Olha o gerente ai!O título do artigo é sugestivo e pontual, embora vago e meio sem graça. Sem graça como a nossa política, como nossos homens públicos, como nossa morosidade diante de tanta corrupção. A jornalista Ceila Santos, uma das responsáveis pelo Desabafo de Mãe, resolveu lançar-me um desafio: falar da corrupção, do esquema bandido que opera o país sob uma ótica humano-financeira. Ela abre a série de convites com um verdadeiro desabafo de mãe. Ceila, obrigado pela lembrança e espero que goste de minha contribuição. A propósito, você ainda não está participando da Promoção Dinheirama 100 posts hein Ceila? E você, leitor blogueiro, o que está esperando?

Não há forma mais fácil de ligar você e seu dinheiro ao que acontece em Brasília. De uma forma simplista, pagamos diversos impostos que não são, nem de longe, usados de maneira inteligente e(ou) correta. Ainda temos um sistema corrupto de distribuição e divisão das arrecadações, além de um péssimo orgão fiscalizador (o próprio Governo). Quem rouba são os que deveriam zelar pelas nossas necessidades. O seu dinheiro tem destino certo, acredite. O problema são os “pedágios” no meio do caminho. Falando em pedágios, alguém lembra pra que serve o IPVA?

Imagine que você tem 10 anos e tudo que você poupa é entregue aos seus pais. Dali a 10 anos você entra na faculdade e pede o dinheiro para que possa pagá-la. Para sua surpresa, todo o dinheiro foi gasto. Pior, seus pais não sabem explicar como ou quando isso aconteceu. Sem alternativa, você começa a trabalhar duro para pagar a faculdade e ainda tem que repassar parte do que ganha para ajudar em casa. Qualquer semelhança com a vida real não é mera coincidência. Somos filhos de pais irresponsáveis. Sabemos o que não fazer, mas será que fazemos?

Advinha quem paga o pato…
Mas que pato que nada. Já não pagamos pato faz tempo. Agora é hora de pagar o boi. Aliás, os muitos bois. E que negócio lucrativo hein? O patrimônio do ilustre Renan Calheiros cresceu 73% nos últimos quatro anos. Tudo, segundo ele, por causa dos excelentes negócios de compra e venda de gado. E ele não está só. Vi na Folha deste domingo que o Sr. Leomar Quintanilha praticamente dobrou seu patrimônio desde que foi eleito senador. O gado representaria 75% dessa incrível mudança. Jura?

Todo esse patrimônio está devidamente computado junto ao Leão. Impostos pagos, a tática consiste em não chamar a atenção. É o jeitinho brasileiro. É o exemplo, que sempre vem de cima. Agora cá entre nós, alguém já viu usar um lobista de construtora como office boy? Isso que é ter poder hein? E o que você está fazendo para colocar ordem na casa, na sua casa? Nada! Somos fracos, incapazes porque lá estão aqueles que elegemos para nos representar, para aprovar as leis que regem o cotidiano de nossas vidas. Não se esqueça que lá, no Mundo Mágico de Moranguinho, existem o foro privilegiado e a imunidade.

PalhaçoO reflexo
Se eles são assim, nós somos assim. Quem governa o país representa o desejo de uma nação, certo? Sua forma de agir reflete o modo de viver de um povo, certo? Quando vemos tudo isso pela televisão, achamos um absurdo, uma afronta. Quando temos uma oportunidade de fazer um “excelente negócio”, fazemos! E fazemos com a famosa “boca de siri”. Hipocrisia demais significa sensatez e humildade de menos. Além do oportunismo chulo, padecemos de uma invejável cara de pau. Remorso não figura entre os corações de grande parte do Brasil. Infelizmente, administração também não, a exemplo do Pan 2007.

Porque falar é fácil…
Situação muito cômoda a minha aqui do outro lado de sua tela. Concordo. Situação cômoda como a dos que fazem o que fazem e ainda circulam livremente por ai, como se o absurdo fosse a dimensão criada pela mídia. Quem está em situação melhor, eu ou eles? A impunidade no Brasil virou um registro folclórico da ineficiência do Estado. Enquanto eu puder escrever, escreverei. Essa é minha arma. Será a escrita uma arma tão poderosa quanto uma pistola automática?

Quem não se lembra do abrandamento da punição para os crimes hediondos? O sujeito mata e é condenado a 400 anos de prisão. Só que ele poderá cumprir no máximo 30 anos, segundo nossa legislação. Mas em cinco anos ele já pode estar solto. Se os cinco anos fossem bem “vividos” na prisão, com a realização de trabalhos comunitários e tratamento adequado, eu até concordaria. O dinheiro para que tudo isso aconteça sai todo santo mês do seu bolso. Não diga!?

Enquanto isso na sala de justiça…
A crise na aviação brasileira faz muita gente perder a compostura e a educação, como alguns de nossos ministros(as) fizeram questão de mostrar. A incoerência está no fato de que estes mesmos ministros não passam pelas aventuras aeroportuárias do cidadão comum. Sim, porque uma reportagem recente da Folha mostrou que houve um aumento de 20% no uso de aviões da FAB por parte de nossas autoridades. Com crise ou sem crise, eles continuam indo e vindo (pelo céu). E com crise ou sem crise, nós continuamos abastecendo seus aviões.

Atualização 09/07: Como bem identificou o Cardoso, na blogosfera também existem pessoas deste tipo. Será que todos somos assim? Eu hein, quanta baixaria e falta de respeito!

O preço de tudo isso é bem salgado…
Pagamos caro por cada detento. Pagamos caro por cada boi(!?). Pagamos caro por cada litro de querosene de aviação. Se todo esse “pagamento” fosse apenas em dinheiro, o Brasil ainda seria melhor. Pior, pagamos com a vida de nossos entes queridos, com a vergonha diante de tanta corrupção, com a saúde de nossa população, com a necessidade de lutar por justiça antes de entregar-se à Justiça. Dinheiro, como há de concordar, passa a ser o de menos.

Pagamos com a alma e com o coração, com a esperança de que um dia sejamos respeitados e recompensados. Precisamos aprender a transformar essa esperança em atitude. O Brasil até que vai indo bem. Mas ele está indo porque está sendo carregado, o que é diferente de ser conduzido. Que tal parar de fingir que está tudo bem? Saque sua arma e parta para o verdadeiro confronto!

Conrado Navarro
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários