Home Economia e Política Diretoria do BC do Japão foi mais dura em abril e passou a prever aumentos constantes dos juros

Diretoria do BC do Japão foi mais dura em abril e passou a prever aumentos constantes dos juros

"Se a inflação subjacente continuar a se desviar para cima em relação ao cenário base, tendo como pano de fundo um iene mais fraco, é bem possível que o ritmo de normalização da política monetária se acelere", disse um membro

por Reuters
0 comentário

Os membros do conselho do Banco do Japão tornaram-se esmagadoramente “hawkish” (agressivos contra a inflação) em sua reunião de política monetária de abril, com alguns vendo a chance de as taxas de juros subirem mais rápido do que o previsto, mostrou nesta quinta-feira um resumo das opiniões da reunião.

Muitos dos nove membros do conselho pediram aumentos constantes das taxas de juros com base nas perspectivas de que a inflação poderia se manter de forma duradoura, ou até mesmo ultrapassar, a meta de 2% do banco central, mostrou o resumo.

“Se a inflação subjacente continuar a se desviar para cima em relação ao cenário base, tendo como pano de fundo um iene mais fraco, é bem possível que o ritmo de normalização da política monetária se acelere”, disse um membro.

O debate “hawkish” (agressivo contra a inflação) ocorre no momento em que o presidente do Banco do Japão (BOJ, na sigla em inglês), Kazuo Ueda, sinaliza a chance de vários aumentos nas taxas.

Ueda disse ao Parlamento nesta quinta-feira que o banco central examinará como as recentes quedas do iene afetam a economia e a inflação ao definir a política monetária.

“Se a volatilidade da moeda afetar, ou correr o risco de afetar, a tendência da inflação, o BOJ deverá responder com a política monetária”, disse ele.

Os sinais do BOJ ajudaram a desacelerar os declínios do iene, que vem caindo depois de um pico na semana passada, desencadeado pela suspeita de intervenção cambial de Tóquio.

No entanto, a recuperação do iene foi breve, com os mercados ainda decididamente pessimistas em relação à moeda, e muitos investidores afastados antes da divulgação de dados de inflação dos EUA da próxima semana, que podem afetar o momento do futuro corte da taxa de juros do Federal Reserve.

Sobre Nós

O Dinheirama é o melhor portal de conteúdo para você que precisa aprender finanças, mas nunca teve facilidade com os números.  Saiba Mais

Assine a newsletter “O Melhor do Dinheirama”

Redes Sociais

© 2024 Dinheirama. Todos os direitos reservados.

O Dinheirama preza a qualidade da informação e atesta a apuração de todo o conteúdo produzido por sua equipe, ressaltando, no entanto, que não faz qualquer tipo de recomendação de investimento, não se responsabilizando por perdas, danos (diretos, indiretos e incidentais), custos e lucros cessantes.

O portal www.dinheirama.com é de propriedade do Grupo Primo.