Home Mercados Dólar tem leve baixa ante real em dia de Ptax e com fiscal no foco

Dólar tem leve baixa ante real em dia de Ptax e com fiscal no foco

Na B3, às 17:13 (de Brasília), o contrato de dólar futuro de primeiro vencimento subia 0,24%, a 5,0570 reais.

por Reuters
0 comentário
(Imagem: freepik/@ jcomp)

O dólar (USDBLR) à vista fechou a terça-feira em leve baixa ante o real, na contramão do movimento visto no exterior, em um dia marcado pela disputa entre investidores pela formação da taxa de câmbio de fim de mês e pelas tentativas do governo Lula de reduzir o mal-estar em torno da questão fiscal brasileira.

O dólar à vista fechou o dia cotado a 5,0405 reais na venda, em baixa de 0,15%. Em outubro, a moeda norte-americana acumulou alta de 0,26%

Na B3, às 17:13 (de Brasília), o contrato de dólar futuro de primeiro vencimento subia 0,24%, a 5,0570 reais.

Pela manhã, os negócios foram marcados por maior volatilidade, em meio à disputa de investidores pela formação da Ptax do fim de outubro.

A Ptax é uma taxa de câmbio calculada pelo Banco Central com base nas cotações do mercado à vista e que serve de referência para a liquidação de contratos futuros.

No fim de cada mês, agentes financeiros costumam tentar direcioná-la a níveis mais convenientes às suas posições, sejam elas compradas (no sentido de alta das cotações) ou vendidas em dólar (no sentido de baixa).

A atuação dos agentes fez o dólar à vista marcar a cotação mínima de 5,0090 reais (-0,77%) às 9h24 e, posteriormente, atingir a máxima de 5,0719 reais (+0,47%) às 10h15.

(Imagem: Reprodução/Freepik/@pvproductions)
(Imagem: Reprodução/Freepik/@pvproductions)

Definida a Ptax no início da tarde em 5,0575 reais na venda o dólar à vista passou a oscilar com menos influência de fatores técnicos.

Com isso, os investidores se voltaram principalmente para o noticiário. Desde sexta-feira o dólar no mercado brasileiro vem sendo pressionado pelas declarações do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, de que a meta fiscal de 2024 não precisa ser zero e que o objetivo dificilmente será alcançado, já que ele não pretende cortar investimentos.

Na segunda-feira, o ministro da Fazenda, Fernando Haddad, tentou minimizar as declarações de Lula, mas acabou por reforçar a pressão de alta para as taxas dos DIs (Depósitos Interfinanceiros).

Nesta terça-feira, o foco esteve na reunião entre Lula e líderes de partidos da base aliada do governo. Na saída do encontro, o ministro das Relações Institucionais, Alexandre Padilha, disse que a meta de zerar o déficit primário no próximo ano depende da aprovação de medidas em tramitação no Congresso, que ampliam a arrecadação federal.

Neste cenário, após dois dias de alta, o dólar sustentou perdas ante o real nesta terça-feira na contramão do exterior, onde a divisa norte-americana subia ante a maioria das demais moedas, mas a questão fiscal serviu como limitador do movimento de baixa no Brasil.

“Ficamos mais suscetíveis à (formação da) Ptax, e ainda estamos com o susto que tomamos na sexta-feira, quando Lula falou sobre a área fiscal. Assim, as cotações ficam numa inércia trazida pelo fiscal”, comentou o gerente da mesa de Derivativos Financeiros da Commcor DTVM, Cleber Alessie Machado.

(Imagem: Reprodução/Freepik/@jcomp)
(Imagem: Reprodução/Freepik/@jcomp)

Na quarta-feira, as atenções estarão voltadas para as decisões sobre juros do Federal Reserve e do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central.

Como quinta-feira é feriado no Brasil, também é esperada certa pressão compradora de dólares por parte de agentes interessados em posições mais protegidas até a segunda-feira.

Às 17:13 (de Brasília), o índice do dólar que mede o desempenho da moeda norte-americana frente a uma cesta de seis divisas subia 0,46%, a 106,650.

Pela manhã, o BC vendeu todos os 16.000 contratos de swap cambial tradicional ofertados na rolagem dos vencimentos de janeiro.

Sobre Nós

O Dinheirama é o melhor portal de conteúdo para você que precisa aprender finanças, mas nunca teve facilidade com os números.  Saiba Mais

Mail Dinheirama

Faça parte da nossa rede “O Melhor do Dinheirama”

Redes Sociais

© 2023 Dinheirama. Todos os direitos reservados.

O Dinheirama preza a qualidade da informação e atesta a apuração de todo o conteúdo produzido por sua equipe, ressaltando, no entanto, que não faz qualquer tipo de recomendação de investimento, não se responsabilizando por perdas, danos (diretos, indiretos e incidentais), custos e lucros cessantes.

O portal www.dinheirama.com é de propriedade do Grupo Primo.