Home Mercados Dólar avança de olho em cortes de juros

Dólar avança de olho em cortes de juros

Na véspera, o dólar à vista fechou o dia cotado a 4,9268 reais na venda, em alta de 1,23%

por Reuters
0 comentário

O dólar (USDBLR) devolveu ganhos iniciais frente ao real, mas continuava em patamar forte nesta quarta-feira, conforme os mercados internacionais moderavam as apostas em cortes de juros pelo Federal Reserve este ano.

Às 10:31 (horário de Brasília), o dólar à vista avançava 0,27%, a 4,9402 reais na venda, rondando os níveis mais altos em mais de uma semana.

Na B3, às 10:31 (horário de Brasília), o contrato de dólar futuro de primeiro vencimento subia 0,27%, a 4,9485 reais.

O movimento estava alinhado aos leves ganhos do índice do dólar frente a uma cesta de pares fortes nesta manhã, um dia depois de o diretor do Federal Reserve Christopher Waller dizer que, embora a inflação esteja se aproximando da meta de 2% do banco central norte-americano, o Fed não deve ter pressa para reduzir os custos de empréstimos.

Seus comentários somaram-se a falas um pouco mais duras de autoridades do Banco Central Europeu (BCE) nos últimos dias, o que levou a uma reversão no otimismo internacional de que as maiores economias do mundo poderiam começar a afrouxar as condições monetárias muito em breve.

A manutenção de juros altos por mais tempo nas economias avançadas tende a prejudicar a atratividade de divisas emergentes, como o real, uma vez que deixa moedas como o dólar e o euro –já preferidas por serem extremamente seguras– mais rentáveis para investidores estrangeiros.

Enquanto isso, restringindo ainda mais o apetite por risco global, dados mostraram que a economia da China cresceu 5,2% em 2023, um pouco mais do que a meta oficial, mas a recuperação foi bem mais frágil do que muitos analistas e investidores esperavam, com agravamento da crise imobiliária, riscos deflacionários e demanda fraca.

“O PIB fecha o ano com um número até maior que a meta, mas com a sensação para os analistas de que vai crescer menos esse ano, e de que (as autoridades chinesas) vão em março anunciar uma meta até menor”, disse Gustavo Cruz, estrategista da RB investimentos. “Então, a sensação é um pouco mais negativa no médio/longo prazo.”

No Brasil, o ministro da Fazenda, Fernando Haddad, afirmou na véspera que terá reunião com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva nesta quarta-feira para tratar da reoneração da folha, defendendo uma redução escalonada do benefício fiscal estendido pelo Congresso.

Na véspera, o dólar à vista fechou o dia cotado a 4,9268 reais na venda, em alta de 1,23%.

O Dinheirama é o melhor portal de conteúdo para você que precisa aprender finanças, mas nunca teve facilidade com os números.

© 2024 Dinheirama. Todos os direitos reservados.

O Dinheirama preza a qualidade da informação e atesta a apuração de todo o conteúdo produzido por sua equipe, ressaltando, no entanto, que não faz qualquer tipo de recomendação de investimento, não se responsabilizando por perdas, danos (diretos, indiretos e incidentais), custos e lucros cessantes.

O portal www.dinheirama.com é de propriedade do Grupo Primo.