Home Economia e Política Em depoimento, estrela pornô diz que teve “apagão” antes de sexo com Trump

Em depoimento, estrela pornô diz que teve “apagão” antes de sexo com Trump

Daniels disse em depoimento que o guarda-costas de Trump a convidou para jantar com Trump

por Reuters
0 comentário

A estrela de filmes adultos Stormy Daniels afirmou, em depoimento no julgamento criminal de Donald Trump nesta terça-feira, que ele teria dito que “essa é a única maneira de você sair do estacionamento de trailers”, antes de fazer sexo com ela em uma suíte de hotel em 2006.

Daniels disse ao júri de Nova York que é filha de uma mãe solteira de baixa renda que passava dias fora de casa e que começou a trabalhar em clubes de striptease e em pornografia antes de conhecer Trump em um torneio de golfe em Lake Tahoe.

Na época um magnata imobiliário de Nova York, Trump era apresentador de um popular reality show chamado “O Aprendiz”.

Em depoimento nesta terça-feira, Daniels disse que teve um “apagão” após Trump a impedir de deixar o quarto, embora não tenha consumido drogas ou álcool. Ela disse que acordou na cama, sem as suas roupas.

“Eu estava encarando o teto e não sabia como havia chegado lá, eu estava tentando pensar em qualquer coisa menos no que estava acontecendo ali”, afirmou Daniels, em depoimento, ao descrever o sexo com Trump.

Daniels, cujo nome verdadeiro é Stephanie Clifford, disse que não pediu que Trump parasse. “Eu não disse absolutamente nada”, afirmou, acrescentando que deixou o quarto de hotel rapidamente depois do ocorrido.

Presidente dos EUA entre 2017 e 2021 e candidato republicano à eleição presidencial deste ano, Trump não reagiu enquanto assistia ao depoimento dela da mesa das testemunhas.

Trump negou o sexo com Daniels, agora com 45 anos. A equipe de defesa do ex-presidente argumentou que ela estava apenas buscando um papel em “O Aprendiz”.

Trump em Nova York (Imagem: Curtis Means/Pool via REUTERS)
Trump em Nova York (Imagem: Curtis Means/Pool via REUTERS)

O suposto encontro acabou resultando no julgamento criminal, o primeiro de um ex-presidente dos EUA.

Trump, de 77 anos, é acusado de falsificar registros comerciais para acobertar um pagamento de 130.000 dólares a Daniels em troca de seu silêncio durante a eleição de 2016. O político republicano se declarou inocente e afirma que o julgamento é uma tentativa de atrapalhar sua campanha para recuperar a Casa Branca do presidente democrata Joe Biden na eleição de 5 de novembro.

Daniels disse em depoimento que o guarda-costas de Trump a convidou para jantar com Trump.

“Nem f…”, Daniels disse ter respondido.

Ela afirmou que mudou de ideia após um funcionário de relações públicas a convencer que o jantar poderia render uma grande história.

Quando chegou à suíte, Trump a cumprimentou usando apenas pijamas de cetim.

“Eu disse: ‘Hugh Hefner sabe que você roubou os pijamas dele?'”, lembrou Daniels, referindo-se ao empresário da Playboy.

Daniels pediu para Trump se trocar e ele educadamente obedeceu, relatou.

Usando roupas e óculos pretos, Daniels disse ter ficado incomodada com as interrupções frequentes de Trump e perguntou: “Você é sempre tão arrogante e pomposo?”.

Ela disse ainda que Trump a desafiou a bater nele e ela atendeu.

“Isso é besteira”, Trump pareceu dizer enquanto observava, da mesa do réu.

O suposto encontro ocorreu quando Trump era casado com sua atual esposa, Melania. Trump nega qualquer encontro sexual com Daniels.

Trump passou um bilhete para seu advogado de defesa nesta terça-feira e às vezes parecia fechar os olhos enquanto ouvia o depoimento.

Donald Trump
(Imagem: Facebook/ Donald Trump)

Após o intervalo, o juiz Juan Merchan pediu que os promotores diminuíssem os detalhes sobre o encontro. “O nível de detalhe em que estamos entrando é simplesmente desnecessário”, disse.

A promotora Susan Hoffinger disse que o depoimento era necessário para completar a história e estabelecer a credibilidade de Daniels.

“Em termos do ato sexual, será apenas muito básico. Não envolverá descrições de órgãos genitais ou algo do gênero”, disse Hoffinger.

Os promotores demonstraram que a assinatura do ex-presidente estava nos pagamentos que são o centro do caso. Eles dizem que Trump rotulou falsamente pagamentos ao seu advogado Michael Cohen em 2017 como despesas legais, quando na verdade eram reembolsos pelo pagamento de 130.000 dólares que Cohen fez a Daniels pelo seu silêncio.

Os promotores dizem que isso equivale a um esquema ilegal para influenciar a eleição de 2016, ao comprar o silêncio de pessoas com informações potencialmente prejudiciais.

Trump, que concorre novamente à presidência na eleição de 5 de novembro, declarou-se inocente de 34 acusações criminais de falsificação de registros comerciais.

Daniels tem sido alvo de ataques de Trump nas mídias sociais.

Merchan, que julga o caso, disse que algumas dessas publicações violam uma ordem que restringe Trump de falar sobre testemunhas, jurados e outros envolvidos caso essas declarações tenham o objetivo de influenciar os procedimentos.

Até o momento, o ex-presidente foi multado em 10.000 dólares por violar a ordem. Merchan advertiu que Trump poderia ser preso se continuasse com os ataques.

O caso é amplamente visto como menos consequente do que três outros processos criminais contra Trump, mas é o único que certamente irá a julgamento antes da eleição.

Sobre Nós

O Dinheirama é o melhor portal de conteúdo para você que precisa aprender finanças, mas nunca teve facilidade com os números.  Saiba Mais

Assine a newsletter “O Melhor do Dinheirama”

Redes Sociais

© 2024 Dinheirama. Todos os direitos reservados.

O Dinheirama preza a qualidade da informação e atesta a apuração de todo o conteúdo produzido por sua equipe, ressaltando, no entanto, que não faz qualquer tipo de recomendação de investimento, não se responsabilizando por perdas, danos (diretos, indiretos e incidentais), custos e lucros cessantes.

O portal www.dinheirama.com é de propriedade do Grupo Primo.