Home Economia e Política Eleições: O Confronto dos Candidatos é bom para o Brasil

Eleições: O Confronto dos Candidatos é bom para o Brasil

por Alvaro Bandeira
0 comentário

Economistas muitas vezes fazem uso da expressão “ceteris paribus” (tudo o mais permanecendo constante) para demonstrar o que pensam. As pesquisas mais recentes de intenção de voto para as próximas eleições estão começando a ficar emboladas pela queda da presidente Dilma e subida dos demais candidatos – e já apontam mais concretamente a possibilidade de haver segundo turno.

O “ceteris paribus” fica por conta da não avaliação de mudanças, na hipótese do movimento “Volta Lula” começar a ganhar força nas hostes do próprio PT, com seu projeto de manutenção do poder. Parece claro que isso pode ocorrer, mas teria que ser melhor avaliado, se e quando existir concretamente.

Como podemos avaliar a situação presente?

No meu ponto de vista, os brasileiros só têm a ganhar com a corrida presidencial mais acirrada. Isso porque os candidatos ao planalto terão que se mostrar mais em debates e programas de governo, abrindo chance de a sociedade melhor avaliar quem realmente melhor se encaixa na sua visão de Brasil.

Saímos, portanto, do plano pessoal de “salvadores da Pátria” para avaliar governos e programas, o que certamente é imensamente melhor para o país e criação de uma Nação (com letra maiúscula mesmo).

É voz corrente entre os formadores de opinião, e minha também, que não importa muito quem ganhe, o Brasil terá que passar por muitas mudanças no plano econômico.

Com mais ou menos sofrimento, o vencedor terá que modificar essa tendência de deterioração de nossas contas e produzir choque de confiança para os empreendedores locais e investidores estrangeiros.

Também é verdade que todos os candidatos e suas assessorias sabem onde as reformas mais urgentes precisam ocorrer. Acontece que, por serem medidas duras, alguns candidatos vão evitar abordá-las, ou simplesmente tangenciar os problemas enquanto puderem.

Quais são as propostas para a Nação?

Nos embates televisivos e nos programas de governo explicitados, os candidatos terão que elencar os principais problemas, suas soluções factíveis e como e em que velocidade farão as mudanças.

Desse cardápio terá que constar obrigatoriamente temas como crescimento e desenvolvimento econômico, inflação com metas mais palatáveis e convergência, como tornar o país mais competitivo, como ampliar a produtividade das empresas (basilar) e como gastar e investir recursos de forma mais eficiente.

Ah, também deve entrar nessa lista o tratamento a ser dado à corrupção e como lidar com os programas sociais em ambiente de recursos escassos. Há ainda a necessária reforma política e os desafios de preparar e treinar o país para crescer, com o sem recursos do pré-sal.

Não menos importante, o que fazer para ampliar a poupança e o investimento como participação do PIB e como atrair os investidores estrangeiros, absolutamente fundamentais para projetos de longa maturação, notadamente em infraestrutura. Disso tudo é que emergirá o candidato mais adequado ao país, e sem salvadores da pátria. Ufa.

Temos que ter mais programas e menos falatório inconsequente. Temos que aprender a cobrar de nossos dirigentes os compromissos assumidos de campanhas. Temos que dar duro no Congresso Nacional, afinal de contas ele foi eleito por nós e também com compromissos assumidos.

Merecemos um país melhor!

Temos que começar a criar uma Nação que possa ser orgulho de todos e não meio de vida de alguns poucos enfronhados no poder. Que venham então os debates de ideias e programas de governo. O Brasil só tem a ganhar com isso!

Diante desse clima que deve ser incorporado aos mercados de risco, sugiro acessar nosso site Orama.com.br e buscar as alternativas de investimento mais adequadas para suas expectativas de risco e retorno.

Lá você poderá baixar gratuitamente eBooks e assistir às videoaulas que preparei junto com a Sandra Blanco para você, investidor, ficar bem preparado para fazer as melhores escolhas de investimento no atual cenário macroeconômico. Obrigado e até a próxima.

Foto “Arms with brazilian flag”, Shutterstock.

O Dinheirama é o melhor portal de conteúdo para você que precisa aprender finanças, mas nunca teve facilidade com os números.

© 2024 Dinheirama. Todos os direitos reservados.

O Dinheirama preza a qualidade da informação e atesta a apuração de todo o conteúdo produzido por sua equipe, ressaltando, no entanto, que não faz qualquer tipo de recomendação de investimento, não se responsabilizando por perdas, danos (diretos, indiretos e incidentais), custos e lucros cessantes.

O portal www.dinheirama.com é de propriedade do Grupo Primo.