O ser humano adora verdades absolutas! Adoramos um dogma e, mesmo quando ele não existe, logo damos um jeito de criá-lo. Isso vale para a política, futebol, religião, relacionamentos, negócios e, é claro, finanças pessoais.

Poupança é um investimento seguro. Devemos ter a casa própria. Pagar aluguel é jogar dinheiro fora. Bolsa de valores é igual a cassino. Para muitos, essas e outras afirmações são uma verdade absoluta.

Certo? Errado? Não importa, afinal, todos nós temos as nossas próprias convicções. O problema é que, muitas vezes, acreditamos que o que é verdadeiro para nós também é verdadeiro para todos. E, é claro, isso está longe de ser verdade.

Leitura recomendada: Riscos e verdades sobre medo que você deve administrar para enriquecer

Precisamos entender que não somos o centro do universo e que o mundo não gira ao nosso redor. Portanto, nossas crenças são apenas isso, algo em que acreditamos, algo que é verdadeiro para nós, talvez para mais algumas pessoas, talvez até para muita gente, mas nunca, jamais, em hipótese alguma, uma verdade universal.

Digo isso, pois percebo que muitas vezes o que escrevo é tido por alguns como uma verdade absoluta. E apesar de ficar feliz com a confiança que você, caro leitor, tem depositado em mim ao longo de todo esse tempo, quero que saiba que não sou o dono da verdade. Não sei de tudo e tampouco tenho a pretensão de sabê-lo.

Tenho o objetivo de aprender cada vez mais, e sabe o que é mais curioso? Quanto mais eu aprendo, mais eu vejo que tenho o que aprender. Afinal, o que é a vida se não um eterno aprendizado?

As opiniões, informações e conhecimentos que exponho nos meus artigos, consultorias e palestras são a minha verdade, são o que eu acredito. E nada mais! Não são uma verdade universal e talvez não se apliquem a você, à sua realidade ou ao seu momento de vida!

Não sou um guru! Sou um estudioso e apaixonado pelo mundo das finanças e empreendedorismo que adora compartilhar o que sabe com as pessoas. Mas sabe de uma coisa? Ou que eu sei, escrevo ou fale pode simplesmente não servir para você. E sabe por quê? A minha verdade é diferente da sua! E isso não faz de mim um mentiroso, nem de você o dono da verdade. Isso faz de nós simplesmente diferentes.

Pessoas diferentes, pensamentos diferentes, verdades diferentes. Portanto, antes de acreditar ou desacreditar no que eu falo, reflita se isso se aplica à sua realidade. Pense se a minha verdade também é verdadeira para você. Pense se o que eu digo se aplica a você. Pense, só peço que você pense.

Vivemos em um mundo em que as pessoas têm preguiça de pensar, e isso é preocupante. Ligamos nosso receptor no piloto automático e acreditamos em tudo que lemos, escutamos ou assistimos. Não é a toa que estamos submersos em uma crise mais que política e econômica, também de valores.

Leitura recomendada: A riqueza e o julgamento das aparências (o rico de verdade não é quem você imagina)

Quer seja no âmbito pessoal, profissional ou financeiro, para termos sucesso precisamos entender a realidade do mundo, a realidade daqueles à nossa volta e a nossa própria realidade; somente a partir disso, seremos capazes de decidir melhor. Afinal, todos nós precisamos ter algumas verdades para acreditar.

Samuel Magalhães
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários