Empresas e Negócios: a única certeza é a imprevisibilidadeJá afirmei em outros textos que de fato não conheço nada na vida empresarial tão previsível ou rotineiro do que a própria inconstância (por favor, ao discordar manifeste-se, adoraria estar errado). Especialistas, economistas, gurus e gurus de última hora adoram recomendar, anunciar e propalar comportamentos, atitudes e modelos planejados, no intuito de oferecer algum alento para aqueles que vivem a turbulência cotidiana de empreender ou conduzir negócios.

A intenção é ótima e legítima, mas confesso que às vezes acho um tanto cômico. Principalmente quando são acompanhadas de introduções do tipo: “A última onda agora é…” ou “Você quer ter sucesso? Então faça isso!”. Tudo tão determinante, tão meticulosamente pensado, mas ao mesmo tempo frívolo e improvável.

Obviamente que algumas regras e práticas são sim necessárias, vitais e universais. Refiro-me à necessidade de transparência nas informações com números confiáveis, na simples e óbvia equação de gestão onde não se pode gastar mais do que se ganha e, naturalmente, na lógica vital para a operacionalidade e sustentação do negócio. Mas qual seria essa lógica? Impossível saber, cada empresa tem a sua.

Os gestores de um importante fundo de Private Equity brasileiro gostam de se auto-definir assim: “Somos um grupo que trabalha com bom-senso e Excel”. Legítimo, direto, crível, e, mais do que isso, confiável. De resto, tudo o que observei, escutei e estudei é um grande emaranhado de acasos e desencontros, desafiando modelos, previsões e prodigiosos cérebros.

George Soros, por exemplo, recomenda que o melhor caminho para se entender os mercados é fugir de modelos pré-concebidos, e simplesmente tentar compreender e navegar no caos. Essa sim, segundo ele, é a única certeza previsível. Viajando pelo universo da literatura, podemos acompanhar o escritor Paul Auster, que usa a imprevisibilidade da vida como fonte inspiradora para quase todos os seus romances. Nos seus livros, ela é a única certeza permanente.

Não é diferente nas empresas. Evidentemente que um bom planejamento ajuda, mas estar preparado para a inconstância é fundamental. Ela sempre estará presente, colocando em xeque planos, metodologias, mitos, todas as modinhas de gestão, assim como compromissos, contratos e articulações de corredor.

Aquilo que é impensável em uma empresa, é regra em outra. Modelos abandonados e impraticáveis em uma determinada corporação, são implementados e cotidianamente seguidos pela sua concorrente direta.

A conclusão é que a perplexidade e o diverso sempre imperam. A única regra é que não existem regras nem previsões absolutas. Por mais que tentemos enquadrá-la em compartimentos administráveis, a realidade vai sempre se impor, escapar da caixinha e nos restará seguir abandonando e admitindo novas e antigas práticas e soluções.

Mas qual seria a graça se fosse diferente? Fico com o pessoal do Private Equity e Soros. Bom senso, Excel e boa convivência com o caos. De resto, nada como um ano fiscal após o outro. Ainda bem.

Crédito da foto para freedigitalphotos.net.

Plataforma Brasil
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários