Ficar desempregado não é fácil e, infelizmente, tem muita gente por aí se aproveitando desse momento de fragilidade para ganhar dinheiro.

Se você está sem trabalho ou conhece alguém nesta situação, veja abaixo que golpe é esse que já gerou mais de 4 mil reclamações no Procon, em São Paulo, só este ano. Nós também oferecemos algumas dicas para procurar emprego na Internet com segurança.

Como funciona o golpe do emprego?

O candidato vai até a agência de emprego, porém para se candidatar às vagas é preciso fazer um curso preparatório. Teoricamente, após o curso, a pessoa estaria apta para ser indicada aos processos de seleção. Porém, a chance de conseguir um emprego novo vai por água abaixo.

A empresa passa a enrolar o candidato, diz que vai encaminhá-lo e nada acontece. E em alguns casos, a empresa some da noite para o dia. Para você ter uma ideia, o tal curso pode custar entre R$ 300,00 e R$ 2 mil, dependendo da região.

Leitura recomendada: O emprego tradicional acabou? O que fazer e como gerar renda?

Denunciar é importante!

É muito triste saber de casos assim, que prejudicam aqueles que estão passando por dificuldades financeiras e que podem se endividar para pagar o curso com a esperança de recomeçar a vida profissional.

Por isso, se você passar por uma situação dessa, denuncie ao Procon. Lembre-se que uma agência de emprego pode encaminhar você para as oportunidades, mas não tem como alguém prometer contratação. Além disso, vender curso em troca de oportunidade caracteriza venda casada, o que é ilegal.

Sabendo disso, fique atento aos serviços oferecidos pelas agências e também tenha alguns cuidados ao se inscrever em sites de vagas nas Internet.

Leitura recomendada: 8 coisas que você não deve fazer se perdeu o emprego

Cuidados para se cadastrar em sites de emprego

Antes de deixar os seus dados, pesquise se a empresa tem muitos registros de reclamação em sites como Reclame Aqui. Desconfie de sites que ofereçam vagas com salários fora da média.

Atente-se aos custos que vão além do serviço de cadastramento do currículo e, se tiver que inserir dados do cartão de crédito para publicar o currículo, acompanhe na fatura se há qualquer cobrança adicional nos meses seguintes, além do contratado inicialmente.

Tenha um e-mail exclusivo para se cadastrar e receber oportunidades de trabalho/emprego e evite usar seu e-mail pessoal. Além disso, prefira colocar o celular em vez do telefone de casa.

Leia o contrato antes de aceitar, mesmo que seja chato e cheio de “juridiquês”. Salve o documento para consultar se tiver algum problema no futuro.

Por fim, cuidado com ofertas como “trabalhe em casa e ganhe 10 mil por mês”. Não vamos dizer que é impossível uma oportunidade do tipo, mas desconfie de tudo que pareça fácil demais em troca de um gasto inicial.

Vídeo recomendado: Disciplina: dicas de um leitor que atingiu a independência financeira

Até a próxima!

Redação Dinheirama
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários