, suas dívidas e padrão de vida. Avalie quais categorias podem ser revistas, corte gastos exagerados e equilibre o plano familiar. Alguns pequenos sacrifícios farão suas conquistas valerem ainda mais. Respeite o seu dinheiro, mas gaste-o também. Com consciência.

Crédito da foto para freedigitalphotos.net.

Ricardo Pereira
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários