Home Empresas EDP quer dobrar carteira da comercializadora de energia em 2024 e renova acordo com BB

EDP quer dobrar carteira da comercializadora de energia em 2024 e renova acordo com BB

O acordo com o BB, renovado após licitação realizada pelo banco, prevê o fornecimento pela EDP de 11,09 megawatts (MW) médios de energia proveniente de fontes renováveis

por Reuters
0 comentário
Energia

A EDP está renovando um contrato de fornecimento de energia elétrica ao Banco do Brasil (BBAS3) por meio de sua comercializadora varejista, unidade que vem se expandindo e busca dobrar sua carteira de clientes em 2024, disse a companhia elétrica à Reuters nesta terça-feira.

O acordo com o BB, renovado após licitação realizada pelo banco, prevê o fornecimento pela EDP de 11,09 megawatts (MW) médios de energia proveniente de fontes renováveis, de 2024 a 2028, para atender a demanda de cerca de 74 unidades consumidoras da instituição financeira em 23 Estados.

O contrato reforça a aposta do grupo EDP na venda de energia “varejista”, segmento que engloba unidades consumidoras com carga relativamente baixa, como pequenas e médias empresas.

A EDP foi primeira empresa do setor a criar uma comercializadora varejista no Brasil, em 2018, e tem hoje participação de mercado superior a 20%, afirmou Carlos Andrade, vice-presidente de Clientes e Inovação da EDP Brasil, citando dados da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE).

“Fechamos 2023 com 25 megawatts médios (MWm) comercializados e mais de 470 unidades consumidoras atendidas, um crescimento de 30% com relação ao ano anterior. Para 2024, a expectativa é dobrar o número de unidades consumidoras contratadas”, disse o executivo à Reuters.

A comercialização varejista vem ganhando mais atenção das companhias elétricas nos últimos anos, em meio à abertura do mercado livre de energia para todos os consumidores conectados em alta tensão a partir de janeiro.

Embora negocie volumes menores de energia do que o “atacado” (grandes indústrias e empresas), o segmento de varejo costuma ter melhores margens e vem transformando a rotina das comercializadoras, que buscam atrair agora clientes pequenos, que até então estavam vinculados ao mercado das distribuidoras, e são menos familiarizados com o setor elétrico.

“Temos investido na ampliação da equipe comercial, incluindo equipe própria e representantes comerciais, além de uma base de parceiros estratégicos, estruturamos um call center para enriquecimento de leads de venda vindos de nossos canais digitais e para atendimento ao cliente, e desenvolvemos plataformas digitais”, exemplificou Andrade.

Na avaliação do executivo, a abertura de mercado neste ano deverá promover um “grande salto” do segmento varejista. “São clientes que hoje estão com a distribuidora, pagando cerca de 700 reais por megawatt-hora (MWh), e que, ao migrarem para o mercado livre, podem reduzir o custo da energia em 30% ou 40%”.

Parceria com o BB

O acordo estende uma parceria entre EDP e BB desde 2018, quando as partes firmaram o primeiro contrato de compra e venda de energia na modalidade varejista.

Na ocasião, o BB adquiriu, por 86 milhões de reais, um fornecimento de 10 MW médios para atender inicialmente a demanda de 24 edifícios administrativos. O volume de unidades atendidas foi aumentando durante o acordo, chegando a 64 pelo país.

(Imagem: REUTERS/Paulo Whitaker)
(Imagem: REUTERS/Paulo Whitaker)

Luciana Elias, gerente executiva de suprimentos, infraestrutura e patrimônio do BB, disse que além dos ganhos financeiros para o banco, há “ganhos ambientais para toda a sociedade, como a redução de emissões diretas de Gases do Efeito Estufa e incentivo à transição para uma matriz energética mais limpa”.

O novo contrato entre as empresas inclui a emissão de mais de 97 mil certificados de energia renovável ao ano. Esses certificados, chamados de I-RECs, asseguram a origem renovável da energia que será fornecida e evitam a emissão de cerca de 35 mil toneladas de CO2 por ano.

Além do fornecimento de energia via mercado livre, a EDP também tem uma parceria com o BB em geração distribuída solar. Ao todo, são 8 usinas solares, com 26,33 megawatts-pico (MWp) instalados, que abastecem 365 agências do banco, com uma economia estimada de 102,5 milhões de reais para o BB ao longo dos 15 anos de contrato.

Sobre Nós

O Dinheirama é o melhor portal de conteúdo para você que precisa aprender finanças, mas nunca teve facilidade com os números.  Saiba Mais

Mail Dinheirama

Faça parte da nossa rede “O Melhor do Dinheirama”

Redes Sociais

© 2023 Dinheirama. Todos os direitos reservados.

O Dinheirama preza a qualidade da informação e atesta a apuração de todo o conteúdo produzido por sua equipe, ressaltando, no entanto, que não faz qualquer tipo de recomendação de investimento, não se responsabilizando por perdas, danos (diretos, indiretos e incidentais), custos e lucros cessantes.

O portal www.dinheirama.com é de propriedade do Grupo Primo.